Em Búzios (RJ), moradores protestam contra ‘lockdown’

Justiça mandou prefeitura retroagir à bandeira vermelha, com mais limitações aos direitos das pessoas
-Publicidade-
Foto: Divulgação/Twitter
Foto: Divulgação/Twitter | Foto: Divulgação/Twitter

Justiça mandou prefeitura retroagir à bandeira vermelha, com mais limitações aos direitos das pessoas

em búzios
Os manifestantes tomaram a avenida principal e se direcionaram à prefeitura carregando placas e cartazes
Foto: Divulgação/Twitter
-Publicidade-

Aproximadamente 500 trabalhadores de diferentes áreas da economia se reuniram nesta quinta-feira, 17, para se manifestar contra o lockdown decretado ao município pelo juiz Raphael Campos, da 2ª Vara de Búzios. A partir de hoje, a cidade volta à bandeira vermelha, que significa mais limites às liberdades das pessoas, conforme noticiou Oeste. Turistas, por exemplo, terão até 72 horas para deixar o local. Além disso, o magistrado ordenou o fechamento das atividades econômicas da cidade sob a justificativa de conter o “aumento expressivo no número de novos casos de covid-19”.

Em caso de descumprimento da decisão, o município terá que pagar multa de R$ 100 mil por dia. A prefeitura informou que está acatando a determinação da Justiça. Contudo, já protocolou um recurso no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A concentração do protesto começou por volta das 08h30, defronte ao fórum. Entre os manifestantes estão comerciantes, trabalhadores de hotéis e pousadas. Em seguida, os manifestantes tomaram a avenida principal e se direcionaram à prefeitura carregando placas e cartazes com frases como “Búzios não fecha” e “Lockdown, não”.

Leia também: “O erro do lockdown”, reportagem publicada na edição n° 14 da Revista Oeste

Veja imagens

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

9 comments

  1. Tem que dar um basta nessa judicilizaçao chega de justiça se meter aonde nao compete a ela esse pais ta virando um caos judiciario tao fazendo ok bem entendem e dia a dia as coisa ta ficando insuportavel ou as pessoas coloquem na sua cabeça que o judiciario sao nossos empregados e colocarmos ele no seu devido lugar ou esse pais vai sim virar uma praça de guerra.

  2. NÃO FOI O TJ, mas um juizinho-de-bosta da Segunda Vara Cível local, um pretenso ditadorZINHO-de-toga. A informação está equivocada, e o CANALHA-DE-TOGA deve ser nominado e desmascarado. Juiz RAPHAEL BADDINI DE QUEIROZ CAMPOS.

    1. Estamos vivendo sob ditadura do Judiciário já faz tempo. Quem acompanha as barbaridades do STF sabe disso. Mas agora essa ditadura está ficando cada vez mais escancarada. Se não houver reação da sociedade, um abraço. Vamos ficar não só de máscara, mas com mordaça também, tendo que abaixar a cabeça para os senhores juízes.

      1. Prefeitos e governadores se fazem de bonzinhos e não fazem sua tarefa, e aí a justiça deita e rola. Além disso o povo não está nem aí com máscaras e isolamento social. VAI MORRER MUITA GENTE

      2. Quem está governando o país é o judiciário. Triste fim da democracia. E acusavam o PR do que agora eles fazem. Alguém terá que pará-los.

  3. Que a atitude da população de búzios inspire os brasileiros de bem, se não lutarmos por nossa liberdade, logo logo seremos subjugados pelos ditadores, que neste caso é o judiciário, temos que lembrar que o juiz deste caso é seu empregado, seu funcionário, o salário dele sai do seu bolso, esse juiz assim como qualquer funcionário, deve obediência ao povo que é seu patrão. Não podemos nos esconder da responsabilidade de exigir que se faça a vontade da nação, os poderes do Brasil devem escutar a voz do povo na marra.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site