Em vídeo, Pazuello liga saída da Saúde a pressões políticas

Ex-ministro disse que Pasta é alvo de pressões políticas por conta do volume de recursos que movimenta
-Publicidade-
Ex-ministro Eduardo Pazuello e ministro da Saúde, Marcelo Queiroga | Foto: Reprodução/Redes Sociais
Ex-ministro Eduardo Pazuello e ministro da Saúde, Marcelo Queiroga | Foto: Reprodução/Redes Sociais

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello ligou sua saída da Pasta a pressões políticas. Ele garantiu que “oito atores” agiram “em cima” de sua gestão. Em discurso feito nesta quarta-feira, 24, ao inaugurar sua imagem na galeria de ex-ministros, o general afirmou estar seguro de que deu o melhor no cargo. Os vídeos foram revelados pelo site da revista Veja.

Pazuello disse que o Ministério da Saúde é alvo de pressões políticas por conta do volume de recursos que movimenta. “A operação de grana com fins políticos acontece aqui. Acabamos com 100%? Claro que não: 100% nem Jesus Cristo. Nós acabamos com muito”, garantiu.

-Publicidade-

Leia mais: “Queiroga se compromete a aplicar 1 milhão de doses por dia”

“E aí começa a ter uma repercussão de oito atores agindo em cima da gente. E nessa repercussão final, de oito atores agindo em cima da gente, eu reuni toda a minha equipe, no dia 27 de fevereiro.” Ele continua: “Mostrei todas as ações orquestradas, eram oito. Distribuí missões para oito contendores das ações. […] Não tinha como nós chegarmos ao dia 20 de março. Porque todo o conjunto estava trabalhando.”

Presente à despedida, o novo ministro Marcelo Queiroga fez um discurso breve. Afirmou que Pazuello é “o general da vacina” e que as ações do militar foram importantes para salvar vidas na pandemia de covid-19.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

  1. Mais uma vez a bandidagem politica supera a honestidade e razão. O Gal. Pazuello, foi tragado pelos corruptos e o presidente “comeu a corda”. Lamentável!

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.