-Publicidade-

‘Dois crimes hediondos’, diz CNBB sobre caso de aborto

Para dom Walmor Oliveira, "a violência sexual é terrível, mas a violência do aborto não se justifica"
Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, Dom Walmor Oliveira de Azevedo | Foto: Reprodução/Arquidiocese de Belo Horizonte
Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, Dom Walmor Oliveira de Azevedo | Foto: Reprodução/Arquidiocese de Belo Horizonte

Para dom Walmor Oliveira, “a violência sexual é terrível, mas a violência do aborto não se justifica”

Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, dom Walmor Oliveira de Azevedo
Foto: Reprodução/Arquidiocese de Belo Horizonte

O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Oliveira de Azevedo, classificou nesta terça-feira, 18, de “crime hediondo” o aborto realizado em uma menina de 10 anos.

A criança, de São Mateus, no Espírito Santo, engravidou após ser estuprada pelo tio. Ela era violentada desde os 6 anos.

Ontem, a menina interrompeu a gravidez após autorização da Justiça.

Para dom Walmor Oliveira, houve dois crimes hediondos no caso: a violência sexual e o aborto.

Leia mais: ‘Homicídio’, diz deputada sobre aborto em menina de 10 anos

O arcebispo de Belo Horizonte também criticou as autoridades que permitiram a interrupção da gravidez de forma legal.

“Lamentável presenciar aqueles que representam a Lei e o Estado com a missão de defender a vida decidirem pela morte de uma criança de apenas cinco meses, cuja mãe é uma menina de 10 anos. Dois crimes hediondos. A violência sexual é terrível, mas a violência do aborto não se justifica, diante de todos os recursos existentes e colocados à disposição para garantir a vida das duas crianças”, disse o presidente da CNBB.

Na mensagem, dom Walmor Oliveira afirmou que orou, pedindo consolação para todos envolvidos no caso.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 comentários

  1. Lamentável o comentário acima!! Sempre me pergunto, se os representantes da Igreja tem esta posição porque há muitos casos de padres envolvidos em estupros e nenhum em aborto.

  2. E muito fácil esse pilantra dizer:
    @
    “Com todos esse recursos disponíveis..,,,”
    Recursos de quem??? Vc pilantra vai pagar pensão p bebê q vc quereria q nascesse?
    Vc pilantra não iria dar 10 centavos, não iria fazer nada.
    A menina q se ferrasse com o bebe não Pilantra ?
    É fácil criticar qdo vc não dar um centavo!!!
    Assim como neste caso existem outros:
    Banque pelo menos um pilantra!!!
    Vá adular seu chefe q recebe e adora o maior ladrao do mundo!!!!
    Vá pilantra capacho

  3. Ficou ruim para a Igreja Católica. Sou católico e encontro-me deveras decepcionado com essa padraiada toda. Não pelo Brasil, mas pela Argentina, lá o Chico já entregou a rapadura pros comunistas de plantão.
    Aquí não serapião!!!A cobra fuma mais em baixo.

  4. Gostaria de ser lembrada do que disse a cnbb sobre a pedofilia na igreja, pois é certo que os religiosos pedófilos apenas mudam de paróquia onde reiniciam suas práticas criminosas.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês