-Publicidade-

Lula admite que PT pode não ter candidato em 2022

Ex-presidente afirmou que legenda pode entrar com vice em chapa, desde que aliado mostre ser maior que "a grandeza conquistada pelo partido" nas urnas.
Lula acredita que PT tem "grandeza que ganhou nas urnas" | Foto: André Dusek/Estadão Conteúdo
Lula acredita que PT tem "grandeza que ganhou nas urnas" | Foto: André Dusek/Estadão Conteúdo | lula, pt, candidatura, eleições 2022, jair bolsonaro, pandemia, impeachment

Ex-presidente afirmou que legenda pode entrar com vice em chapa, desde que aliado mostre ser maior que “a grandeza conquistada pelo partido” nas urnas

lula, pt, candidatura, eleições 2022, jair bolsonaro, pandemia, impeachment
Lula acredita que PT tem “grandeza que ganhou nas urnas” | Foto: André Dusek/Estadão Conteúdo

Em entrevista nesta quinta-feira, 20, ao programa Tertúlia, da TV Democracia, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu que o Partido dos Trabalhadores pode não ter candidato a presidente em 2022.

“É plenamente possível que o PT não tenha candidato à Presidência. O PT pode ter candidato a vice. O PT pode ser candidato a outra coisa. Isso é plenamente possível”, declarou.

Contudo, antes que fosse possível comemorar, completou:

“É preciso ter um candidato que tenha habilidade de tratar os partidos com o respeito que os partidos merecem. Não adianta querer brigar com o PT. Não podem querer que o PT abra mão dessa grandeza que o povo lhe deu (nas urnas) a troco de nada. Ou apresenta um candidato maior do que o PT ou não tem chance”.

Lula também afirmou que vai perseguir o procurador Deltan Dallagnol até que ele seja condenado, por, segundo ele, persegui-lo e, com a ajuda do ex-ministro Sergio Moro, condená-lo “sem provas”.

O ex-presidente também afirmou que apesar de não ter culpa pelo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro tem culpa na má condução do combate ao vírus no país:

“Ele deveria ter reunido um comitê de cientistas e realizado reuniões com os Estados e com os secretários municipais”, palpitou.

De acordo com o petista, dificilmente, porém, Bolsonaro sofrerá impeachment. Não apenas porque não há pressão popular para tirá-lo — “com a pandemia, ninguém pode ir às ruas”, dá como desculpa o ex-presidente —, mas também porque os deputados não têm interesse em votar nenhum pedido de impedimento, como já deixou claro o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Ainda assim, Lula afirma que seu partido trabalha agora num plano de governo alternativo, que mostre saídas à gestão atual para as dificuldades causadas pela pandemia. Aparentemente esquecendo que a União já vinha consertando as dificuldades deixadas pelos anos de PT anteriores à eleição de Bolsonaro.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês