Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Uma primavera de girassóis

O povo está vestido de verde e amarelo, as bandeiras do Brasil estão nas varandas, nos carros, motos e caminhões... E não é pela Copa do Mundo de Futebol

Étienne de La Boétie, francês, filósofo, escritor e fundador da “filosofia política moderna” na França foi para muitos apenas o grande amigo do eminente ensaísta Michel de Montaigne. Mesmo na França, La Boétie é uma figura que não saiu das sombras do quase anonimato. Nenhum retrato dele sobreviveu e sua vida é mal documentada, embora Montaigne o compare a Sócrates como “uma bela alma por trás de um rosto feio”. No entanto, ele é um dos teóricos políticos franceses mais influentes do século 16, embora seja mais conhecido hoje por seu ensaio Discurso da Servidão Voluntária, em que ele explora por que a maioria muitas vezes capitula voluntariamente às demandas de uma pequena minoria dominante.

Nesta curta obra, escrita por volta de 1550, o francês faz uma crítica à legitimidade de alguns governantes, chamados por ele de “tiranos”, e aborda as maneiras com que os povos podem se submeter voluntariamente ao governo de um só homem. A primeira abordagem vem pelo hábito: quem está acostumado à servidão tende a não questioná-la. Logo em seguida, La Boétie visita a servidão pela religião e pela superstição, algo que se cria em torno da figura do líder. Mas, para o filósofo, não são apenas esses dois métodos para criar a servidão voluntária. A chave da dominação consiste em envolver o dominado na própria estrutura da dominação, uma pirâmide de poder: o tirano domina meia dúzia, essa meia dúzia domina 600, esses 600 dominam 6 mil, e abaixo desses 6 mil vêm todos os outros.

Estátua do escritor Étienne de La Boétie (1530–1563), em frente ao Tribunal de Sarlat-la-Caneda, no departamento de Dordogne, no sudoeste da França | Foto: Shutterstock

Para La Boétie, os que estão em volta do tirano são os menos livres de todos, pois, se as outras pessoas são simplesmente obrigadas a obedecer, esses, além disso, querem antecipar os desejos do tirano para não perderem seus postos. Dessa maneira, escolhem, livremente, a própria servidão. Em o Discurso da Servidão Voluntária, La Boétie propõe a reflexão sobre uma questão que está na base da política, seja em 1552, seja em 2022: o motivo que leva as pessoas a obedecerem sem enxergar o que, de fato, está em jogo ou acontecendo — e o que pode levar uma pessoa a abrir mão de sua própria liberdade. A servidão voluntária de La Boétie mergulha na perda do desejo de liberdade, uma vez que “os homens, enquanto neles houver algo de humano, só se deixam subjugar se forem forçados ou enganados”.

E o brasileiro foi enganado por muito tempo. Obedeceu a regimes totalitários psicológicos que aprisionaram a independência intelectual e foi alimentado a pão e circo durante tempo demais. O brasileiro foi ludibriado por um sistema perfeito que fingia proteger a liberdade, que fingia se preocupar com a nação, que fingiu por muito, muito tempo que o voto representaria sua voz no Parlamento, que o Congresso trabalhava a favor do povo e que as instituições funcionavam. Mas no meio do caminho tinha um 2018, tinha um 2018 no meio do caminho. E no meio desse caminho, o povo, alimentado pelas migalhas de pouco pão, mas com fartura de circo, conheceu Adam Smith, Thomas Sowell, Jordan Peterson, Olavo de Carvalho… e tantos outros pensadores da liberdade. Liberdade preciosa que já era objeto de extrema preocupação e visita em 1552 na França de La Boétie.

E foi exatamente no caminho do calabouço intelectual em que se encontrava o brasileiro que Olavo de Carvalho, aquele das mil teorias conspiratórias que são realidade hoje, apareceu para falar de um tal “teatro das tesouras”. Eu não faria justiça aos ensinamentos do professor se tentasse colocar aqui, mesmo de maneira direta, a brilhante explicação de Olavo daquilo que foi uma mentira, um transe durante anos e anos no Brasil. A visão que Olavo nos trouxe um divisor de águas no caminho de nossa atual independência intelectual — a que, de fato, está alimentando nossa independência política — está em um artigo espetacular de 2002 para o jornal O Globo, com o título “A mão de Stalin está sobre nós”. Ali, Olavo desnuda o roteiro macabro que assolou o Brasil durante tempo: o teatro das tesouras, a falsa dicotomia entre PT e PSDB — fios do mesmo tecido político.

Olavo de Carvalho | Foto: Reprodução

“Neste país há três e não mais de três correntes políticas organizadas: o socialismo fabiano que nos governa, o socialismo marxista e o velho nacional-esquerdismo janguista. O socialismo fabiano distingue-se do marxista porque forma quadros de elite para influenciar as coisas desde cima em vez de organizar movimentos de massa. Seu momento de glória veio com a administração keynesiana de Roosevelt, que, a pretexto de salvar o capitalismo, estrangulou a liberdade de mercado e criou uma burocracia estatal infestada de comunistas, só sendo salva do desastre pela eclosão da guerra.

Muitos querem insistir que os brasileiros estão fora de seus empregos, longe de suas casas — há 18 dias! — simplesmente por não aceitarem o resultado das eleições. Mas eles sabem que não é apenas isso

No poder, os fabianos dão uma maquiada na economia capitalista, enquanto fomentam por canais aparentemente neutros a disseminação de ideias socialistas, promovem a intromissão da burocracia em todos os setores da vida (não necessariamente os econômicos) e subsidiam a recuperação do socialismo revolucionário. Quando este está de novo pronto para a briga, eles saem de cena envergando o rótulo de “direitistas”, que lhes permitirá um eventual retorno ao poder como salvadores da pátria se os capitalistas voltarem a achar que precisam deles para deter a ascensão do marxismo revolucionário. Então novamente eles fingirão salvar a pátria enquanto salvam, por baixo do pano, o socialismo.

