Fux defende pedido do STF para reservar vacinas

Ministro disse que solicitação seria atendida dentro das possibilidades e depois da imunização dos grupos prioritários
-Publicidade-

Ministro disse que solicitação seria atendida dentro das possibilidades e depois da imunização dos grupos prioritários

Luiz Fux
Presidente do STF, Luiz Fux | Foto: Nelson Jr./SCO/STF
-Publicidade-

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, defendeu nesta quarta-feira, 23, o pedido feito pela Corte à Fundação Oswaldo Cruz para reservar 7 mil doses da vacina contra a covid-19 para imunizar ministros e servidores.

Em 30 de novembro, o diretor-geral do Supremo, Edmundo Veras dos Santos Filho, fez a solicitação, que foi negada pela Fiocruz. A fundação afirmou não caber a ela “atender a qualquer demanda específica” e que a produção é destinada “integralmente” ao Ministério da Saúde.

Leia mais: “Vacina da Oxford: Anvisa certifica fábrica de insumos”

Em entrevista à TV Justiça, Fux explicou que o pedido seria atendido apenas dentro das possibilidades e depois da imunização dos grupos prioritários.

“Nós fizemos, de forma educada e ética, um pedido dentro das possibilidades quando todas as prioridades forem cumpridas”, destacou o presidente do STF.

Para ele, apenas a vacinação garante aos servidores dos tribunais superiores meios para trabalhar em meio à pandemia.

“Nós também temos que nos preocupar para não pararmos as instituições fundamentais do Estado, nem o Executivo, nem o Legislativo, nem o Judiciário, normalmente integrados por homens e mulheres que já têm uma certa maturidade”, afirmou Fux.

O Superior Tribunal de Justiça fez um pedido semelhante ao do STF, que também foi negado pela Fiocruz.

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

7 comments

  1. não foi solicitado a vacina da Pfizer e sim da Fiocruz, que está elaborando a da Oxford… ou seja, as duas únicas que já estariam “prontas” não foram escolhidas mas foram destinadas ao povo, igual brioche.

  2. Já que a vacina é obrigatória para todos os brasileiros, Pobres ou ricos, lúcidos ou embriagados, ,por que o privilégio do Supremo de escolher o laboratório ?

  3. Realmente quem ofende o STF não são as manifestações populares chamadas antidemocráticas, são os próprios notáveis. Este senhor Fux, já fez tantas piruetas jurídicas ora para o bem ora para o mal, que fica difícil entende-lo. No passado manteve LIMINAR do auxilio moradia aos juízes, procuradores e assemelhados por 4 anos inundando de safadezas cometidas por juízes com 2 auxílios moradia como o Bretas porque a mulher também era juíza, até quando veio o aumento de seus vencimentos, suspendendo a liminar a seguir. Recentemente em sua posse tomou atitudes elogiadas por todos, para acabar com as medidas monocráticas que vem paralisando o pais. Agora, apoia privilégio às Cortes para reserva de vacinas.
    Bom, mas e aquele tal de Marco Aurélio Mello que recentemente libertou o narcotraficante internacional, chefe do PCC André do Rap, sem tornozeleira, e agora critica o privilégio solicitado pelas Cortes a Fiocruz, para reserva de vacinas.
    E aquele tal do Fachin, que homologou aquela ridícula, fajuta e forjada delação PREMIADÍSSIMA da JBS contra o governo Temer para derruba-lo. Não conseguiu, porque fajuta, mas evitou a aprovação da reforma da previdência em Maio/2017, provavelmente já com essa intenção e não a de derrubar Temer, que é muito mais hábil que ele. Pois é este senhor passa para grande público como aquele que pune severamente os corruptos. Recentemente desiquilibrou-se e inocentou Lula, lamentando a decisão de afasta-lo das eleições de 2018.
    E a tal da Carmem Lucia então, aquela que levou Caetano Veloso e seu violãozinho para cantar o hino nacional quando tomou posse na presidência do STF. Bom, esta senhora demonstrando seu largo conhecimento de aritmética decidiu que a REDUÇÃO da jornada de trabalho dos servidores públicos é constitucional, mas sem a REDUÇÃO de salários. Alguém entende esse raciocínio em momento de tão grave desequilíbrio fiscal nesta pátria amada?
    E o iluminado Barroso, com poderes superiores aos demais notáveis, pois, presidente do TSE, grava lives com Felipe Neto na busca de melhorar seu notável saber da ciência da comunicação, contra as fake news, ambos notadamente contra o governo Bolsonaro. Muito lutou para evitar o impeachment da Dilma e defendeu na tribuna a fajuta delação da JBS. Para quem não lembra, essa delação permitia a inédita concessão ao maior criminoso financeiro do pais, sair do pais com família, bens, e outros pertences. Pois é, este senhor também quer nos passar a impressão de grande combatente a corrupção juntamente com Fachin, ambos Dilmistas. Com a sacerdotal diplomacia que lhe é própria, assim se manifestou em plenário ao ministro Gilmar: “você é uma pessoa horrível, uma mistura do mal com o atraso e pitadas de psicopatia”.
    A proposito, o próprio Gilmar Mendes o mais condenado dos atuais ministros, já nos contemplou com a suspensão da nomeação de Lula na Casa Civil da Dilma, caso contrario não teríamos o impeachment da Dilma. Já nos proporcionou com a máxima que o STF é um verdadeiro manicômio judiciário, bem como que o STF errou quando barrou em 2006, lei de 1995 que reduziria a quantidade de partidos políticos. Portanto, entre as loucuras de sucessivos habeas corpus, encontramos decisões como essas de Gilmar Mendes.
    Lewandowsky não tem o que falar, melhor esquecer para não lembrar da família Lula.
    Agora, com tantas nulidades jurídicas, falar mal de Kássio o novato indicado por Bolsonaro, é demais. Logico que eu, a maioria da sociedade e Bolsonaro preferíamos juristas como André Mendonça (ministro da justiça), Ives Gandra Martins Filho(ministro do TST), Jose Levy (adv. geral da união) e outros de elevada reputação além do notável saber jurídico. Mas não falaram que Bolsonaro não sabia conviver com o Congresso e o Judiciário, para continuar governando?
    Concluo portanto que quem mais ofende o STF são seus próprios NOTÁVEIS.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site