-Publicidade-

Em vez de Planalto, Doria já admite tentar reeleição em SP

É a primeira vez que o tucano admite a hipótese claramente
Governador de São Paulo, João Doria
Governador de São Paulo, João Doria | Foto: Roberto Casimiro/FotoArena/Estadão Conteúdo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), já admite abrir mão do projeto presidencial para concorrer a mais um mandato no comando do Estado em 2022.

Ao ser questionado pelo jornal O Estado de S. Paulo sobre o tema, o tucano disse que “diante deste novo quadro da política brasileira, nada deve ser descartado”. É a primeira vez que ele admite a hipótese claramente.

Leia mais: “Governo de São Paulo não divulga número de leitos de UTI não covid disponíveis”

Em novembro de ano passado, Doria foi contundente ao negar que disputaria um novo mandato. Ele sempre disse que por princípio, era contra a reeleição. Segundo o jornal, o otimismo deu lugar à preocupação com o desgaste político causado pela adoção de medidas mais restritivas para combater a pandemia do coronavírus.

O PSDB marcou prévias referentes à disputa presidencial para outubro, um ano antes das eleições. Doria tem afirmado que acredita que legenda pode até apoiar um outro candidato em 2022 — além do paulista, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite também é cotado.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

12 comentários

  1. Esse aí não ganha nem para sindico de prédio.
    O João Dória não pode sair de casa para comprar pão, pois a população odeia ele.
    Agora que a farsa da falsa oposição entre PT-PSDB está escancarada, eu quero ver qual será o fiasco deste partido, que por muito tempo colaborou com o projeto lulopetista (estratégia das tesouras).
    Na eleição de 2018, o candidato Geraldo Alckmim perdeu de forma vexatória e irá acontecer o mesmo em 2022, seja com o João “calça apertada” Dória ou com o governador gaúcho.
    Penso que os partidos mais ligados a direita como o PSC, REPUBLICANOS e outros do Centro, como o PP, PL, etc. apoiem o Presidente Bolsonaro em vez de ficarem juntos com o PSDB.

    1. “Acreditem, estas medidas são para o seu bem, mesmo que prejudique minha popularidade”
      Está frase do João Agripino ao trancar SP de vez mostrou que a maior preocupação é com os índices nos institutos de pesquisa e não com saúde do povo, com o ganha pão trabalhador. Esse patife nao tem condições mínimas para seguir adiante no comando do Estado de SP.

  2. Caramba, fui tucano desde a fundação do partido, me filiei para apoiar esse mau caráter nas previas para prefeito e votei para governador junto com Bolsonaro no 1o.turno. Em meados de 2019 começou a mostrar seus instintos imorais, ao condenar o discurso de Bolsonaro na abertura da assembleia da ONU como “inoportuno e inadequado”. Logicamente sai do PSDB, portanto espero que surja algum candidato de partido centro direita, liberal e conservador para votarmos.

  3. DitaDoria e PSDB não têm credibilidade. O governador mostrou que é desleal, traidor, mentiroso desde quando abandonou a prefeitura de São Paulo. Durante a campanha muita gente, inclusive colegas de partido já faziam essas afirmações. Acabou sendo eleito governador porque o adversário era e é um esquerdista, se aproveitou da popularidade do Presidente, e também porque conseguiu convencer muitas pessoas ser um bom gestor. Ele não venceu o pleito na capital. Já, o PSDB gosta mesmo é de perder eleições para o PT. Não fez oposição aos desgovernos petistas. Preferiu participar da roubalheira.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.