Aras: ‘PGR não será instrumento de peleja política ou perseguição’

Em seu discurso de recondução, procurador-geral da República defendeu a 'pacificação' e a 'estabilidade' institucional do país
-Publicidade-
Augusto Aras foi reconduzido pelo presidente Jair Bolsonaro para mais um mandato à frente da PGR
Augusto Aras foi reconduzido pelo presidente Jair Bolsonaro para mais um mandato à frente da PGR | Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

Em seu primeiro pronunciamento oficial depois de ser reconduzido ao cargo de procurador-geral da República, nesta quinta-feira, 23, Augusto Aras afirmou que, sob seu comando, o Ministério Público Federal (MPF) não se prestará a perseguições políticas.

No discurso, Aras também defendeu a “pacificação” e a “estabilidade” institucional do país.

Leia mais: “Por videoconferência, Bolsonaro reconduz Augusto Aras”

-Publicidade-

“Para além dos números, a concretude da pacificação, da estabilidade, do sentimento de que a caneta do procurador-geral da República não será instrumento de peleja política, menos ainda de perseguição, mas será sempre a caneta que o legislador constituinte de 1988 lhe confiou para cumprir o seus deveres esculpidos na lei maior da República, a Constituição Federal”, afirmou o procurador-geral.

Criticado por setores da oposição ao governo de Jair Bolsonaro por supostamente ser leniente com acusações envolvendo o presidente da República, Aras destacou ainda que, sob sua gestão, a PGR ofereceu 46 novas denúncias criminais.

Leia também: “Aras: ‘Manifestações do 7 de Setembro foram expressão de uma sociedade plural e aberta’”

“Foram duas grandes operações em todo o Brasil por mês durante dois anos sem estrépito, sem escândalo, com respeito aos direitos e garantias aos direitos fundamentais”, disse. “Eu creio que isso tem um significado especial na nossa gestão. Porque nós compreendemos que todo o poder emana do povo e os eleitos são Vossa Excelência, senhor presidente, senhores parlamentares do Brasil, e nós ocupamos esses cargos por delegação de Vossas Excelências.”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Vejam em que estado de anomia em que se encontra esse país: O PGR em seu discurso de recondução ao cargo se preocupar em dizer que não se envolverá em politicagem rasteira, sendo que isso seria um caso de intervenção federal nesse aparelho judiciário! Depois daquele espetáculo lamentável da quela lamentável CPI do Circo, vê-se que está necessitando também de um intervenção urgente nesse senado, que tem um presidente covarde e omisso, ou deixa essas coisas acontecerem como se tivesse cego e mouco. MAS AS INSTITUIÇÕES ESTÃO FUNCIONANDO PERFEITAMENTE NÃO É, BANDO DE VAGABUNDOS?

  2. ARAS ARAS , COMO ASSIM ??
    FALAR EM HARMONIA COM ESSES MINISTROS SUPREMOS PODRES E ESSES CONGRESSISTAS CORRUPTOS QUE BOICOTAM O GOVERNO BOLSONARO O TEMPO TODO???
    MENIA ARAS, MENOS.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.