Ministério Público do Trabalho pede afastamento de Sérgio Camargo

Presidente da Fundação Palmares é acusado de suposto assédio moral, perseguição político-ideológica e discriminação
-Publicidade-
Sérgio Camargo pode ser afastado da presidência da Fundação Palmares
Sérgio Camargo pode ser afastado da presidência da Fundação Palmares | Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

O Ministério Público do Trabalho (MPT) entrou com ação civil pública na Justiça pedindo o afastamento imediato do presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, acusado de suposto assédio moral, perseguição político-ideológica e discriminação. A ação foi protocolada na última sexta-feira, 27, perante a 21ª Vara do Trabalho de Brasília.

A Procuradoria pede que Camargo seja condenado a pagar R$ 200 mil por danos morais. Além disso, requer que a Fundação Palmares “não permita, submeta ou tolere a exposição de trabalhadores a atos de assédio moral praticados por qualquer de seus gestores”.

Inicialmente, a informação foi revelada no último domingo, 29, pelo Fantástico, da TV Globo, que teve acesso ao depoimento de 16 pessoas, entre elas ex-funcionários, servidores públicos concursados, comissionados e empregados terceirizados do órgão.

-Publicidade-

Reação

Pelo Twitter, Camargo reagiu à denúncia.

Leia também: “Como é ser liberal na periferia”, artigo de Alessandro Santana, do Canal do Negão, publicado na Edição 62 da Revista Oeste

Telegram
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro