-Publicidade-

MP da privatização da Eletrobras virá com ‘golden share’, diz Arthur Lira

Presidente da Câmara entende que a medida já está ‘madura’ para discussão e votação
O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, pretende avançar com a MP da privatização da Eletrobras
O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, pretende avançar com a MP da privatização da Eletrobras | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), adiantou nesta terça-feira, 23, que a Medida Provisória (MP) da privatização da Eletrobras virá com golden share — ação de classe especial que garante à União poder de veto em questões estratégicas —, além de uma democratização de gestão e injeção de capital. No entanto, ao comentar sobre possíveis privatizações que estão na agenda da Câmara, o parlamentar reforçou que o foco da Casa nos próximos dois meses será a votação de reformas. “Nós devemos isso ao país”, afirmou. Sobre a privatização da Eletrobras, Lira declarou, em entrevista dada ao jornal Valor Econômico, não se importar com o fato de a Medida ser votada primeiro no Senado. De acordo com o parlamentar, isso garante uma tramitação mais rápida para o projeto. O presidente da Câmara elogiou, ainda, a postura do governo federal, por ter chamado os líderes da Câmara e do Senado para “destrinchar” a medida. Para ele, tanto a privatização da Eletrobras como a dos Correios são medidas que estão “maduras” para discussão e votação. “Eu não acredito que será do dia pra noite”, disse, sobre a votação dos projetos. “Terá um prazo de acomodação, como todos os auxílios dos órgãos de fomento, como BNDES e outros, para fazer um desenho mais correto de como será feito em médio e longo prazo. Mas tem que ser feito”, concluiu.

Leia também: “Líder do Novo na Câmara dos Deputados quer avançar com reformas”

Com informações do Estadão Conteúdo

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês