MP pede ao TCU afastamento de responsáveis por execução de emendas do relator

Plenário do STF manteve a decisão da ministra Rosa Weber que suspendeu o pagamento destas emendas
-Publicidade-
Vista da fachada do prédio do Tribunal de Contas da União | Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado
Vista da fachada do prédio do Tribunal de Contas da União | Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

O subprocurador-geral do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União, Lucas Rocha Furtado, pediu nesta sexta-feira, 12, que a Corte de contas identifique e afaste temporariamente os servidores responsáveis pela execução das emendas do relator no governo federal.

Na quarta-feira 10, o plenário do Supremo Tribunal Federal manteve a decisão da ministra Rosa Weber que suspendeu o pagamento destas emendas até o julgamento de mérito da questão, o que não tem data para ocorrer. O entendimento majoritário do tribunal é que não há transparência na destinação destes recursos.

-Publicidade-

Furtado afirma que caberia ao Poder Executivo seguir princípios constitucionais, como o da impessoalidade, ao liberar os recursos via emendas do relator, além de fixar critérios para priorizar e divulgar sua execução. Segundo o subprocurador, os responsáveis pela execução foram “omissos” no caso.

O subprocurador aponta “grave falha” na execução das emendas, destacando que os responsáveis por tal processo “deveriam ter se negado a praticar ou impedido” tais atos. O subprocurador ainda pede que a Corte de contas identifique e faça sugestões ao Congresso Nacional para aprimorar o processo de aprovação das emendas do relator.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. Espero que o MP supere essa contradição. Ou está a cargo do poder executivo o processamento das emendas do relator, ou do poder legislativo. E onde estão essas regras de processamento para serem obrigacionadas a quem quer que seja? E quantas vezes no passado o grande fiscal da lei fez qualquer observação dessa “irregularidade”, ou confessa sua omissão ideológica?

  2. Quem tem que ser afastado é esse procurador incompetente e Lulista, Lucas Furtado. Esse cara gosta de sparecer na Folha e no Estadão. Nem a própria Globo dá atenção a esse “ser pitoresco” do MP do TCU. É apenas mais um coitado(tenho dó) com salário de marajá.

  3. Essas “EMENDAS PARLAMENTAR” são vergonhosas, dinheiro público em campanha como se já não bastasse o VERGONHOSO FUNDÃO. Só no brasil mesmo. A ministra do STF está certíssima.

    1. É relativo o uso dessas ferramentas dadas aos parlamentares que enviamos para o Congresso para buscar verbas para nossas necessidades em cada Estado. Para tudo tem a deturpação. A política é a ferramenta maior para equilíbrio em toda a federação. Difícil impossibilitar uma melhor distribuição da verba pública, porque se faz uso canhestro dessa ferramenta.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.