Odebrecht tem plano de recuperação judicial aprovado

Envolvidas na Lava Jato, empresas do grupo somam R$ 83 bilhões em dívidas
-Publicidade-
Foto: DIVULGAÇÃO
Foto: DIVULGAÇÃO | odebrecht - recuperação judicial

Envolvidas na Lava Jato, empresas do grupo somam R$ 83 bilhões em dívidas

odebrecht - recuperação judicial
Foto: DIVULGAÇÃO
-Publicidade-

O pedido de recuperação judicial da Odebrecht e de outras 11 empresas vinculadas à empreiteira foi homologado nesta segunda-feira, 27. A homologação ocorre por meio de decisão da Justiça de São Paulo três meses aprovação prévia por parte dos acionistas e credores da companhia.

Leia mais: “Juíza veta repasse de multas da Lava Jato para o combate da covid-19

Com a decisão de agora tomada pelo juiz João de Oliveira Rodrigues Filho, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do Foro Central Cível da cidade de São Paulo, um administrador judicial será nomeado para tocar o plano de recuperação do grupo. Ele terá trabalho a fazer. Afinal, a Odebrecht e suas subsidiárias acumulam mais de R$ 83 bilhões.

A Odebrecht terá dois anos para cumprir as metas definidas no projeto de recuperação anunciado ao Poder Judiciário. Para isso, a companhia terá dois anos para pagamento de credores. Informações preliminares dão conta que somente bancos públicos têm cerca de R$ 22 bilhões para receber das empresas do grupo.

Operação Lava Jato

Conduzida pela Polícia Federal, a Operação Lava Jato colocou a Odebrecht e alguns dos executivos da companhia na mira de investigações. Então presidente da empreiteira, Marcelo Odebrecht chegou a ser preso. Com delações, políticos e membros do Judiciário chegaram a ser denunciados. Foi o caso, por exemplo, do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. De acordo com denúncia, ele recebeu dinheiro da Odebrecht enquanto foi advogado-geral da União.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.