-Publicidade-

Bolsonaro cobra previsibilidade do preço dos combustíveis

Presidente descartou interferir na Petrobras e lembrou que o Petrolão foi uma das "maiores comprovações de corrupção" no Brasil
Presidente Jair Bolsonaro conduz encontro sobre preço dos combustíveis
Presidente Jair Bolsonaro conduz encontro sobre preço dos combustíveis | Foto: Afonso Marangoni/Revista Oeste

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu nesta sexta-feira, 5, com ministros e o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, para discutir o preço dos combustíveis. Ele cobrou maior “previsibilidade” e reforçou que não busca interferir nem nos Estados nem na Petrobras.

Bolsonaro reforçou que o imposto federal, o PIS/Cofins, é previsível, de R$ 0,35. Já o ICMS, imposto estadual, tem um valor que varia constantemente. O chefe do executivo destacou que deve apresentar uma proposta ao Congresso para que o ICMS incida nas refinarias ou que haja um valor fixo do imposto para álcool, gasolina e diesel.

Leia mais: “Bolsonaro desautoriza Barros e defende a Anvisa”

“Interferência existia sim, em um passado bem próximo, onde alguns partidos políticos indicavam diretores da Petrobras e nós tivemos pela frente uma das maiores comprovações de corrupção em nosso Brasil, conhecido como Petrolão. Em nosso governo isso não existe”, afirmou o presidente.

Bolsonaro também agradeceu aos caminhoneiros que não aderiram a uma greve programada para segunda-feira 1º e disse que o tema dos combustíveis não interessa só à categoria, mas a toda a população.

Paulo Guedes

O ministro da Economia reforçou que o peso do Estado é muito grande e que é necessário continuar “desonerando o povo brasileiro”. Guedes disse que a carga tributária é uma das principais responsáveis pela baixa competitividade das indústrias e das empresas brasileiras. Ele também defendeu a reforma tributária.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês