-Publicidade-

Para Moraes, prisão de deputado foi ‘marco no combate ao extremismo’

Ministro do STF foi o responsável pela prisão de Daniel Silveira
O ministro Alexandre de Moraes, do STF
O ministro Alexandre de Moraes, do STF | Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), começou a semana com declarações fora do tribunal contra o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ). Ao participar de evento on-line promovido pela Fundação Getulio Vargas sobre eleições na manhã desta segunda-feira, 22, o magistrado definiu a prisão do parlamentar como um “marco no combate ao extremismo.”

Leia mais: “Ministros ‘travam’ 377 processos no STF”

“Não podemos mais deixar que as redes sociais sejam terra de ninguém. Porque os discursos de ódio e antidemocráticos vêm manipulando as pessoas”, afirmou Moraes durante participação no seminário virtual, informa o jornal O Estado de S. Paulo. “Com essas milícias digitais, nós estamos sofrendo o mais pesado, mais forte e mais vil ataque às instituições e ao estado democrático de direito”, prosseguiu o ministro do STF, que não falou mais do caso específico do deputado encarcerado.

Silveira está detido no Rio de Janeiro desde a última terça-feira, 16. Ele gravou e divulgou um vídeo em que registra críticas a integrantes da Suprema Corte brasileira. Em decisão monocrática, Moraes foi o responsável por determinar a prisão em flagrante do deputado, pois entendeu ter havido atentado contra o Estado democrático de direito. Posteriormente, a prisão foi referendada pelos plenários do STF e da Câmara dos Deputados.

Eleições 2022

Próximo ministro a presidir o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes reclamou das fake news. Para ele, a prática de gerar conteúdo enganoso deixou o campo do amadorismo e passou até a se rentabilizar em meios digitais. Colocando-se como alguém que busca combater essa prática, ele sinalizou preocupação com a realização das eleições 2022. No sentido de notícias falsas, expôs o que pensa sobre as plataformas de redes sociais.

“Essas pseudo empresas de tecnologia são as mais poderosas e fortes empresas de mídia do mercado mundial”

“Ao serem classificadas como empresas de tecnologia, as plataformas digitais simplesmente lavam as mãos sobre a terra de ninguém que elas proporcionam”, observou Moraes, que no STF é relator do inquérito das fake news. “Sendo que hoje essas pseudo empresas de tecnologia são as mais poderosas e fortes empresas de mídia do mercado mundial”, prosseguiu o magistrado que mandou prender um deputado federal.

Leia também: “O STF pode tudo?”, matéria do editor-executivo Silvio Navarro e publicada na capa da edição 48 Revista Oeste.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês