Twitter anuncia novas medidas sobre eleições no Brasil

Identificação de candidatos e combate a fake news fazem parte da iniciativa
-Publicidade-
Boa parte dessas novidades já foi adotada nas eleições dos Estados Unidos em 2020
Boa parte dessas novidades já foi adotada nas eleições dos Estados Unidos em 2020 | Foto: Reprodução\ Pixabay

O Twitter anunciou na segunda-feira 4 algumas medidas para proteger as eleições deste ano no Brasil. A plataforma irá usar etiquetas para identificar perfis de candidatos, adotará nova política para proteger o debate em torno das campanhas e fará uma curadoria das publicações, com informações confiáveis na aba Moments — com seção especial sobre as eleições 2022.

Os novos recursos serão detalhados e atualizados em uma página especial na aba Central de Ajuda. A partir de julho, o Twitter também promoverá campanhas educativas para identificar desinformação, além de dar dicas de funcionalidades da plataforma.

Boa parte dessas novidades já foi adotada nas eleições dos Estados Unidos em 2020. A chegada dos novos recursos ao Brasil é resultado da adesão do Twitter ao Programa de Enfrentamento à Desinformação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que prevê esforços das principais redes sociais no combate às fake news nas eleições.

-Publicidade-

Novas medidas

  • Os pré-candidatos terão uma etiqueta em seu perfil identificando o cargo que estiverem disputando as etiquetas não são opcionais e não será possível removê-las.
  • Seção especial para as eleições 2022, com uma curadoria de esclarecimentos sobre os temas que repercutem no momento  — parecida com a que já existe sobre covid-19.
  • Redução do alcance das campanhas contrárias à votação e de ataques à autenticidade das urnas.
  • Página específica sobre as eleições no Brasil na Central de Ajuda, estabelecendo que as ferramentas do Twitter não podem ser usadas para interferir ou manipular as eleições.
  • Proibição de propagandas eleitorais pagas ou promovidas na rede social. Esse conteúdo só poderá contar com o alcance orgânico do Twitter.
  • Inclusão de uma etiqueta para perfis que se autoidentificam como automatizados, facilitando que as pessoas saibam que estão interagindo com um robô.
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

  1. Políticas para proteger o debate? Para quê se não existe debate, só existe censura e perseguição? Políticas ao estilo da pandemia que estão sendo todas desmascaradas uma por uma? 🤔

  2. A única coisa que poderá ser usada para a manipulação das eleições serão as urnas do Barroso e fo Xande, sem possibilidade de auditoria física, caso tenham problemas. Estão abolidas quaisquer perguntas ou questionamentos sobre as urnas. Tipo, pega o titulo, vota e não enche mais o saco. Foi exatamente isso que Fachin falou.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.