Guedes: ‘Ninguém chama o presidente da Argentina de genocida’

'Às vezes, há excesso de alguns atores, mas as instituições continuam avançando', disse o ministro da Economia
-Publicidade-
Paulo Guedes, ao lado de Jair Bolsonaro; ministro da Economia lamentou os ataques ao presidente
Paulo Guedes, ao lado de Jair Bolsonaro; ministro da Economia lamentou os ataques ao presidente | Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, criticou nesta quinta-feira, 12, o que classificou como “excesso” nas críticas e ataques ao presidente Jair Bolsonaro. Durante uma audiência na Câmara dos Deputados, o comandante da equipe econômica fez uma comparação entre o tratamento dado a Bolsonaro e ao presidente da Argentina, o peronista Alberto Fernández.

“Tem gente morrendo na Argentina, aqui do lado, muito mais, e ninguém chama o presidente da Argentina de genocida. Então, às vezes, há excesso de alguns atores, mas as instituições continuam avançando”, disse Guedes aos parlamentares. “A mídia está revendo as críticas que faz, as construtivas e as destrutivas. O Executivo também. Quando algum ator comete um excesso, tem de reavaliar.”

Assista: “Uma Pergunta para J.R. Guzzo: O presidente Bolsonaro é um fascista, genocida?”

-Publicidade-

Segundo o ministro da Economia, é preciso haver um diálogo institucional respeitoso entre os Três Poderes da República. “Quando um desrespeita o outro, o outro devolve e entramos em uma escalada”, afirmou Guedes.

Apesar das ponderações, o ministro demonstrou confiança na democracia brasileira, que é “resiliente”, segundo ele. “Falta um ano para as eleições. Apesar desse nervosismo todo, vamos chegar lá.”

Leia também: “Guedes afirma que se pagar R$ 90 bi em precatórios vai ‘explodir’ lei de responsabilidade”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários

  1. Seria muita ingenuidade não prever os os óbitos no Brasil. Se fôssemos mais honestos já teríamos admitido que muito da contaminação se deu por negligência da própria população. Porém esse circo da CPI da Covid, politizada pela esquerda e injusta, quer criminalizar as tentativas desesperadas de se usar medicamentos extra oficiais. Nos tempos de contaminação do HIV e AIDS até chá verde era tudo como prática de CURA.

  2. esse povo da esquerda(filhos de satanás) onde quer que estejam posicionados(midia, universidades, escolas, judiciário legislativo e executivo dos estados e municípios, etc) estão numa histeria e atitudes malignas que evidenciam que estamos chegando naquele tempo em que se diz: ai da terra e do mar porque satanas desceu até voz com grande ira porque pouco tempo lhe resta… ou seja: estão numa maldade ousada e audaz.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro