Pré-estreia do novo documentário de Josias Teófilo será no dia 20 de setembro

'Nem Tudo Se Desfaz' será exibido às 20 horas no Cine Petra Belas Artes, em São Paulo; no dia 22, é a vez do Rio de Janeiro
-Publicidade-
Documentário traça um paralelo entre as 'Jornadas de Junho' de 2013 e a ascensão de Jair Bolsonaro, eleito cinco anos depois
Documentário traça um paralelo entre as 'Jornadas de Junho' de 2013 e a ascensão de Jair Bolsonaro, eleito cinco anos depois | Foto: Abraão Soares/Futura Press/Estadão Conteúdo

“Nem Tudo Se Desfaz”, novo documentário do cineasta Josias Teófilo, terá pré-estreia no dia 20 de setembro, em São Paulo. O filme retrata alguns dos momentos cruciais da vida política do país nos últimos anos, traçando um paralelo entre as “Jornadas de Junho”, em 2013, e a ascensão de Jair Bolsonaro ao Palácio do Planalto, com a vitória nas eleições de 2018.

A pré-estreia do documentário acontecerá no Cine Petra Belas Artes, em São Paulo, a partir das 20 horas. Dois dias depois, em 22 de setembro, será a vez do Rio de Janeiro, com exibição no Estação Net Botafogo, também às 20 horas.

Leia mais: “‘Bolsonaro foi o mais beneficiado das manifestações de 2013’, afirma Josias Teófilo”

-Publicidade-

As duas sessões serão apresentadas pela dupla Palhaço e Gatão, do canal Brasileirinhos, do YouTube. Depois da exibição, haverá um debate. Os ingressos já estão à venda pelo site do documentário. O pôster oficial do filme acaba de ser divulgado.

Documentário de Josias Teófilo tem pré-estreia em São Paulo no dia 20 de setembro | Foto: Divulgação

Em abril deste ano, Teófilo concedeu entrevista a Oeste (leia aqui a íntegra, publicada na Edição 55 da revista). O cineasta classificou o movimento que tomou as ruas do país como “revolucionário” e apontou Bolsonaro como “herdeiro” do sentimento de indignação que mobilizou os brasileiros.

Leia também: “‘Na cultura, conservadorismo não tem espaço'”, entrevista de Josias Teófilo publicada na Edição 55 da Revista Oeste

“Ele [Bolsonaro] foi uma figura que recebeu o espólio das manifestações de 2013. Essa é a minha tese. E tem muita gente de esquerda que concorda com isso. Bolsonaro é herdeiro do movimento revolucionário de 2013, o que não tem nada de elogioso. Para a esquerda, revolução é uma coisa gloriosa. Para a direita, não necessariamente. A Revolução Francesa só deu merda. Não tem nada de elogioso dizer que o Bolsonaro é herdeiro do movimento revolucionário de 2013. Mas ele é”, afirmou o cineasta.

Assista ao trailer de Nem Tudo Se Desfaz:

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro