Ministros do STF entrando no plenário | Foto: Montagem Revista Oeste/STF/SCO/Shutterstock
Ministros do STF entrando no plenário | Foto: Montagem Revista Oeste/STF/SCO/Shutterstock

O golpe que nunca existiu

Agora em parceria com senadores e ministros do STF, o consórcio de imprensa continua tentando emplacar a fantasia de que Bolsonaro ameaça a democracia brasileira

Em agosto do ano passado, a Edição 75 de Oeste publicou um artigo de J.R. Guzzo intitulado “Manual Prático do Golpe”. O texto explicava por que dar um golpe de Estado, ao contrário do que acham os editoriais, os cientistas políticos de esquerda e alguns políticos, não é um negócio simples. A 90 dias do início oficial da campanha eleitoral, o consórcio de imprensa continua tentando emplacar a fantasia de que uma virada de mesa está em curso no país.

Nas últimas semanas, manchetes de festim sobre a ameaça que Bolsonaro representa à democracia aumentaram em escala só comparada ao noticiário da covid. Foram dezenas de títulos sobre golpismo, planos secretos, temor internacional e desrespeito à Constituição. Alguns articulistas decretaram que o presidente não deixará o poder, seja qual for o resultado das urnas. Outros defendem abertamente a ideia de que é preciso tirá-lo de lá custe o que custar.

Uma premissa básica do texto jornalístico é responder a algumas perguntas logo nos primeiros parágrafos: o que, quem, quando, onde, como e por que. No caso do golpe iminente, nenhuma delas parece fazer sentido. A única base da histeria permanente é o #EleNão — ou seja, a ideia de que Bolsonaro não pode continuar. Trata-se de um golpe que só existe nas páginas dos jornais.

Na segunda-feira 16, por exemplo, a Folha de S.Paulo publicou uma reportagem com a teoria. Apenas alguns políticos de oposição, como Gleisi Hoffmann (PT), Carlos Lupi (PDT) e Carlos Siqueira (PSB) concordaram, o que era previsível. O tucano Bruno Araújo recusou o termo “golpe” e topou “ameaça ao Estado de Direito”. O jornal achou o silêncio da maioria um absurdo. Como não encontrou figuras representativas da sociedade dispostas a levar a tese a sério, o problema foi resolvido logo no título: Partidos veem risco de golpe de Bolsonaro, e autoridades se calam.

“A Folha procurou nos últimos dias os chefes dos três Poderes, de Tribunais Superiores, do Ministério Público Federal e dos principais partidos políticos, além dos presidenciáveis e de entidades representativas do empresariado e da sociedade civil”, dizia o texto, reproduzido com destaque pelo portal UOL. “Nenhuma das autoridades da República quis se manifestar sobre o assunto”

 

Das 13 entidades procuradas pelo jornal, só responderam a Associação Brasileira de Imprensa (ABI), cuja militância de esquerda é conhecida, e o pastor Samuel Câmara, da Convenção da Assembleia de Deus no Brasil (CADB). As outras nem sequer quiseram participar da enquete. A pesquisa era composta de duas perguntas, elaboradas pelos editores do jornal. Foram apresentadas três alternativas de respostas.

Pergunta 1: Recentes declarações de Bolsonaro em tom de ameaça sobre as eleições e de ataques a ministros do STF e do TSE se encaixam melhor em qual cenário?

  1. a) Os ataques e as ameaças são um comportamento golpista que precisa ser levado a sério
  2. b) As declarações de Bolsonaro são apenas um blefe ou um discurso vazio sem consequências
  3. c) Bolsonaro faz críticas dentro de sua liberdade de expressão e assim o tema deve ser tratado

Pergunta 2: O país deve se preocupar com a possibilidade de Bolsonaro tentar melar as eleições antes e depois da votação?

