-Publicidade-

STF sem férias: Gilmar Mendes solta um dos maiores doleiros do país

É a segunda vez que o ministro do STF liberta Yasha
O ministro Gilmar Mendes, do STF | Foto: Divulgação
O ministro Gilmar Mendes, do STF | Foto: Divulgação | gilmar mendes - stf - doleiro yasha

É a segunda vez que o ministro do Supremo lhe concede ‘habeas corpus’

gilmar mendes - stf - doleiro yasha
O ministro Gilmar Mendes, do STF | Foto: Divulgação

O doleiro Chaaya Moghrabi permaneceu menos de um dia na prisão — isso mesmo: menos de um dia. Preso pela Polícia Federal (PF) em Angra dos Reis (RJ) na manhã da última sexta-feira, 18, o doleiro foi agraciado com decisão favorável do Supremo Tribunal Federal (STF) horas depois. Na Corte, o ministro Gilmar Mendes concordou com a argumentação da defesa e concedeu habeas corpus.

Leia mais: “STF retira trecho da Lei da Ficha Limpa”

Essa foi a terceira vez que Yasha, como o doleiro é conhecido, chegou a ser detido. E foi a segunda vez, também, que foi solto, graças a uma decisão de Mendes. No primeiro caso, em março de 2019, o magistrado resolveu substituir a detenção por pagamento de fiança. Posteriormente, o doleiro chegou a ser detido no Uruguai, mas, segundo o site da CNN Brasil, fugiu.

Yasha é considerado um dos maiores doleiros do país. Conforme denúncia do Ministério Público, ele teria movimentado cerca de R$ 240 milhões num intervalo de seis anos, em meio a esquema que teria ficado ativo de 2011 a 2017.

Argumentos

Órgão responsável pela expedição do terceiro mandado de prisão contra Yasha, a Justiça Federal do Rio de Janeiro relembra os episódios anteriores. Além disso, ressalta o fato de ele ter obstruído a Justiça ao se recusar a entregar um aparelho celular a agentes da PF durante operação realizada em novembro. Na ocasião, joias foram apreendidas na casa do doleiro em São Paulo.

“O juízo de origem tenta reintroduzir esse argumento de forma ilegítima”

Mais do que conceder habeas corpus a Yasha, o ministro do STF criticou a mais nova decisão da esfera fluminense da Justiça federal. “Nessa terceira decretação da prisão preventiva, o juízo de origem tenta reintroduzir esse argumento de forma ilegítima, ao assentar que o reclamante teria permanecido foragido, de forma indevida”, escreveu Mendes em trecho do seu parecer favorável ao doleiro.

→ Análise, por J. R. Guzzo: “Gilmar Mendes, o presidente do Poder Judiciário”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

19 comentários

  1. Aos repórteres investigativos, vão atrás do escritório de advocacia que defendeu o doleiro e façam uma investigação, não será diferente do escritório que soltou André do rap. A formação do STF hoje deve ser a mais vergonhosa da história da instituição, jogaram no lixo os nomes dos ministros que passaram por lá.

    1. Rogério, pelo que tenho visto das decisões do SSTF ultimamente, não são ministros do supremo, são funcionários das bancas de advogados.

  2. Infelizmente tudo isso ocorre sob os olhos complacentes da sociedade brasileira. Enquanto aceitarmos isso, haverá Gilmar, Lewandowisk, Barroso, Toffoli e cia.

  3. É incrível a capacidade de argumento deste ministro, pra ele não existe crime, ou esse cidadão está envolvido em coisas obscuras por não poder ser investigado ou
    pode estar tendo vantagens, não é possível ele acreditar que todos são inocentes, toma essas medidas que deixa a gente perplexa. E tem resposta pra tudo. Será que só ele está certo ou a Polícia, MP, investigadores estão errados?

  4. Gilmar sabe provavelmente com quem pode contar.
    É feita uma constituição corporativista, bandida, em em 32 anos de existência o resultado é este. Nenhum artigo obriga as FFAA a tomar qualquer atitude!!!.
    Este é o presente Natal para o povo endêmico. Subjugado por todos os algozes que administraram essa bagaça pós sumiço de tancredo neves.
    Joáo Figueiredo vaticinou que em 20 anos a república de bananas estaria no fim do poço, por obra e honra dos comunistas, que ao longo do período se transvestiriam de sociais-democre atas ou algo pior.
    E aí conhecemos o MENSALÃO, as peripécias de Joaquim Barbosa, que viria a declarar voto a Dilma e liberdade a Césare Baptista. Apenas coincidências.
    Nenhum dos 11 presidentes da república indicados pela esquerda se candidatariam pois seriam execrados pelo povo, pois não nos parecem bons exemplos. Mas se o senado federal não os submete ao escrutínio, qual açào democrática cabe ao povo?
    Ir às ruas repetir o feito de 2.013, quando em 5 anos acabamos com o conluio entre os 3 poderes.
    A prestação de contas com esse congresso traidor é iminente, pela PRISÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA E FIM DO FORO PRIVILEGIADO, única forma de apartar o legislativo dessa trama sórdida.
    A reediçäo da MARCHA DAS FAMÍLIAS não está garantida pelos 57 generais classificados nos governos esquerdopatas, parece.

  5. Mas deve ter sido um belo presente de Natal que o Laxante Mendes recebeu desse doleiro, hein?? Não tem como ser mais descarada a corrupção que assola essa pocilga conhecida por stf.

  6. Nunca fui a favor de intervenção militar, mas quando o órgão que deveria zelar pela Constituição vive rasgando-a, e quando um dos Poderes, o Executivo não tem o mínimo de independência para governar, vejo que não tem jeito para esse país. Acho que o presidente tem que ser homem para intervir com as forças armadas, prender todos os criminosos que se escondem no judiciário e congresso, promover outra constituinte e fazer este país andar. Doa a quem doer, sem se preocupar com opiniões do resto do mundo.

    1. Eu também concordo, José Campos, porém acredito que o Presidente não tem apoio do alto comando das Forças Armadas.
      Senão ele não iria aturar tanta coisa. Não sem um excelente motivo.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.