Witzel apela a Toffoli para voltar ao cargo

Defesa afirma que Witzel é vítima de especulações absolutamente dissociadas de qualquer elemento concreto
-Publicidade-
Governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel | Foto: Philippe Lima/Governo do RJ
Governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel | Foto: Philippe Lima/Governo do RJ

Defesa afirma que Witzel é vítima de especulações absolutamente dissociadas de qualquer elemento concreto

Wilson Witzel
Governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel | Foto: Philippe Lima/Governo do RJ
-Publicidade-

Depois do Superior Tribunal de Justiça confirmar o afastamento de Wilson Witzel (PSC) do exercício do mandato por 180 dias, a defesa do governador recorreu ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, para tentar reconduzi-lo ao cargo.

Uma reviravolta no caso, no entanto, é considerada improvável. Toffoli não deve analisar a questão sozinho.

“Cada dia que se passa, é um dia de dano irrecuperável ao ora requerente (Witzel) e à ordem pública do Rio de Janeiro. Simplesmente inexistem elementos concretos que justificassem medida tão extrema para a ordem pública e para o equilíbrio federativo”, afirmam os advogados de Witzel ao STF.

A defesa afirma que Witzel é vítima de especulações absolutamente dissociadas de qualquer elemento concreto.

LEIA MAIS: Witzel rifado? PSC dá ‘todo o apoio’ a Cláudio Castro

Na petição protocolada na última sexta-feira, 4, no STF, os advogados de Witzel novamente criticam o afastamento do governador do cargo por decisão individual do ministro Benedito Gonçalves, sem que o chefe do Executivo do Rio pudesse apresentar suas alegações e ser ouvido pelas autoridades.

Na quarta-feira, 2, a Corte Especial do STJ acabou confirmando a decisão de Benedito por 14 a 1.

“Nenhum elemento concreto, específico e individual apto a sustentar a gravíssima decisão monocrática de afastamento de um governador do Estado que sequer responde a processo criminal, que sequer foi ouvido”, afirma a defesa.

Acusações

Eleito com o discurso de combate à corrupção e a promessa de renovação política, Witzel é acusado pela Procuradoria-Geral da República de integrar uma organização criminosa.

O grupo teria movimentado propinas em um valor de R$ 554,2 mil, que teriam sido pagas por empresários da área da saúde ao escritório de advocacia da primeira-dama do Rio, Helena Witzel.

O esquema envolveria compras fraudadas na área da Saúde em plena pandemia do novo coronavírus, que já matou 16,3 mil pessoas só no Estado do Rio.

A PGR aponta que as investigações das Operações Placebo, Favorito e Mercadores do Caos – todas relacionadas a supostas irregularidades na Saúde do Rio – descobriram uma ‘sofisticada organização criminosa no âmbito do governo fluminense’.

Segundo a procuradoria a organização seria composta por pelo menos três grupos de poder, encabeçada por Wilson José Witzel, a qual repetiria o esquema criminoso praticado pelos dois últimos ex-governadores Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão.

Com informações do Estadão Conteúdo.

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comments

  1. Vivêssemos em uma situação de normalidade jurídica, esse tipo de pedido nem seria feito, quanto mais, aceito. Como temos políticos julgando, tudo pode acontecer. É vergonhoso até considerar…

  2. …em nome da ORDEM no Rio de Janeiro…
    …o POVO exige que o SEU GOVERNADOR seja reconduzido ao cargo…
    …pelo ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO…
    Vamos falar sério? Essa PORRA de carreira de advogado junto com o diploma, além desta sacanagem que é passar em teste dessa vagabunda OAB, deveria exigir dos vagabundos que se atreverem a defender CRIMES DE COLARINHO BRANCO, face de Massaranduba, ipê roxo ou mogno.

  3. Vá lá AuschWitzel, se ajoelhe, se humilhe diante do supremo Toffolino, arraste-se diante dele como fez com aquele jogador de futebol, seu canalha psicopata. Indivíduo nojento, não tem um pingo de amor próprio. Vagabundo.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site