‘Tinha uns traíras do meu lado’, diz Bolsonaro sobre apoios em 2018

Em conversa com apoiadores no Alvorada, presidente voltou a criticar restrições impostas na pandemia
-Publicidade-
O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar medidas restritivas impostas por prefeitos e governadores
O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar medidas restritivas impostas por prefeitos e governadores | Foto: Cláudio Marques/Estadão Conteúdo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira, 18, que esteve rodeado por “traíras” que o apoiaram nas eleições de 2018 e depois partiram para a oposição e começaram a atacá-lo. As declarações foram dadas na porta do Palácio da Alvorada, em conversa com simpatizantes.

“Quem nunca fez coisa errada nessa vida? Eu escolhi um montão [de traidores] nas eleições de 2018. Tinha uns traíras do meu lado ali”, disse o presidente, ao ser indagado sobre o ex-aliado e atual desafeto João Doria (PSDB), governador de São Paulo e pré-candidato ao Planalto em 2022.

Leia mais: “Bolsonaro afirma que está ‘pagando a conta’ dos governos do PT”

-Publicidade-

Bolsonaro voltou a criticar as medidas restritivas adotadas por prefeituras e governos estaduais durante a pandemia de covid-19. “A doença a gente sabe o que causa, mas há também o desemprego, a depressão, a miséria… Esse ‘fique em casa’ tem gerado problemas familiares, violência contra crianças. É só desgraça”, afirmou.

Leia também: “Em 900 dias de governo, Bolsonaro revoga mais de 4 mil decretos”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

  1. Errar na escolha de um político é perdoável, afinal, é um político. O que eu considerei difícil de entender foi a escolha de um general petista que, depois de demitido, se transformou em “referência” militar da extrema imprensa. Eu cansei de comentar, antes da eleição de 2018, que praticamente todos os oficiais-generais das Forças Armadas na ativa ao término de 2015 haviam sido promovidos pela caneta de Lula e Dilma. As escolhas de quadros militares para compor o governo teria que ser bem mais criteriosa.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site