Governo articula com Centrão e bancada evangélica a nova Lei do Gás

Estratégia do governo é conseguir apoio de deputados evangélicos e do Centrão para evitar alterações na reforma do setor de gás natural. Proposta encontra resistência por parte da oposição
-Publicidade-
Deputado federal Silas Câmara (Republicanos-AM)
Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
Deputado federal Silas Câmara (Republicanos-AM) Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados

Estratégia do governo é conseguir apoio de deputados evangélicos e do Centrão para evitar alterações na reforma do setor de gás natural. Nova Lei do Gás encontra resistência por parte da oposição

silas câmara - deputados evangélicos - bancada evangélica - centrão - nova lei do gás
Deputado federal Silas Câmara (Republicanos-AM) é o presidente da bancada evangélica e relatou a proposta na Comissão de Minas e Energia | Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
-Publicidade-

O governo vai fazer o possível para aprovar a nova Lei do Gás sem mudanças. A articulação política e técnicos da equipe econômica trabalham o convencimento não apenas de líderes partidários e lideranças mais afeitas à agenda liberal. O Executivo também engatou conversas com a bancada evangélica e o Centrão.

A estratégia em trazer a bancada evangélica para dentro do debate tem explicação. Ainda que os parlamentares da frente parlamentar se sintam esquecidos pelo Executivo e, portanto, estejam ressentidos, o Palácio do Planalto sabe que a pauta é do interesse do presidente da bancada, deputado Silas Câmara (Republicanos-AM).

A redação atual do Projeto de Lei (PL) 6407/2013, a nova Lei do Gás, é uma relatoria do próprio Câmara. O presidente da bancada evangélica foi o relator e, também, o presidente da Comissão de Minas e Energia quando a matéria foi aprovada. Mas o parlamentar não é o único com quem o governo busca, agora, convencer.

Convencimento

O presidente nacional do Republicanos e vice-presidente da Câmara, Marcos Pereira (SP), é outro que o governo busca convencer. Bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, Pereira é, também, pré-candidato à presidência da Câmara em 2021. A aprovação da matéria, aborda o governo, vai baratear o custo da energia elétrica, um dos maiores custos de templos religiosos em todo o país.

Outro grupo que o governo articula é o Centrão. Sabe-se que não será uma articulação simples, unicamente por serem da base. Os principais opositores da nova Lei do Gás são parlamentares ligados aos governadores. Afinal, a abertura do mercado pode impactar nas receitas dos estados. O líder do Centrão, Arthur Lira (PP-AL), terá o trabalho de mobilizar os demais partidos a apoiar uma pauta que tende a sofrer resistência nas bases.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.