Governador impõe ‘lockdown’ noturno no DF

Ibaneis Rocha afirma que a medida ajudará a conter os casos de covid-19
-Publicidade-
Governador do DF, Ibaneis Rocha apostou em estratégias ineficazes
Governador do DF, Ibaneis Rocha apostou em estratégias ineficazes | Foto: Valter Campanato

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), anunciou que vai endurecer as medidas de restrição a partir da segunda-feira 1° de março. O lockdown noturno se iniciará às 20 horas e vai até as 5 da manhã. Nesse período, somente as atividades consideradas essenciais poderão funcionar. “Queria muito evitar essa decisão, mas não temos outra opção a não ser tomar medidas mais fortes. Nossa taxa de ocupação dos leitos já está em 92%”, escreveu Ibaneis, no Twitter, na quinta-feira 25. Para frear o avanço da covid-19, a vacinação de idosos entre 76 e 78 anos começa hoje.

Ibaneis não é único a impor o confinamento radical. Os governadores João Doria (PSDB-SP), Camilo Santana (PT-CE) e Rui Costa (PT-BA) também optaram pelo lockdown noturno. Reportagens publicadas pela Revista Oeste mostram que o isolamento social não reduz as infecções por coronavírus mas sim matam mais que a covid-19. O banco J. P. Morgan, por exemplo, publicou um estudo no ano passado informando que fechar a economia é mais danoso que o patógeno. Entre outras doenças surgidas durante o isolamento está a depressão.

Leia também: “O fracasso do lockdown”, reportagem publicada na Edição 45 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.