-Publicidade-

Bolsonaro sai fortalecido da queda de braço com Maia

A tônica para o mais recente desentendimento foi a aprovação na Câmara do projeto que repõe a Estados e municípios perdas com ICMS e ISS
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o presidente da República, Jair Bolsonaro | Foto: EDILSON RODRIGUES/AGÊNCIA SENADO
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o presidente da República, Jair Bolsonaro | Foto: EDILSON RODRIGUES/AGÊNCIA SENADO

A tônica para o mais recente desentendimento foi a aprovação na Câmara do projeto que repõe a Estados e municípios perdas com ICMS e ISS

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o presidente da República, Jair Bolsonaro
Foto: EDILSON RODRIGUES/AGÊNCIA SENADO

Já é sabido que Jair Bolsonaro e Rodrigo Maia não se bicam. Nem mesmo a chegada de um inimigo comum, o coronavírus, fez com que o presidente da República e o presidente da Câmara propusessem uma trégua. A tônica para o mais recente desentendimento entre os dois foi a aprovação na Câmara dos Deputados do Projeto de Lei Complementar (PLC) 149/19.

A medida socorre Estados e municípios que não têm dinheiro para fechar as contas por causa da paralisação da economia. Resumindo: governadores e prefeitos, que adotaram políticas cada vez mais restritivas contra a covid-19, querem a chave do cofre em poder do presidente da República — defensor da retomada das atividades produtivas.

Numa entrevista concedida ontem à CNN, Bolsonaro afirmou que Rodrigo Maia se sente o chefe do Executivo, ao chancelar um projeto que tira ainda mais poderes do Planalto. Maia respondeu que o propósito do presidente é mudar o foco da nova crise: a demissão do ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que deixou ontem a pasta.

Análise

Plenário do Senado
Parlamentares não querem usar os fundos partidário e eleitoral no combate à covid-19
Foto: EDILSON RODRIGUES/AGÊNCIA SENADO

Por volta das 22 horas de ontem, internautas subiram a hashtag “ForaMaia”, que, desde então, está nos trending topics do Twitter. Em apenas uma hora, chegou ao segundo lugar, no qual permaneceu durante a madrugada. Perdeu força na manhã desta sexta-feira, 17, mas rapidamente se recuperou e, desde o meio-dia, permanece na primeira posição, ao registrar mais de 1,4 milhão de engajamentos.

Na última semana, essa foi uma das melhores pe rformances dos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro no Twitter. A justificativa para o resultado é, certamente, a insatisfação dos brasileiros com as interferências do Legislativo no Executivo. Não só, os parlamentares vêm deixando a desejar, como quando retiraram do Orçamento de Guerra o uso dos fundos eleitoral e partidário para as políticas de combate ao coronavírus.

Outra força que pode ter impulsionado esse número de engajamentos é a decisão do movimento Nas Ruas de conclamar os brasileiros, já descontentes com o engessamento da economia, a protestar contra deputados e senadores pelas rasteiras dadas no povo. Sendo assim, caso o fluxo de engajamentos apresentado se mantenha, são grandes as chances de as manifestações serem bem-sucedidas.

Confira alguns tuítes

Facebook, Instagram e mídia

Foto: PEOPLEIMAGES/ISTOCK

As páginas que aqueceram o Facebook foram a do movimento democrático Nas Ruas, cuja publicação com a hashtag “ForaMaia” conseguiu 2,5 mil curtidas, 1,7 mil comentários e 1,2 mil compartilhamentos; e do deputado federal Marco Feliciano (sem partido), com um post crítico ao presidente da Câmara reunindo 5,4 mil curtidas, 826 comentários.

O Instagram também apresentou resultados promissores. Nele, a hashtag ultrapassou os 74 mil engajamentos e sinaliza que os bolsonaristas estão melhorando suas habilidades nessa rede social. Conforme vem noticiando Oeste, as mais recentes campanhas não estão performando com muita eficácia nessa plataforma de mídia.

No Google, o termo “Rodrigo Maia” foi o sétimo mais pesquisado no Brasil. Entre as pesquisas relacionadas que melhor performaram estão “bolsonaro cnn” e “bolsonaro ataca maia”. Já os três Estados com a curiosidade aguçada foram: Amapá, Rondônia e Tocantins. Nos dois primeiros, a maioria dos eleitores votou em Bolsonaro, em 2018. Já Tocantins se dividiu entre o PSL e o PT.

Quanto à circulação de notícias, os veículos alternativos de comunicação tiveram potencial positivo. Informações favoráveis ao nome do presidente da República performaram melhor do que as da imprensa tradicional. Se destacaram os sites de direita Terça Livre, Conexão Política, República de Curitiba e Jornal da Cidade Online.

Portanto, os apoiadores do governo estão conseguindo disseminar a narrativa segundo a qual o presidente Jair Bolsonaro quer governar, mas não consegue por causa das recorrentes interferências do Poder Legislativo.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

32 comentários

      1. Se ele tivesse nosso sangue brasileiro…o que não tem. Aliás,se tivesse vegonha na cara se portartira como homem de &verdade

    1. Bolsonaro sai fortalecido? Pode ser. Talvez amanhã seja Mais. O que é certo é que a população só perde com essa queda de braço irresponsável. Mas, pra quem gosta de ver luta no mundo animal.

    2. Artigo bom. Maia e sua gangue estão querendo – e conseguindo – colocar um torniquete no presidente e o grande prejudicado é o Brasil, q só afunda e nesse ritmo não vai se reequilibrar nem em três décadas.
      A sanha e a voracidade da classe política, auxiliada por um braço sinistro do STF comandado pelo soltador de criminosos, são o maior entrave p/ q o nosso país possa dar certo.
      Maia é um canalha, age em nome de canalhas e representa uma horda de canalhas. Por isso, #ForaMaia.

    3. É incrível a cara de pau mais lavada do deputado maia dizer que sempre está aberto ao diálogo sendo que tudo que está em pauta para o bem do povo brasileiro ele juntamente com os lixos dos comunistas vai destruindo o povo vcs são verdadeiros covardes , muitos de vcs inclusive o deputado maia responde por corrupção na lava jato e fica bancando uma de moral que eles não tem traidores da nação Brasileira

    1. ESSE DE-PUTA-DO NHONHOMAIA É UM HIPÓCRITA NOJENTO SEBOSO DEBOCHADO DESONESTO RATAZANA DE ESGOTO ??????? PEIA NELE FORÇAS ARMADAS PRA VALER JÁ ??????????????? ACORDA BRASIL SENÃO VAMOS CONTINUAR NO FUNDO DA FOSSA ???

  1. Botafogo vai cair, como Mandetta caiu, e assim como Mandetta, voltará a ser um deputadozinho do centrão buscando facilidades, se reeleger? Duvido!!!!

    1. ESSE DE-PUTA-DO NHONHOMAIA É UM HIPÓCRITA NOJENTO SEBOSO DEBOCHADO DESONESTO RATAZANA DE ESGOTO ??????? PEIA NELE FORÇAS ARMADAS PRA VALER JÁ ??????????????? ACORDA BRASIL SENÃO VAMOS CONTINUAR NO FUNDO DA FOSSA ??? kl

  2. O BOTAFOGO SEMPRE SERÁ UM NHONHO, NUNCA ALCANÇARÁ NADA, ATRAVES DO POVO, DEPOIS DESTE MANDATO NA PRESIDENCIA DA CÂMERA. IMAGINEM O NHONHO À NOITE, AO COLOCAR A CABEÇA NO TRAVESSEIRO, LEMBRANDO QUE O POVO BRASILEIRO ELEGEU COM FOLGA, O PRESIDENTE MESSIAS BOLSONARO. NOITES EM CLARO, ARQUITETANDO, ARMANDO, CONSPIRANDO… MEU POVO!!!

  3. Se criaram FUNDO ELEITORAL, podem criar Fundo Pessoal, Fundo Familiar, Fundo Embarcação, Fundo Aeronave, Fundo Automóvel, Fundo Motocicleta, Fundo Companheiro e assim por diante. Quem não gosta de uma mamata ? Ainda chamam isto de Democracia (????)

    1. Não são só os “bolsonaristas” como diz o texto, a exemplo do Uol/Antagonista… São os BRASILEIROS de bem, indignados com este plano do congresso e da grande mídia para derrubarem o governo e restituírem o status anterior, com toda a sua corrupção.

      1. Final de linha, a esses representantes de ORCRIMS partidárias ou corporativas e funcionários públicos, entrincheirados nas instituições oficiais.

  4. MAIA Botafogo FILHO, de César desce a Serra com Dória, alguns governadores das esmeraldas, Tofolli. Sarney ressuscitou? Bandidos ñ se ressuscitam.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês