Gilmar Mendes comemora exclusão de páginas de direita pelo Facebook

Ministro aproveita para elogiar o questionável inquérito das fake news movido pelo STF
-Publicidade-
O ministro Gilmar Mendes, do STF | Foto: REPRODUÇÃO/TWITTER
O ministro Gilmar Mendes, do STF | Foto: REPRODUÇÃO/TWITTER | gilmar mendes - stf - fake news - facebook - discurso de ódio

Ministro aproveita para elogiar o questionável inquérito das fake news movido pelo STF

gilmar mendes - stf - fake news - facebook - discurso de ódio
O ministro Gilmar Mendes, do STF | Foto: REPRODUÇÃO/TWITTER
-Publicidade-

A ação promovida mais cedo pelo comando no Facebook foi criticada por internautas, que chegaram a falar em censura, conforme registrado por Oeste. Afinal, foram derrubadas páginas ligadas a movimentos considerados de direita. Uma autoridade do Poder Judiciário, no entanto, elogiou a controversa ação promovida pela rede social.

Leia mais: “Youtuber olavista é censurado e deve perder canal

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes se manifestou em apoio à empresa de mídia digital que controla o Facebook e o Instagram. Por meio de outra rede social, o Twitter, o magistrado pontuou que a atitude culminou na derrubada de contas que, de acordo com ele, ajudavam a disseminar notícias falsas. E aproveitou, assim, para enaltecer o trabalho da Corte.

“Demonstra a relevância do trabalho desenvolvido no chamado inquérito das fake news

“A derrubada pelo Facebook de perfis envolvidos na divulgação de fake news demonstra a relevância do trabalho desenvolvido no chamado inquérito das fake news“, publicou Mendes. A investigação mencionada pelo ministro não é, entretanto, unanimidade no meio jurídico brasileiro. Antes de ser validado pelo próprio STF, o trabalho foi criticado por juristas.

Disseminação de ódio

“Disseminar o ódio e incentivar ataques às instituições do país são atitudes que não podem ser toleradas em uma democracia”, prosseguiu o integrante do STF, que não utilizou as redes sociais para criticar o artigo publicado pelo jornal Folha de S. Paulo em que um colunista diz torcer pela morte do presidente da República, Jair Bolsonaro.

“Normalmente não trabalha com a verdade”

Gilmar Mendes também não tocou no assunto de que ele próprio já foi publicamente acusado de disseminar mensagens de ódio. E o acusador não emergiu de nenhuma página de rede social. Em plena sessão plenária do STF em outubro de 2017, o ministro Luís Roberto Barroso disparou críticas ao colega de tribunal. De acordo com ele, Mendes “normalmente não trabalha com a verdade”. “[Destila] ódio constante”, complementou Barroso na ocasião.

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

5 comments

  1. “Disseminar o ódio e incentivar ataques às instituições do país são atitudes que não podem ser toleradas em uma democracia”. Não sei quais páginas foram “canceladas” e nem qual o seu conteúdo mas se se trata daquelas que tecem comentários sobre a inépcia das excelências brasileiras, pergunto: não seria a crítica parte constante de uma democracia em desenvolvimento? Se sim, qual a motivação por trás da comemoração do egrégio juiz?

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site