Eduardo Leite rejeita coordenar campanha de Doria

Derrotado nas prévias do PSDB, governador do Rio Grande do Sul é sondado pelo União Brasil para corrida eleitoral de 2022
-Publicidade-
João Doria convidou Eduardo Leite para ser o coordenador de sua campanha à Presidência da República
João Doria convidou Eduardo Leite para ser o coordenador de sua campanha à Presidência da República | Foto: Roberto Casimiro/Estadão Conteúdo

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), recusou o convite para coordenar a campanha de João Doria à Presidência da República. A iniciativa partiu do próprio tucano paulista, escolhido pelo partido para disputar o Palácio do Planalto no ano que vem.

“Permaneço no PSDB, mas não me vejo coordenando uma campanha presidencial, pois serei governador até o último dia do meu mandato e não imagino poder coordenar algo dessa dimensão nacional estando focado nos problemas e soluções do meu Estado”, disse Leite ao jornal Folha de S.Paulo.

O governador gaúcho afirmou ainda que “deve haver uma sinergia entre candidato e coordenador que seja maior do que o simples fato de estarem no mesmo partido”.

-Publicidade-

“Imagino que o governador Doria busque alguém afinado com sua forma de pensar e fazer política, para além de uma visão meramente partidária”, completou Leite, dando sinais de que as desavenças entre os dois adversários nas prévias tucanas ainda parecem longe de estar resolvidas.

Apesar de garantir que fica no PSDB, Leite vem sendo sondado por dirigentes do União Brasil, partido recém-criado a partir da fusão entre o Democratas e o PSL. Grande parte da legenda considera o tucano um nome interessante para liderar a legenda na corrida eleitoral de 2022.

“Eduardo Leite é um quadro que engrandece qualquer partido”, elogiou o deputado federal Elmar Nascimento (DEM-BA).

Segundo colocado nas prévias do PSDB, com cerca de 45% dos votos (Doria teve 54%), Eduardo Leite não disfarçou o abatimento depois do anúncio do resultado, no sábado 27, mas parabenizou Doria. “Eu não quero ser omisso. O que me realiza é saber que eu fiz a minha parte: eu me apresentei e lutei o bom combate”, afirmou.

“Fui lançado por um grupo de pessoas que me buscou, acompanhando o trabalho que eu faço no Rio Grande do Sul”, continuou Leite. “Percorremos o Brasil falando sobre a possibilidade de fazermos política com firmeza e convicção de um lado, mas com diálogo e respeito pelo outro.”

Para o governador do Rio Grande do Sul, “o PSDB é a grande força política que tem capacidade para formar o centro democrático e furar essa polarização inútil”.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.