Fiuza: ‘Toque de recolher é uma experiência ditatorial’

O colunista criticou as medidas restritivas impostas por governadores e se mostrou inconformado com a ‘apatia' da sociedade
-Publicidade-
Guilherme Fiuza não está satisfeito com mais um <i>lockdown</i> imposto por governadores
Guilherme Fiuza não está satisfeito com mais um lockdown imposto por governadores | Foto: Reprodução/YouTube

Durante o programa Os Pingos nos Is, da rádio Jovem Pan, o jornalista Guilherme Fiuza criticou as medidas restritivas impostas pelos governadores dos Estados brasileiros. “Os estudos acadêmicos, realizados nos centros de pesquisa, atestaram que o lockdown não salva ninguém”, lembrou. Segundo o colunista da Revista Oeste, não há como os governantes provarem a eficácia do isolamento social rígido, visto que o novo coronavírus se espalha normalmente por asilos, estabelecimentos e residências. “O distanciamento social, o controle por meio de higienização — esses tipos de medidas inteligentes, que foram proibidas — é que funcionam”, afirmou Fiuza. De acordo com o jornalista, a decisão dos governadores de proibir o funcionamento dos comércios e a circulação das pessoas é um movimento político, sem base científica. “Onde está a equação direta entre a progressão da pandemia e a eficácia das medidas de trancamento? Não existe. Eles não têm como provar”, asseverou. Por fim, Fiuza classificou o toque de recolher como um “escândalo”. “As ruas estão tomadas por pelotões armados, por guardas com cacetetes maiores que um taco de beisebol, empurrando as pessoas para dentro de casa. Não pode andar ninguém [na rua]”, criticou. “Mas, durante o dia, as pessoas estão dentro dos ônibus, juntas, e tudo bem [para os governadores]. Como essa sociedade apática assiste a isso e aceita uma coisa dessas?”, perguntou o jornalista. “Essa é uma experiência ditatorial”, concluiu.

Leia também: “Secretária de Doria sugere que o isolamento salva vidas”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 comentários

    1. Isso já foi feito há quase dois anos! Ele não manda em nas próprias cuecas mais! Foi o preço de manterem a michele e o filho fora das grades… Telhado de vidro todos eles tem! Não tem santo na política!

  1. O Fiuza é um dos mais aguerridos comentaristas da atualidade, vai no cerne da questão amparado pelo escudo da verdade. Tem razão em tudo que afirmou. É bom termos jornalistas desse quilate para que não caiamos no conto do vigário e no outro dia acordemos como numa Venezuela.

  2. Eu tbm acho esse Tóqui de recolher um abisurdo, pois não inpede nada, agora é uma vergonha pra um país chamado Brasil não tê se precavido pra uma catástrofe como essa, sabendo que já teve várias outras epidemia que matou muita gente, aí não poderiam tê em mente que poderá vim algo pior não? Se não for jesus pra nós socorre ! .

  3. O colunista tem que entender que o povo brasileiro é pacífico, e está totalmente desarmado. As polícias estaduais estão muito bem equipadas com todo tipo de artefatos de uso em casos de qualquer reação por parte do cidadão. Quem tem que resolver essa situação é o presidente Jair Messias Bolsonaro através de uma intervenção federal para acabar com a total subversão cometida contra a Constituição Federal. O povo no ano passado realizou centenas de carreatas, e manifestações em todo o país.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.