Novo Estado pode ser criado no Brasil

Tapajós seria mais uma unidade da Federação com mais parlamentares que cidades
-Publicidade-
O governador do Pará, Helder Barbalho, é contra a criação do novo Estado
O governador do Pará, Helder Barbalho, é contra a criação do novo Estado | Foto: Reprodução/Agência Pará

Uma proposta para a criação de um novo Estado brasileiro está em tramitação no Congresso. O projeto de lei (PL) que cria o Tapajós voltou à Comissão de Constituição e Justiça do Senado no último dia 17.

Se criado, o novo Estado brasileiro dividirá o Pará em dois, ficando com parte do oeste do atual território. Santarém é o nome proposto para a capital de Tapajós. Ele deve ficar com cerca de 540 mil quilômetros quadrados de área. Desse modo, abrangendo 23 dos 144 municípios paraenses.

A nova unidade da Federação teria oito deputados federais e 24 deputados estaduais, bem como três senadores. Assim, sua formação resultaria em mais um Estado do Brasil, com mais parlamentares (35) que cidades (23). Já o PIB local seria de R$ 18 bilhões.

-Publicidade-

O PL em debate é de 2019. Siqueira Campos, eleito pelo DEM para uma vaga na Casa representado o Tocantins, o apresentou. Um plesbicito de 2011 derrubou proposta semelhante. Entretanto, o relator do projeto atual, Plínio Valério (PSDB-AM), votou favorável à realização de mais um sufrágio sobre o tema.

Os defensores da criação do novo Estado alegam que a região não é tratada com a devida atenção. Contudo, o atual governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), é contra a separação. O político alega que administra todas a regiões estaduais de modo equânime.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

19 comentários Ver comentários

  1. O ideal seria reduzir o senado para um representante por estado, 2 deputados por estado, sem dizer eliminar “todas” as regalias monárquicas desses corruptos que aí estão. Chega de Estados e todo o custo envolvido em sua criação e manutenção, o que precisamos é de competência e não quantidade.

  2. Ladrão que é esse Paspalho mão de vaca, nem sabe que pretendemos colocá-lo COMPETENTE QUE É, governador dos 2 estados.
    Seu pai como vai?

  3. Deus nos livre e nos guarde !! Já imaginaram mais um Estado no Brasil? Governador, deputados, juízes e desembargadores, procuradores, etc e etc…. Puta que o pariu !! Esses caras estão precisando é de um Burdizzo !!

  4. Vejo na maioria dos comentários, que ninguém conhece o tamanho do estado do Pará, e a distância entre as periferias paraenses e o centro do poder político,
    Basta saber que em alguns casos passa de mil quilômetros, basta fazer uma pesquisa nas periferias paraenses e veram quantos conhecem a capital de seu estado, se querem reduzir despesas diminuam o número de congressistas, mas a divisão do estado do Pará é essencial para o desenvolvimento periférico do estado.
    #Carajás
    #Tapajós

  5. O certo seria diminuir o número de Estados e mamatas. Esses políticos vagabundos ignoram os plebiscitos e tentam impor suas próprias vontades.

  6. É urgente , reduzir o tempo de mandado dos senadores par 4 anos; unificar as casas legislativas; eliminar privilégios e esquemas, reduzir os gastos do executivo; reduzir em 90% os cargos de “confiança e comissionados”; reduzir os subsídios dos vereadores do país inteiro para 1 salário mínimo; duplicar o número de vereadores para melhorar a representatividade; alterar totalmente os TCMs, que passariam a ser compostos por cidadãos qualificados (contabilistas, advogados, economistas , administradores), com decisões com efetividade; reduzir o mandato de juízes de tribunais superiores para 8 anos,

  7. Progressistas? Que caralho meu!!! Sabemos que se trata de quem simpatiza com o pensamento socialista ou marxista, embora não pertença a esses partidos.
    RETROCESSO deveria ser o sinônimo, do mesmo jeito que em seus covis deveriam excluir a palavra democracia.

  8. Caminho reverso, precisamos é acabar com uma das duas casas legislativas (câmara e senado) cujos gastos não condizem com o “trabalho” que fazem, reduzir o número de municípios, etc.

  9. Os “progressistas” vão criar mais ,Palácios de Governo, Assembleias Legislativas ,Assessores e Aspones e alguns ” Randolfe e Alcolumbre para “ajudar” nossa democracia.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.