Bolsonaro, em balanço sobre os mil dias de governo: ‘Diminuiu muito a corrupção’

Presidente da República comparou a atual administração com os 13 anos de governos do PT, marcados por escândalos
-Publicidade-
Jair Bolsonaro participou de evento da Caixa Econômica Federal
Jair Bolsonaro participou de evento da Caixa Econômica Federal | Foto: Reprodução/YouTube

Durante participação em evento da Caixa Econômica Federal nesta segunda-feira, 27, o presidente Jair Bolsonaro fez um balanço sobre os primeiros mil dias de seu governo.

O chefe do Executivo destacou a diminuição dos casos de corrupção, em relação ao que se viu nos 13 anos de governos do PT, entre 2003 e 2016.

Leia mais: “‘Estão dobrando a aposta’, diz Eduardo sobre críticas da imprensa a Bolsonaro”

-Publicidade-

“Quando se fala em mil dias sem corrupção… Eliminou-se a corrupção? Obviamente que não. Podem acontecer problemas em alguns ministérios? Podem acontecer, mas não será da vontade nossa”, disse Bolsonaro. “Nós vamos buscar maneiras de, obviamente, apurar o caso e tomar providências cabíveis com outros Poderes sobre aquele possível ato irregular. Mas diminuiu muito a corrupção no Brasil. Muito.”

Crítica: Nem Tudo Se Desfaz é registro histórico sobre o Brasil da última década”

Em seu pronunciamento, Bolsonaro afirmou ainda que o governo sofre “pressões” variadas, mas menos do que em administrações anteriores. “As pressões no passado eram enormes, em governos anteriores. Hoje existem pressões? Existem, mas bem menores”, disse.

No evento da Caixa, Bolsonaro relembrou mais uma vez o episódio da facada de que foi vítima em setembro de 2018, às vésperas da eleição presidencial. “Estamos acompanhando já os debates antecipados para 2022. Eu sou o melhor? Não. Aqui mesmo, tem dezenas pessoas melhores do que eu, mas quis o destino que a Presidência ficasse comigo, superando a facada. Uma eleição completamente atípica”, admitiu.

Leia também: “Congresso analisa 36 vetos de Bolsonaro nesta segunda-feira”

Revogação de atos

Ainda nesta segunda-feira, Jair Bolsonaro assinou um decreto que revoga 892 atos normativos considerados sem efeito por já terem perdido validade. A medida será publicada na edição de terça-feira 28 do Diário Oficial da União.

Leia também: “Após casos em comitiva, Bolsonaro testa negativo para a covid-19”

A lista dos atos revogados não foi divulgada. Segundo a Secretaria-Geral da Presidência, o decreto revogou normas cuja eficácia ou validade estavam “completamente prejudicadas” e se tornaram obsoletas.

A pasta informou que, com a revogação dos 892 atos, o governo Bolsonaro já superou a marca de 5 mil decretos revogados em dois anos e nove meses de gestão.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Se tivesse havido corrupção no governo Bolsonaro a extrema imprensa já teria caído de pau em cima deste governo. Já nos governos anteriores onde houve muita corrupção esta mesma extrema imprensa se calou. Por que será?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.