Ministério da Mulher tem 3 dias para explicar denúncias de abuso contra crianças

Fala foi da ex-ministra Damares Alves, que foi eleita senadora pelo Distrito Federal
-Publicidade-
Ex-ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos Damares Alves | Foto: Douglas Gomes
Ex-ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos Damares Alves | Foto: Douglas Gomes

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) tem três dias para detalhar todas as denúncias recebidas pelo órgão, nos últimos sete anos, que envolvem tráfico de crianças e estupro de vulnerável na Ilha de Marajó, no Pará. O pedido foi feito pela Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC).

“A manifestação da ex-ministra foi recebida com preocupação e perplexidade, em especial porque pode se tratar de informações sigilosas às quais teve conhecimento em razão do cargo público então ocupado”, declarou no ofício Carlos Alberto Vilhena, procurador federal dos Direitos do Cidadão.

O procurador ainda pede que a atual ministra da pasta, Cristiane Britto, faça uma lista com o número de registro, o procedimento no Sistema Eletrônico de Informações e as íntegras de cada caso, inclusive com o encaminhamento dado pela pasta.

-Publicidade-

Vilhena também destacou que a PFDC é vinculada ao Ministério Público Federal, responsável por cuidar no âmbito extrajudicial pelo respeito aos direitos dos cidadãos, principalmente nos grupos socialmente vulneráveis, como as crianças e os adolescentes.

Na segunda-feira 10, alguns membros do Ministério Público Federal (MPF) do Pará encaminharam um pedido à secretária-executiva da pasta acerca da fala da senadora eleita. Além dos casos descobertos pelo ministério, o MPF solicitou que o órgão informe as providências que tomou ao descobrir os casos.

Durante um culto na igreja Assembleia de Deus, no sábado 8, Damares afirmou que crianças de 3 e 4 anos foram traficadas na Ilha de Marajó. Além disso, que ainda tiveram os dentes arrancados para “não morderem na hora do sexo oral”.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

16 comentários Ver comentários

  1. A MINISTRA JÁ DECLAROU QUE FORAM TOMADAS AS MEDIDAS LEGAIS NECESSÁRIAS. MAS, COMO É ÓBVIO, E QUALQUER ESTUDANTE NO INÍCIO DE SEU CURSO DE DIREITO SABE, AS INVESTIGAÇÕES DEVEM SER SIGILOSAS, ATÉ PARA QUE NÃO SE PONHA EM RISCO A VIDA DAS CRIANÇAS ABUSADAS, DE SEUS PAIS OU RESPONSÁVEIS OU DE SEUS DEFENSORES! OU SERÁ QUE EXISTE ALGUÉM TÃO INGÊNUO QUE ACREDITE ESTAREM OS CRIMINOSOS COM MEDO DAS APURAÇÕES OU ARREPENDIDOS ?????????? CRIMINOSOS DESSE GÊNERO SÃO, ALÉM DE ATREVIDOS, AINDA MUITO BEM ARMADOS E RELACIONADOS! DINHEIRO NÃO LHES FALTA.

  2. “Informações sigilosas?” Esse procurador só pode estar brincando com a nossa cara.Num caso escabroso como esse, denunciado pela ministra,qualquer sigilo só pode ser entendido como a tentativa de acobertar criminosos.Será que tem muita gente graúda envolvida?

  3. Damares já havia dado depoimento no Congresso na comissão de cidadania, onde detalhou aos parlamentares o aumento de estupros de bebes!!! Isto ocorreu há um bom tempo e quase nada foi aprimorado, como leis bem pesadas para estes assassinos cruéis! Deveriam receber um castigo similar, empalamento seria razoável.

  4. Ao invés de investigar, que seria a obrigação, eles querem explicações.
    Queremos investigações competentes e imparcialidade total. Queremos resultados das ações e responsáveis presos.

    1. MPF aparelhado e fazem vistas grossas pra todas essas mazelas que acometem a população a população menos favorecidas da região. Querem politizar um assunto que já teve documentários televisivos e reportagens sobre isso. Preferem ficar em seus gabinetes com cafezinho da hora e não querem se sujar. VERGONHA!!

  5. Vejamos: houve tráfico de crianças, abusos hediondos e terríveis, e nada foi feito? Dada a gravidade dos fatos, suponho que tudo tenha sido encaminhado ao Ministério Público e à Policia Federal no mesmo instante em que a ministra teve ciência. Mas nada foi feito. Provavelmente porque há gente graúda envolvida, com muito dinheiro rolando no submundo da pornografia infantil. Agora esses nobres doutores se fazem de rogados e pedem esclarecimentos daquilo que já estavam carecas de saber…

    1. Melhor se informar antes de criticar, a Damares já esclareceu que as denúncias são remetidas aos órgãos competentes para investigação, inclusive ao próprio MPF, que se faz de tonto….

  6. A ministra faz a denúncia e a estão culpando?? Cadê o ministério público que não investiga nada??? QUAIS OS PODEROSOS ESTÃO ENVOLVIDOS COM ESSES CRIMES??

  7. Tem três dias, tem cinco dias tem sei lá quantos dias. Ao invés desses prazos, por que não mandam investigar. Eu estou seguro de que os generais, os almirantes, os brigadeiros da mais alta patente não aceitarão bater continência para o larápio do Luladrão.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.