Ciro Nogueira recebeu propina da JBS para PP apoiar reeleição de Dilma, diz PF

Defesa do ministro afirmou que a conclusão 'é totalmente baseada somente em delações'
-Publicidade-
Ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira | Foto: Pedro França/Agência Senado
Ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira | Foto: Pedro França/Agência Senado

A Polícia Federal (PF) afirmou nesta sexta-feira, 8, ao Supremo Tribunal Federal que reuniu indícios de que o atual ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP), cometeu os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro em 2014.

De acordo com a PF, a JBS teria feito os pagamentos para que o PP apoiasse a reeleição da então presidente Dilma Rousseff (PT), Nogueira dirigia o partido. Atualmente, ele está licenciado do comando da sigla para exercer o cargo de ministro.

-Publicidade-

Segundo depoimento de Joesley Batista à PF, o pagamento de propina envolveu a entrega de uma mala com R$ 500 mil ao então senador. A PF não pediu o indiciamento em razão do foro por prerrogativa de função.

A investigação será enviada agora ao procurador-geral da República Augusto Aras, a quem cabe decidir se apresenta denúncia contra o ministro ou arquiva o inquérito.

A defesa de Ciro Nogueira disse estranhar o relatório da Polícia Federal, “pois a conclusão é totalmente baseada somente em delações que não são corroboradas com nenhuma prova externa”.

“A defesa tem absoluta confiança que o tempo das delações sem nenhuma fundamentação já está devidamente superado pelas decisões independentes do Ministério Público e do Supremo Tribunal Federal”, afirma a nota.

A PF também diz ver indícios de crimes de Gustavo Lima, irmão de Ciro Nogueira; Edinho Silva, então tesoureiro da campanha do PT; Joesley Batista e Ricardo Saud, ambos executivos da J&F à época.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

6 comentários Ver comentários

  1. Só porque o sujeito é um corrupto e que está com o rabo preso no STF e que agora é um aliado do governo do Bolsonaro (como esse governo perdeu o rumo inicial…) agora vocês acham que é perseguição política? Esses indivíduos se encontram com a espada acima de suas cabeças a todo momento, cabe ao Pretor acioná-la. Portanto vamos parar com essa hipocrisia bolsonariana.

  2. Essa investigação está 6 anos atrasada. Isso é uma enormidade de tempo. A PF é STF tem que arrumar o que fazer, tipo, combater a corrupção de hoje e não criar uma investigação política improdutiva, gastando recursos públicos indevidamente.

  3. Dilma está fora do poder desde 2016. Qual será o motivo em ano de eleição a Polícia Federal, tornar público neste exato momento? Poderíamos não ter tido tanto desgaste com impeachment, que é traumático este senhor poderia ter sido preso e ela não teria se safado de ter os direitos políticos cassados no pior momento de afronta à Constituição do país. Quem será que está por trás???

  4. Político rodado e não muito confiável, mais ainda, se provarem o que dizem, tem que ser exemplarmente punido. Faz tempo, mas quem faz uma vez, faz outras vezes e nem pode ficar ao lado de nosso presidente.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.