Em operação, PF mira propinas pagas a servidores de estatal

Desvios em banco também são investigados; agentes cumprem 29 mandados de busca e apreensão em quatro Estados
-Publicidade-
Polícia Federal realiza operação | Foto: DIVULGAÇÃO/AGÊNCIA BRASIL
Polícia Federal realiza operação | Foto: DIVULGAÇÃO/AGÊNCIA BRASIL | Ceará - PF - Operação - Spectrum

Desvios em banco também são investigados; agentes cumprem 29 mandados de busca e apreensão em quatro Estados

em operação
Ceitec foi alvo de saques | Foto: Divulgação/Agência Brasil
-Publicidade-

A Polícia Federal (PF) iniciou nesta quinta-feira, 29, duas fases da Operação Descarte: Silício e Macchiato. A primeira apura supostos crimes de lavagem de capitais, fraude em licitação, evasão de divisas e sonegação fiscal envolvendo o Ceitec, estatal vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações. Já a Macchiato mira crimes contra o Sistema Financeiro Nacional — a Justiça mandou bloquear R$ 100 milhões dos investigados e ainda determinou o afastamento de dois diretores da instituição financeira que teria sido vítima dos desvios sob suspeita. Agora, agentes cumprem 29 mandados de busca e apreensão nas cidades de São Paulo, Santana de Parnaíba, Vargem Grande Paulista, Jaguariúna (SP), Belo Horizonte, Nova Lima, Machado (MG), Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS).

Sobre a Silício, as irregularidades teriam ocorrido entre 2011 e 2016. “Nesse período, um escritório de advocacia especializado na lavagem de dinheiro elaborou e executou um ‘projeto’ para uma empresa cliente, do ramo de tecnologia, com o objetivo de redução de tributos, devolução de valores em espécie e evasão de divisas. Parte desses recursos teria sido utilizada para pagamento de propina a servidores da empresa pública federal CEITEC S/A para que ela contratasse a empresa de tecnologia”, informou a PF, em nota. No que diz respeito à Macchiato, os alvos, na qualidade de administradores da instituição financeira vítima e de suas empresas controladas, teriam desviado valores através de contratos simulados de prestação de serviços, conforme as apurações. A PF aponta que propinas foram pagas a políticos.

Quer saber mais sobre o Ceitec e outras estatais? Leia “O custo da ineficiência”, reportagem publicada na edição n° 2 da Revista Oeste

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site