Líder do governo explica como atuarão especialistas da assessoria técnica

Técnicos serão o elo entre a liderança do governo com os ministérios, vice-líderes, consultorias e relatores. Tendência é que trabalho deixe o deputado Vitor Hugo (PSL-GO) mais livre para fazer o trabalho 'corpo a corpo' com os líderes partidários
-Publicidade-


Oeste mostrou que a liderança do governo na Câmara estruturou uma equipe técnica para aprimorar a execução da articulação política na Casa. Em conversa com o líder do Executivo, Vitor Hugo (PSL-GO), ele detalha como esses profissionais ajudarão no dia a dia, a começar pela produção de notas das principais medidas em tramitação.

-Publicidade-

Todas as medidas publicadas ou protocoladas vão passar a ser detalhadas de forma minuciosa e específica para Vitor Hugo. Isso vai ajudá-lo na articulação política na medida em que ele despenderá menos tempo destrinchando ponto a ponto as propostas e assim poderá se dedicar mais ao “corpo a corpo” junto aos parlamentares.

As notas técnicas valerão para todas as matérias — medidas provisórias (MPs), projetos de lei, portarias e decretos. Pequenas descrições serão feitas e divididas entre vice-líderes do governo. “Cada um deles tem um conjunto de matérias para se dedicar. E eu também divido essas matérias por esses assessores de modo que produzam o resumo e, depois, mantenham contato com os vice-líderes cobrando articulações do que fará para a pauta avançar”, explica Vitor Hugo.

Os técnicos também auxiliarão na comunicação social. Vitor Hugo planeja usar os conteúdos em seus discursos no plenário e em entrevistas aos jornalistas. “Além de me ajudarem a dar celeridade às matérias com os vice-líderes, quando chegarem ao plenário, eles vão me auxiliar a montar as estratégias e destaques”, ressalta.

Estratégias

Além da parte de conteúdo, os técnicos serão o elo da liderança do governo com a parte técnica dos ministérios, das consultorias legislativa e de Orçamento da Câmara. O objetivo é possibilitar a troca de informações e deixar “redondas” as notas técnicas. Eles também acompanharão as interações da articulação com os relatores de matérias estratégicas do governo. A meta é identificar os pontos essenciais a ser mantidos e defender a retirada do que for necessário.

O ideal, defende Vitor Hugo, é fortalecer as estratégias montadas para o plenário. “A presença desses técnicos é importante na liderança do governo porque eles são o elo entre a liderança do governo e os ministérios, consultarias e relatores. E isso aproxima e ajuda o governo a emplacar nossas teses com maior fidedignidade naquilo que é votado na Câmara. E ajuda o país na medida em que ajuda o governo”, sustenta.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site