Rachadinha em Alagoas: Justiça absolve Arthur Lira

Líder do Centrão foi alvo de denúncia da Procuradoria-Geral da República
-Publicidade-
Arthur Lira é deputado federal pelo PP de Alagoas | Foto: Divulgação/Câmara
Arthur Lira é deputado federal pelo PP de Alagoas | Foto: Divulgação/Câmara | arthur lira - inocentado - rachadinha em alagoas

Líder do Centrão foi alvo de denúncia da Procuradoria-Geral da República

arthur lira - inocentado - rachadinha em alagoas
Arthur Lira é deputado federal pelo PP de Alagoas | Foto: Divulgação/Câmara

O Tribunal de Justiça de Alagas (TJ-AL) entende que o deputado federal Arthur Lira (PP-AL) não participou de esquema de rachadinha quando atuou no Legislativo estadual. Em parecer tornado público na quinta-feira, 3, o parlamentar foi inocentado de denúncia que o colocava como beneficiário de R$ 1 milhão que teriam sido repassados por assessores.

-Publicidade-

Leia mais: “Senador reclama de projetos ‘engavetados’ na Câmara”

A denúncia contra Lira foi apresentada em 2018 pela então procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Segundo documento do Ministério Público, o hoje líder do Progressistas e do Centrão na Câmara dos Deputados teria participado do esquema conhecido por rachadinha e que movimentou a Assembleia Legislativa de Alagas de 2001 a 2007, conforme informou Oeste. Antes de cumprir agenda em Brasília, Lira foi deputado estadual por três mandatos consecutivos, de 1999 a 2010.

A decisão em favor de Arthur Lira partiu do juiz Carlos Henrique Pita Duarte. Por meio do Twitter, o parlamentar comemorou o desfecho da ação judicial. “A vida do homem público é um livro aberto e quem está nela precisa ter serenidade”, publicou na tarde desta sexta-feira, 4. “Nada como um dia depois do outro”, prosseguiu o deputado federal que se coloca como candidato a presidente da Câmara.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. A corrupção é parte do modus operandi da esquerda.
    Permitimos o retorno ao país pela malfadada Lei da Anistia, dos corruptos e marginais exilados/banidos e fugidos.
    De lá para cá, com o início consumado na primeira gestão de FHC, a corrupção veio num vetor crescente, abrangeu todos os órgãos públicos, se tornou sistêmica.
    Hoje enfrentamos as absurdas e inesperadas sabotagens e traições desde parte dos vinculados ao MEC, passando por políticos eleitos para alguns dos os estados, munícipios e Parlamento, e culminando no STF!
    Fruto de nossa omissão ao longo de mais de 30 anos de ações voltadas no sentido de nos cooptar pró esquerdopatia.
    Agora pagamos o preço!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.