Live de Bolsonaro no YouTube e no Facebook é interrompida depois de o presidente defender a ivermectina

Antes de o vídeo sair do ar, o chefe do Executivo dizia que toma o medicamento como forma de enfrentar o coronavírus
-Publicidade-
Foto: Reprodução/YouTube
Foto: Reprodução/YouTube

A transmissão que o presidente Jair Bolsonaro faz às quintas-feiras “caiu” ontem depois de o chefe do Executivo defender o tratamento precoce. No momento em que o sinal saiu do ar, Bolsonaro dizia que ainda toma a ivermectina como forma de prevenir a covid-19.

“É crime falar em tratamento inicial no Brasil. Ano passado, me senti mal e tomei um negócio aí para a malária e me curei no dia seguinte” afirmou. “Eu, talvez, tenha sido reinfectado nos últimos dias, semanas, de vez em quando tomo ivermectina”, relatava o presidente, quando a live sumiu.

Uma tela preta tomou conta das duas plataformas, o que intrigou os internautas, já que um mesmo conteúdo não é interrompido de maneira simultânea no Facebook e no Youtube. O vídeo ainda pode ser encontrado nos canais que o presidente mantém nas plataformas.

-Publicidade-

Antecedentes

Em julho, o YouTube removeu vídeos de Bolsonaro, incluindo lives do presidente por supostamente violar políticas de informações sobre a covid-19, justamente por mencionar a hidroxicloroquina e a ivermectina no enfrentamento da doença. A plataforma entendeu que a abordagem de Bolsonaro pode apresentar “sérios riscos de danos significativos.”

Leia também: “Quem está falando sozinho?”, artigo de J.R. Guzzo publicado na Edição 78 da Revista Oeste

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.