Policiamento extra para ato contra Bolsonaro vai custar R$ 885 mil

Além do efetivo regular, outros 2 mil policiais extras vão atuar no dia
-Publicidade-
O governo de São Paulo terá de pagar pelos custos da manifestação de amanhã, domingo 12
O governo de São Paulo terá de pagar pelos custos da manifestação de amanhã, domingo 12 | Foto: Aloisio Mauricio/FotoArena/Estadão Conteúdo

O reforço no policiamento para o ato contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, agendado para amanhã, domingo 12, na Avenida Paulista, custará R$ 885 mil para o governo de São Paulo. Além do efetivo regular, outros 2 mil policiais extras vão atuar no dia, segundo a Folha de S.Paulo.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou que a polícia terá apoio de 700 viaturas, seis veículos blindados, dez cães e 50 cavalos. Também serão usados no monitoramento dois helicópteros e seis drones. Haverá revista de pessoas em diferentes pontos da cidade.

As manifestações devem ocorrer nas capitais do país. O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM), Ciro Gomes (PDT), os senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Simone Tebet (MDB-MS), a deputada estadual Isa Penna (Psol-SP) e o cantor Tico Santa Cruz confirmaram presença no ato.

-Publicidade-

Leia também: “O recado das ruas exige liberdade”, reportagem de Cristyan Costa e Silvio Navarro publicada na Edição 77 da Revista Oeste

Telegram
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro