PEC do voto ‘impresso’ é rejeitada pelo plenário da Câmara

Proposta previa a impressão de cédulas físicas conferíveis pelo eleitor
-Publicidade-
Painel com o resultado | Foto: Reprodução/TV Câmara
Painel com o resultado | Foto: Reprodução/TV Câmara

O plenário da Câmara dos Deputados rejeitou nesta terça-feira, 10, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do voto impresso auditável, de autoria da deputada Bia Kicis (PSL-DF). O texto precisava de 308 votos para ser aprovado, mas só alcançou 229. Dos 513 deputados, 448 votaram, 218 foram contrários e houve 1 abstenção.

Na semana passada, a comissão especial que analisava o tema já havia rejeitado o parecer favorável elaborado pelo deputado Filipe Barros (PSL-PR), mas o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), decidiu levar a PEC ao plenário.

Leia mais: “Senado aprova texto que revoga Lei de Segurança Nacional”

-Publicidade-

A proposta previa a impressão de cédulas físicas conferíveis pelo eleitor independentemente do meio empregado para o registro dos votos em eleições, plebiscitos e referendos. Essas cédulas seriam “depositadas, de forma automática e sem contato manual, em urnas indevassáveis, para fins de auditoria”.

“A democracia do plenário desta Casa deu uma resposta a esse assunto, e, na Câmara, eu espero que esse assunto esteja, definitivamente, enterrado”, afirmou Lira após a rejeição.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.