  1. a) Eleições estão em risco e país deve se preocupar com possibilidade de Bolsonaro tentar melá-las
  2. b) Eleições não estão em risco, mas país deve se preocupar com possibilidade de Bolsonaro tentar melá-las
  3. c) Eleições não estão em risco e país não deve se preocupar com possibilidade de Bolsonaro tentar melá-las

Apesar de parecer a mais obcecada em comprovar que existe uma trama golpista em andamento, a Folha não está sozinha. O Estado de S. Paulo tem dedicado sucessivos editoriais ao tema. O último deles, na quinta-feira 19, dizia: “O clima no País está péssimo, mas poderia estar muito pior caso Bolsonaro tivesse logrado cooptar todas essas forças republicanas em prol de seu desiderato golpista. Mais cedo do que tarde, o presidente verá que derrubar a democracia consagrada pela Carta de 1988 estava muito além de suas forças”.

Festa estranha com gente esquisita

Desde que Brasília existe, é comum encontrar políticos, jornalistas e autoridades misturados em jantares no meio da semana. Foi o que ocorreu na quarta-feira 11 de maio, na casa da senadora Kátia Abreu (TO). Na mesa, os colegas Rodrigo Pacheco (PSD-MG), Jaques Wagner (PT-BA), Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Renan Calheiros (MDB-AL), Marcelo Castro (MDB-PI), Tasso Jereissati (PSDB-CE), Weverton Rocha (PDT-MA) e o ex-governador de Alagoas Renan Filho (MDB).

O inusitado, porém, foram as presenças de três ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), responsáveis, entre outras atribuições, por julgar processos contra os próprios parlamentares: Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Alexandre de Moraes. O último será o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a partir de agosto, além de conduzir o inquérito perpétuo dos atos antidemocráticos.

Em resumo, o que esse consórcio autoproclamado esquadrão da democracia quer é que ninguém possa mais criticá-los

Segundo relatos, o propósito da reunião foi criar uma “frente em defesa do STF”, que deve ser ampliada com a participação de deputados. Renan chegou a propor que o grupo tivesse um nome para facilitar a divulgação na mídia. Pacheco resolveu se apresentar para ser o coordenador.

Um dos assuntos tratados durante a noite foi o incômodo do grupo, especialmente do próprio Pacheco, com as críticas feitas pelo programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan.

No dia seguinte, o presidente do Senado discursou durante um evento para juízes em Salvador (BA), que teve palestras de ministros do STF. “É inimaginável pensar que a essa altura nós estejamos a defender instituições e o Poder Judiciário de ataques absolutamente sem fundamento algum, sem lastro probatório nem razoabilidade”, disse. “Esse ambiente que estamos hoje, de certa instabilidade, ataques antidemocráticos e arroubos parecem populares para um determinado grupo, mas na verdade são atentados muito nocivos à sociedade brasileira.”

Em resumo, o que esse consórcio autoproclamado esquadrão da democracia quer, com o apoio da velha imprensa, é que nem Bolsonaro nem ninguém possam mais criticá-los. Deve-se admitir que o sistema de votação brasileiro está acima de qualquer suspeita e ponto. Toda e qualquer manifestação contrária configura fake news e golpismo — e pode terminar em cadeia.

A fala de Pacheco é simbólica. O Senado é a única Casa com prerrogativa constitucional para impor algum freio ao ativismo político dos ministros do Supremo. Contudo, seguindo a cartilha dos seus antecessores, ele se recusa a pautar pedidos de impeachment contra os magistrados e vetou a convocação deles para responder questionamentos no Congresso.

Houve também uma mudança de tom em relação ao Palácio do Planalto. Antes avesso a entrevistas, agora ele tem se apresentado em diversos lugares para criticar Bolsonaro. Foi ao programa Roda Viva, da TV Cultura, na segunda-feira 16. Sua assessoria passou a produzir material diário nos perfis das redes sociais e criou um podcast.

Nesta semana, Pacheco fez questão, por exemplo, de comentar o pedido de investigação feito por Bolsonaro ao Supremo e à Procuradoria-Geral da República contra o ministro Alexandre de Moraes — negado imediatamente pelo colega Dias Toffoli. “É mais um episódio de anormalidade institucional”, afirmou, durante uma entrevista coletiva.

A ampla maioria da imprensa tem adorado o novo papel do pacato presidente do Congresso como líder da “frente contra o golpe”. Desde que assumiu a cadeira, ele é bajulado pela mídia em Brasília. No ano passado, quando se filiou ao PSD, um colunista chegou a escrever que surgia um novo Tancredo Neves na política brasileira. Pacheco acreditou. O dono do partido, Gilberto Kassab, apressou-se em plantar a notícia de que ele seria candidato à Presidência, o que obviamente não se confirmou.

Ainda assim, o senador subiu à tribuna para fazer um pronunciamento à nação em março. “Meus compromissos como presidente do Senado e com o país são urgentes, inadiáveis e não permitem qualquer espaço para vaidades”, disse. “Por isso, afirmo ser impossível conciliar essa difícil missão, de presidir o Senado Federal e o Congresso Nacional, com uma campanha eleitoral presidencial.”

Figuras como Pacheco normalmente encontram a aposentadoria nas galerias de fotos dos ex-presidentes do Congresso em pouco tempo. Não têm vocação sequer para se tornar um Renan Calheiros. Se algum dia for lembrado, será como um dos heróis que combateram um golpe que nunca aconteceu.

Leia também “A corrupção esquecida”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

48 comentários Ver comentários

  1. Parabéns, Sílvio Navarro. Excelente matéria. Ela nos mostra a podridão dos poderes Judiciário e Legislativo, que têm como meta tirar o Presidente Bolsonaro do poder. É tanto que se reúnem, deixando o Poder Executivo de fora. Os meios eles estão provendo. Isso nos leva a tomar muito na nossas escolhas em outubro/22, para ocupar os cargos em todas as esferas dos poderes que nós podemos escolher. Presidente da República está fácil, Bolsonaro outra vez. Para os demais cargos, Senado Federal, Câmara Federal, Governadores de Estados e Assembléias Legislativas, muito cuidado nas escolhas. Com gente bem escolhida, podemos pensar em mudanças na escolha de membros para um novo STF, verdadeiramente constitucional, colocando lá pessoas com competência, como sugerido pelo leitor José Robério X. dos Santos. “A solução para não juntar mais lixo no STF é bem simples. Ministro de Tribunal Superior, devem ser alçados ao cargo por mérito na Magistratura e Procuradoria.”

  2. Olá Sílvio, parabéns pela coluna muito bem escrita e muito atual. Infelizmente a imprensa tradicional está em acelerada decadência, fato que é muito perigoso para a democracia, pois a imprensa teria um importante papel de ser o vetor das fake news. Ou seja um lugar seguro para as notícias seguras. Humberto Eco já alertava sobre isto. Mas no Brasil poucos veículos sobreviverão pois a alienação e preguiça juntas destruirão por completo a credibilidade destes veículos tão caros à democracia. Abraços.

  3. Parabéns Silvio Navarro por esse brilhante texto. Sinceramente, não sei quem ainda dá alguma credibilidade para essa imprensalha do país. Só sendo retardado mental, idiota, estúpido para acreditar no que essa imprensa marrom publica. Quanto as demais figuras mencionadas no artigo, não merecem nenhum comentário. São criaturas desprezíveis.

  4. Essa foto que antecede ao título, reflete claramente a sensação de estar olhando o andar macambúzio e cabisbaixo de vampiros constitucionais. A pior Turma em toda a história do STF. A solução para não juntar mais lixo no STF é bem simples. Ministro de Tribunal Superior, devem ser alçados ao cargo por mérito na Magistratura e Procuradoria. Escrevi como fazê-lo, essa semana. Os mesmos critérios para se chegar a oficialidade superior das FFAA. Indicação presidencial está comprovadamente demonstrado que não presta. Os dois últimos refletem bem isso.

  5. Deus queira que nem assim seja lembrado. Sem a menor dúvida do que falo, esse senhor é apenas mais um desrespeitador da Constituição. Eu espero que o ostracismo seja pouco para essa figura inerte. Que de sua omissão venha algum processo que o faça envergonhar-se de um dia ter sido Presidente do Congresso Nacional. Precisamos de leis mais severas com pessoas assim, de qualquer dos três poderes.

  6. Me parece que essas sucessivas reuniões entre parlamentares e membros do STF tem muito mais um quê de conspiração e golpe, do que qualquer ação do presidente da República. Tantas figuras macabras e medíocres juntas só podem sim está tramando.

    1. Eu não tenhoh a menor dúvida nisso. Só não entendo como pode ocorrer tão às claras, e nada acontecer porque deram ao fato uma persona de coisa legal, quando na realidade é uma tramóia. Não precisa ser inteligente para se saber disso. Basta apenas prestar atenção nos componentes da reunião, para se perceber que o ar exalado era pútrido.

  7. Indagação : O sr. Pacheco possui tentáculos nos escritórios que defendem a Vale / Brumadinho / Mariana ou não ? Isso é Fake ? Há laranjas ?

    1. Há jogo de interesse. STF: você não deixapassar nada contra a Corte, que a Corte segurará sem sentença o processo contra o seu cliente (Vale).
      Em quaisquer dos casos, quem está perdendo é a Democracia, e os eleitores honestos que confiaram nesse pulha, e o elegeram. Em última instância, perdemos todos nós cidadão por ver um componente governamental, agir em conluio com meliantes.

  8. Por favor: parem de falar que a única saída para conter Moraes é Pacheco!! NÃO É! Acordem! Há o art 142 da Constituição Federal, que como bem lembrou IVES GANDRA, faz parte de um capítulo constitucional dedicado à DEFESA DO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO!!! DEFESA diante de ATAQUES de fora ou DE DENTRO DO PAÍS!! DEFESA! Atualmente, em relação ao STF, NÃO HÁ MAIS CAMINHOS JUDICIAIS OU CONGRESSUAIS! Caiam na real! Valermo-nos do art 142 NÃO SE TRADUZ EM GOLPE DE ESTADO, MAS EM DEFESA DO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO – RESTITUIÇÃO DA LEI E DA ORDEM, E DA INDEPENDÊNCIA ENTRE OS PODERES!! Moraes, hoje, é um reles delinquente, pq QUEM VIOLA A LEI É O DELINQUENTE!! CHEGA DE LERO LERO! Toffoli e Moraes JÁ PROMOVERAM RUPTURA INSTITUCIONAL E PRECISAM SER RETIRADOS DE ONDE ESTÃO, LEGITIMA E LEGALMENTE, PELAS FORÇAS ARMADAS – e isto NÃO É GOLPE MILITAR, é prerrogativa do poder executivo acionar a última instância de proteção da nossa normalidade institucional!!

    1. A saída é o 142. Mas até se lançar mão desse laxante constitucional, é preciso permitir que os glutões se empanturrem com a produção de coisas inconstitucionais, de formas a não terem nenhuma salvação.
      Tenho vivido ao longo dos anos, vendo conquistas ocorrerem para o bem povo brasileiro. A próxima meta, é a reeleição. Em seguida, quero ver a punição legal de todos os que com seus atos ilegais, vilipendiam e rasgam a Constituição Federal. Alguns quer ver preso. Outros, me basta vê-los usando um “Cartier” no tornozelo.

  9. Parece que todos concordamos que o verdadeiro golpe está sendo tramado por qualquer um dos otros mencionados no artigo, menos o Bolsonaro . Trata-se do antígo “ acuse-os do q vc faz”, que tanto agrada ao ativismo militante. Essa trama vem sendo claramente urdida desde que Lula foi descondenado para grande tristeza das pessoas de bem e que acreditaram na justiça .

  10. Estivemos em dono profundo durante os 13 anos da hegemonia petista. Quando acordamos descobrimos que o problema não era só o PT.
    Pelo andar da carruagem, se não houver fraude, Bolsonaro leva no MEIO DO 1° TURNO, não vai precisar do turno inteiro. A esquerda está usando a estratégia do Lênin.

  11. Não consegui ler a matéria, tamanha a boçalidade. Me lembro agora de uma frase de Lenin : “ acuse os do que vc. faz”. Assim, quem está dando golpe no país são os togados, grande parte do congresso e a maioria da mídia que temos.

  12. Qual o medo dessas pessoas com relação ao Bolsonaro? Ele praticamente não mudou muita coisa. Houve algumas reformas e outras mais urgentes ainda não saíram. A imprensa ainda emite notas de ataque contra o presidente e ele não mandou fechar nenhum jornal.

  13. O Olimpo, o congresso, a velha midia, sindicatos, ongs, a igreja e universidades são cúmplices nos ataques contra o POVO, na figura do Presidente. Esse 7×1 às avessas já tem um vencedor: o povo que, mesmo não transparecendo muito, está cada dia mais consciente de sua servidão e decidido a inverter esse jogo.

  14. Já estou dd saco cheio de esperar esse golpe do Bolsonaro que não vem nunca(rs). Então só me resta esperar outubro e votar no Bolsonaro. Já perdi a paciência.

      1. RP é uma figura repugnante, pelas promessas de posse não cumpridas e pela subserviência às barbaridades perpetradas pelos “deuses do Olimpo”. Motivos pra tanto, deve ter valiosos.

      2. Que continue assim. Terá um futuro brilhante quando os dois forem forçados a tomar o laxante constitucional. Será bom o “Pachequin” vigiar a balança. Creio que se lambuzará de mel…

  15. Vergonha não dos políticos tipo Pacheco que sabemos não prestam mesmo, mas dos jornalistas que se venderam. Dia vai chegar que seus filhos terão vergonha do papel pífio de seus pais. Filho de políticos não costumam prestar mesmo.

  16. Rodrigo Pacheco, seu marica, vestindo calça de homem, vá você e os canalhas do STF, calarem a Jovem Pan e, em particular, os pingos nos IS, se prepare, Pachaquim, pra você sair da cadeira de presidente do Senado Federal, custe o que custar, você será mais um esquecido no senário político brasileiro, volta para teu escritório de advocacia, que ganha milhões de reais com as desgraças dos outros, você e seus compassas, não passam de um lixo podre da sociedade brasileira, seus ratos imundos.

  17. Muitos dos tontos do STF e Senado podem incorporar o personagem Dom Quixote e seu fiel escudeiro Sancho Pança, mas ninguém mais competente do que Pacheco para o papel de Sancho. O nosso querido Sancho é usado de todas as formas pelos Dons Quixotes do TSE e por alguns gigolos da praça da República de São Paulo. Logo logo nosso querido Sancho estará fazendo tatuagens naquele lugar que a Anitta fez só para não ficar apenas com uma foto no mural dos presidentes do Senado.

  18. É claro o desespero dessa elite maligna , todos os dias vemos as armações sendo feitas em cima de narrativas furadas que não deram certo nos USA, uma vez que lá já estão descobrindo todos os podres do “deepstate”, Aqui as marionetes do sistema tentam o mesmo jogo sujo, mas não terão êxito, não há mais tempo para essa turba. O que estamos assistindo é um grande teatro. Tentarão de tudo para criar o medo nas pessoas, para manter o controle. O medo é grande aliado desses escuros. Não se deixem levar por sentimentos negativos. O BEM já venceu em outra linha do tempo , aqui nos resta observar o show. Aguardem confiantes que o melhor ainda está por vir.

  19. A pergunta é: Qual é o percentual da população que ainda usa a rede Globo, a Folha e demais veículos da velha imprensa para se informar? Espero que a maioria já tenha percebido o quão manipuladores são esses veículos e como estão desesperados na busca de reerguer a esquerda.

    1. Sr Elias Feld, nao uso nenhum desses veiculos de comunicacoes citados pelo Sr para me informar, alias, desinformar; sao sim, manipuladores de situacoes que visam, apenas, criar uma massa de manobra para respaldar os respectivos interesses conspiratorios. Cancelei todas as minhas assinaturas nos jornais (podem me chamar de avestruz) e, alem de Globo, tambem nao assisto CNN, SBT, CULTURA, BANDEIRANTES, GAZETA… Os analistas amestrados desses veiculos de comunicacao (como diria Fernao Lara Mesquita) sao pateticos, nao passam de bonecos de ventriloquos. Estou muito contente de ter me tornado assinante da REVISTA OESTE, onde consigo receber informacoes isentas e esclarecedoras de cada situacao.

  20. O nome desse consórcio teve um erro de digitação, não esquadrão da democracia, é esquadrão da Ladrocracia, 99% do povo tá ceguinho, coitado

  21. Nenhum dos fulanos, beltranos e sicranos aqui citados estará combatendo golpe algum. E todos bem sabem disso, tanto quanto nós sabemos. O que não significa que não haja um golpe em andamento. Ele existe, sim. E cada parágrafo desse artigo só mais comprova a sua existência. Não existe um fantasioso golpe que esteja sendo armado por vontade e iniciativa de Bolsonaro, mas existe aquele que começou a ser trançado pelos inconformados de todas as cepas tão logo o resultado das eleições de 18 foi anunciado. E essa trança só vem engrossando com a adesão dos que imaginaram que fosse fácil dobrar o Presidente e perceberam que não era. Estranha a pachorra com que Silvio Navarro conseguiu narrar o avanço da articulação golpista que se faz entre o Judiciário, o Congresso, a Imprensa e outros tantos setores interessados, esses, sim, no caos que precederá a tentativa de imposição de uma agenda avessa aos nossos interesses, articulação essa que nem por nos parecer muito ridícula deixa de ser muito perigosa. Mais perigosa ainda ela é porque nossa população não é muito esperta, conforme já demonstrou por décadas a fio, em diferentes ocasiões. Não é de um golpe imaginário engendrado por Bolsonaro que temos que nos defender. Temos que nos defender do golpe real, iminente, que vem-se armando a menos de um palmo de nosso nariz há mais de 3 anos, desde que aquela mimosa Sra Dona Rosa ofereceu cinicamente um exemplar da Constituição ao Presidente. Naquele momento, foi dado o ponta-pé inicial do “jogo” a que estamos assistindo, que se encontra em seus minutos decisivos. Não nos é possível apenas contemplá-lo e criticá-lo. É preciso dele participar de corpo e alma.

    1. Prezada Sra Vania, o termo “corpo e alma” é perfeito. A demonstração de apoio nas ruas e nas redes ao governo eleito, ainda é tímido, face à dimensão do golpe em curso.

      Sobre a população não ser “muito esperta”, acrescentaria ser também desinformada e inerte, o que é perfeito para a turba golpista.

      Que tal se procurássemos influenciar, com o que acreditamos ser verdade, aqueles mais próximos que julgamos serem vítimas da desinformação?
      Alerto que, há aqueles que mesmo letrados, são intolerantes com “todes” que não pensam como K Marx, e seguem influenciando criminosamente os mais vulneráveis, especialmente os jovens. O que cada um de nós, ditos menos à esquerda, está fazendo a respeito?

      Concordo plenamente que, a fase das críticas ao golpe que está posto, já passou. Há muitos que ainda seguem “chovendo no molhado”. Precisamos AGIR, manifestar nossa aversão ao infame consórcio com atos concretos, no dia-a-dia, mesmo que seja uma mera conversa com aqueles mais próximos.

  22. O golpe do estamento burocrático está em curso. Esta grita é preventiva, já abortando antecipadamente qualquer reação à inevitável fraude eleitoral. O futuro brasileiro é tenebroso.

  23. Contrariamente ao Presidente Bolsonaro, que estoicamente resiste ao bombardeio diário da covarde velha imprensa e dos politicos idem, esses todos aí cairão na vala comum da irrelevância!
    Bolsonaro virou um ícone popular, reverenciado e amado pela população nos locais que visita! A história lhe fará justiça, colocando-o no panteão dos poucos Estadistas que tivemos!

  24. Ótimo texto. Impressiona o cinismo de figuras importantes do tabuleiro político se prestarem a esse papel em conluio com boa parte da imprensa com essas campanhas difamatórias contra o Bolsonaro . São na realidade golpistas acusando os outros de serem os golpistas É a velha tática da desinformação, tão cara à esquerda.

  25. Os mineiros não elegeram Dilma, o poste incompetente do cachaceiro ladrão, o que foi ótimo. Entretanto, nos legaram uma mediocridade com quase dois metros de altura, esse tal Pacheco. Sacanagem dos mineiros, pô!

  26. É um fato curioso, esse golpe anunciado há três nos e cinco meses, sem que se tenha notícia de um único ato preparatório… que pena, pois eu queria tanto que Bolsonaro desse esse golpe e mandasse essa corja pra cadeia… eehehehehehe… (contém ironia)

  27. Muito bom Silvio esse alerta há muito tempo observava quando ainda lia o Estadão porque lá encontrava artigos quinzenais de Carlos A. Di Franco e semanais de J.R.Guzzo, mas atualmente os encontro na Gazeta do Povo e na Revista Oeste, porque as ofensas que essa atual direção do Estadão destila contra leitores que reconhecem valores no governo Bolsonaro tratando-nos como imbecis, camisas pardas, antidemocratas, são próprias de uma imprensa marrom e decadente.
    Sugiro Silvio que você peça ao Augusto Nunes que “convoque” Rodrigo Pacheco para ser entrevistado no “Direto ao Ponto”, porque essa figura já esteve duas vezes no RODA VIVA do DÓRIA, falando o que a ancora do programa queria ouvir. Também poderia ser “convidado” um ministro da CORTE, especialmente dos que compõe o TSE, porque também FACHIN já esteve no RODA VIVA para falar o que a equipe do programa gostaria de ouvir. Logicamente no “DIRETO AO PONTO” com os entrevistadores Silvio Navarro, Fiuza e Copolla.
    Silvio, como ex tucano ainda tinha alguma admiração pelo “democrata” FHC, procurei ler seus “diários da presidência”, e lá vi confissões que jamais imaginaria que fosse ressuscitado para atormentar Bolsonaro e fazer parte desse golpe. Se puder leia nos diário 1995/1996 pgs. 333 e 335, o comportamento democrático que teve com a Folha de São Paulo, deitando e rolando com a imprensa que o magoava, e no diário 1999/2000 pg.221, a interferência que fez na Polícia Federal, desprezando inclusive seu Ministro da Justiça Renan Calheiros.
    Lamento que Sergio Moro não tenha lido esses diários antes de provocar o tumulto que criou alegando interferência de Bolsonaro na PF e dito que nenhum dos presidentes anteriores interferiram na PF. Parabéns

  28. O Bolsonaro é um herói!Permanece no cargo apesar de toda essa hipocrisia contra ele.Se não fosse o apoio popular que ele tem,já teriam tentado tirá-lo da presidência há muito tempo!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.