Mandetta diz que “travamento absoluto” é péssimo para a saúde

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse nesta terça-feira, 24, que o "travamento absoluto" do Brasil é péssimo para a saúde. Segundo ele, restrições duras demais para evitar a propagação do coronavírus podem afetar, por exemplo, a logística e distribuição de produtos médicos.
-Publicidade-
Mandetta não acatou recomendação de entidade médica | Foto: Marcos Corrêa/PR
Mandetta não acatou recomendação de entidade médica | Foto: Marcos Corrêa/PR

Segundo ele, alguns governadores já estão vendo que, “em alguns casos, aceleraram, passaram do ponto”

-Publicidade-

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse nesta terça-feira, 24, que o “travamento absoluto” do Brasil é péssimo para a saúde.

Segundo o ministro, restrições duras demais para evitar a propagação do coronavírus podem afetar, por exemplo, a logística e a distribuição de produtos médicos.

Mandetta afirmou ainda que alguns governadores já estão vendo que, em alguns casos, “passaram do ponto”.

“Esse travamento absoluto do país para a saúde é péssimo. Eu continuo precisando de pré-natal. Tem médico fechando consultório. Daqui a pouco, eu estou lá cuidando de um vírus e cadê o meu pré-natal? Cadê o cara que está fazendo a quimioterapia? Cadê o pessoal que está precisando fazer o diagnóstico? Cadê as clínicas de ultrassom?”, disse ele.

As declarações foram dadas em videoconferência com o presidente Jair Bolsonaro e governadores do Centro-Oeste e do Sul.

 

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.