-Publicidade-

Gilmar ironiza: me perguntaram se maioria do STF é da Rede

Ministro admitiu que o partido tem obtido "vitórias significativas" na corte
Ministro do STF Gilmar Mendes
Ministro do STF Gilmar Mendes | Foto: Reprodução/TV Conjur

O ministro Gilmar Mendes disse nesta quinta-feira, 18, que foi questionado se a maioria dos membros do Supremo Tribunal Federal pertence ao partido Rede Sustentabilidade, fundado pela ex-senadora Marina Silva.

Ele ironizou a situação dizendo que a Rede tem obtido “vitórias significativas” na Corte, especialmente no que diz respeito às medidas sanitárias. A legenda tem apenas um deputado federal e dois senadores.

Leia mais: “Rede: o partido que faz política no Judiciário”

“Recentemente, alguém me perguntava, deputado Lira, se no Supremo Tribunal Federal a maioria da bancada era do Rede Solidariedade. Por quê? Porque o partido tem obtido vitórias significativas, neste momento, no Supremo Tribunal Federal, especialmente no que diz respeito às medidas sanitárias”, disse Gilmar Mendes. O ministro errou ao dizer “Rede Solidariedade”, o partido se chama “Rede Sustentabilidade”.

A declaração foi dada em live do portal Conjur, que contou também com a presença do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). O deputado entrou na discussão e disse ser necessário regulamentar com que representatividade um partido político pode entrar no Supremo.

“Todo momento contestam decisão de maioria de 300, 400 parlamentares no Congresso Nacional. Se não tiver um flagrante muito forte, é uma distorção do processo legislativo”, garantiu. Ele disse que a questão tem que ser debatida “até para que a democracia funcione por maioria neste país”.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

7 comentários

  1. É fake a informação. O ministro do STF Gilmar Mendes não é de ironizar alguém. Quanto mais em momento tão grave.
    Agora recebi uma notícia de que a globolixo (não assisto a anos, por principio), através de uma qualquer jornalista, parece me Maju Coutinho, disse a seu público que qto ao lockdow, O CHORO É LIVRE.
    Isto não é fake, vindo de repórteres desse grupo perdido, é conspiração contra o gado que os preferencia.
    Sequer produtos de seus anunciantes aconselho aos ouvintes preferenciarem!!!

  2. O presidente da Câmara dos Deputados está se esquecendo que pode tomar uma decisão simples e constitucional: basta recusar qualquer decisão do STF sobre essas ADINS, não aceitando interferência de outro poder em nome da harmonia dos Três poderes e ponto final. O que está faltando? CORAGEM.

  3. A Rede tem o maior despachante junto ao STF, o inútil senador pelo Amapá Randolfe Rodrigues, que votou contra todas as reformas, trabalhista, previdenciária, e pasmem contra a MP871 de combate as fraudes da previdência, o Marco legal do saneamento básico e a recente PEC EMERGENCIAL, ou seja, tudo que desde o governo Temer tem sido proposto. Profissional competente para abrir CPIs contra o Poder Executivo e arguir inconstitucionalidade (adin) das Leis aprovadas desafiando a qualidade do próprio Congresso. Tudo judicializa e tem esse sucesso no STF. Dai podemos concluir qual a qualidade dos notáveis do saber jurídico. Vale dizer, nasceu em Pernambuco mas é senador com 264.798 votos pelo Amapá, como foi Sarney do Maranhão, e já foi profissional pelo PT, PSOL e agora REDE da Marina.
    Augusto Nunes poderia nos proporcionar um artigo sobre os “feitos” desse sempre irritado inútil parlamentar.

  4. Primeiro, ministro do STF participando de “Live” com políticos e discutindo processos judiciais em trâmite é um absurdo. Depois, esses partidos nanicos usam o STF para fins políticos porque as decisões e o comportamento dos ministros incentivam essa conduta. Não dá pra dizer que o supremo foi provocado e tem que dar uma resposta. Ninguém acredita mais nisso (pelo menos uma grande parte da população). O supremo perdeu a credibilidade e a culpa é de seus integrantes. Quem é o maior prejudicado ? O País.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.