Pacheco se reúne com Silva e Luna e discute ‘viés social’ da Petrobras

Encontro ocorre em um momento de altas consecutivas no preço dos combustíveis
-Publicidade-
Presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, e presidente do Senado, Rodrigo Pacheco | Foto: Divulgação/Presidência do Senado
Presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, e presidente do Senado, Rodrigo Pacheco | Foto: Divulgação/Presidência do Senado

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), se reuniu nesta quarta-feira, 17, com o presidente da Petrobras, general Joaquim Silva e Luna. No encontro, o senador defendeu a adoção de uma política de preço que leve em conta “o viés social” da empresa.

Segundo a assessoria de Pacheco, foram discutidas ações “no sentido de a empresa participar, de forma efetiva, dos esforços na busca pela redução dos preços dos combustíveis praticados no país e na detecção dos entraves que oneram o setor”.

-Publicidade-

Além de Silva e Luna, diretores da Petrobras também participaram da conversa, que ocorreu na residência oficial da Presidência do Senado Federal, no Lago Sul, bairro nobre de Brasília.

Pacheco vem cobrando que a empresa adote uma postura mais ativa nas discussões em torno de alternativas para conter o aumento no valor dos combustíveis.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

12 comentários Ver comentários

  1. Muito bem e o álcool combustível? Os usineiros pagam seus custos em dólares? A cotação do álcool é do mercado internacional em US$?
    E cadê na prática a determinação que as usinas poderiam vender seu produto direto ao posto sem intermediação da Petrobrás, assinalado pelo governo federal?
    Tá tudo uma enorme bagunça e gente ganhando rios de dinheiro.

  2. Quando o bom jornalismo da revista oeste vai informar os leitores, aos políticos e governadores, que a Petrobras produzindo gasolina A, e cobrando por 73% desse produto R$ 2,33 dos R$6,71 pagos nas bombas pelo consumidor, não é o vilão da inflação dos preços dos combustíveis?.
    O ICMS dos governadores que nada produzem recebe R$1,77 que representa 76% do valor da gasolina A da Petrobras. O álcool anidro produzido pelos usineiros cobra R$ 1,22 por 27% por litro contido na gasolina comum das bombas. O Governo Federal recebe R$0,69 de impostos fixos por litro que independem do valor, e os Distr/Revenda R$0,70.
    Logo, se 73% de 1 lt. de gasol. A custa R$2,33, temos: 2,33/0,73=R$3,19 o lt. de gas. A, e 27% de 1 lt. de álcool custa R$1,22, temos:1,22/0,27=R$4,52.
    Podemos concluir que antes da Petrobras, tem os vilões, ICMS=governadores e o Álcool anidro=Usineiros, e portanto convidá-los para informar nossos ignorantes políticos que querem a volta da Petrobras ao nefasto passado?

  3. Kkkkk petrobras não é empresa pública pra ter vies social, nós, acionistas, determinamos a política de preços, fiquem quietinhos agora, talkei!

  4. Quando o governo fala em pagar precatórios em três anos, pois a conta de 90 bilhões é o triplo do normal dos últimos anos e, com isso, abrindo espaço para gastar 30 bilhões no ano para complementar o auxílio Brasil, a bolsa despenca e o dólar sobe. Agora, Pacheco, metaverso de Juscelino Kubitscheck de Oliveira, fala uma barbaridade dessas sobre uma empresa q dá 30 bilhões de lucro no trimestre, tendo ações em várias bolsas, aí o mercado se faz de surdo. Mercadinho seletivo esse q temos atualmente….

  5. Onde está escrito “viés social”; leia-se “combustível mais barato”.
    Querem combustível mais barato??? Basta dividir a Petrobras no maior número de empresas possíveis e depois privatiza-las (não necessariamente nesta ordem).

  6. Gozado, né ? Quando lançam a ideia de privatizar a Petrobras, o que mais se ouve é que ela não pode ser privatizada pois tem milhares de acionistas e é uma empresa do ” mercado ” ! Agora, quando convém, esquecem tudo isso e vem com o papo furado que ela é uma empresa que tem uma grande função social ! Tem que ver em qual dos dois carrinhos vamos andar !!

  7. A Petrobrás é uma empresa, e como tal só pensa em lucrar, praticar seus preços baseados no dólar é uma covardia sem tamanho com o consumidor.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.