A articulação dos dois socialismos era chamada por Stalin de “estratégia das tesouras”: consiste em fazer com que a ala aparentemente inofensiva do movimento apareça como única alternativa à revolução marxista, ocupando o espaço da direita de modo que esta, picotada entre duas lâminas, acabe por desaparecer. A oposição tradicional de direita e esquerda é então substituída pela divisão interna da esquerda, de modo que a completa homogeneização socialista da opinião pública é obtida sem nenhuma ruptura aparente da normalidade. A discussão da esquerda com a própria esquerda, sendo a única que resta, torna-se um simulacro verossímil da competição democrática e é exibida como prova de que tudo está na mais perfeita ordem.

Josef Stalin, em 1937 | Foto: Wikimedia Commons

“(…) No governo, nossos fabianos seguiram sua receita de praxe: administraram o capitalismo como se fossem capitalistas, ao mesmo tempo que espalhavam a doutrinação marxista nas escolas, demoliam as Forças Armadas, instituíam novas regras de moralidade pública inspiradas no marxismo cultural da Escola de Frankfurt, neutralizavam por meio da difamação midiática as lideranças direitistas, criavam um aparato de repressão fiscal destinado a colocar praticamente fora da lei a atividade capitalista e, last not least, subsidiavam com dinheiro público o crescimento do MST, a maior organização revolucionária que já existiu na América Latina. Em suma: fingiam cuidar da saúde do capitalismo enquanto destruíam suas bases políticas, ideológicas, culturais, morais, administrativas e militares, deixando o leito preparado para o advento do socialismo.”

Ah! Olavo… que falta você faz. Você tentou nos avisar, mesmo lá do Estado da Virgínia, nos EUA, mas disseram que você não batia bem das ideias — e hoje sabemos os motivos para tanta perseguição, para tantos ataques. O sistema precisava te calar. Mas chega aí, professor. Olha o que está acontecendo nas ruas, estradas, casas e mentes no Brasil. Olha a sua semente, Olavo. O povo está discutindo comunismo, socialismo, Foro de São Paulo — outra “loucura” da sua cabeça que está agora não apenas diante de nós, mas querendo engolir o Brasil. O povo não está aceitando o que fizeram com as nossas eleições, com o nosso Congresso, com a nossa Suprema Corte, com a nossa Constituição! Você está vendo daí, professor? O povo está vestido de verde e amarelo, as bandeiras do Brasil estão nas varandas, nos carros, motos e caminhões… E nem é pela Copa do Mundo de Futebol que está para começar. As bandeiras estão amarradas nos pescoços das pessoas e das crianças, viraram capas de super-heróis, Olavo. A primavera de girassóis chegou!

“É golpe!”, eles gritam. O exército está nas ruas, fato. Mas não o exército das Forças Armadas com tanques e soldados, mas os soldados pelo Brasil com as forças armadas. Uma multidão insuportável, munida de patriotismo, cooperação, resiliência e fé. Gente que não tem vergonha de cantar o hino e orar pelo país. Gente que entendeu a Parábola do Talentos, registrada no Evangelho de Mateus (25:14-30) e que foca em sua parte final a questão da necessidade da vigilância e da realidade do juízo vindouro. Jesus diz, ali naquele sermão e muito claramente, que nesse dia os salvos e os ímpios serão separados. A Parábola dos Talentos foi contada por Jesus na semana em que Ele foi traído e vale muito a pena sua leitura e reflexão para os dias de hoje. O que cada um de nós está fazendo pelo país e contra a tirania a que fomos submetidos?

Manifestações de 15/11/2022 em Brasília | Foto: Reprodução

Muitos querem insistir que os brasileiros estão fora de seus empregos, longe de suas casas — há 18 dias! — simplesmente por não aceitarem o resultado das eleições. Mas eles sabem que não é apenas isso. Eles sabem que foram quatro anos de tentativas de desestabilizar um governo técnico não apenas pela imprensa carcomida e vendida, mas por meios ilegais e inconstitucionais através da carcomida e vendida banda podre do Poder Judiciário. Chega. O povo está dizendo chega. Podemos até voltar para nossas casas e para a vida cotidiana, mas a vida jamais voltará ao normal diante do que foi feito, diante do imundo caminho pavimentado para soltar um bandido que assaltou o Brasil e colocá-lo na Presidência.

De volta a La Boétie e ao Discurso da Servidão Voluntária, o francês aborda as razões pelas quais os seres humanos se submetem ao domínio de tiranos. Para ele, há três razões que levam o homem à servidão voluntária. Nascer na servidão; a estrutura de poder, na qual “o tirano submete uns por intermédio dos outros”; e a covardia, ou tornar-se “covarde” sob a tirania. La Boétie escreve que, “com a perda da liberdade, perde-se imediatamente a valentia (…). Perdem também a energia em todo o resto, têm o coração abatido e mole e não são capazes de grandes ações. Os tiranos o sabem e, à vista deste vício, fazem tudo para piorá-lo”. Por isso, seduzem os povos através de jogos, de maneira que, “assim ludibriados (…), divertiam-se com o vão prazer que lhes passava diante dos olhos e habituavam-se a servir com simplicidade igual à das crianças (…)”.

Senhor Alexandre, chega aí. O senhor vai ter de mandar prender muita gente. Milhares, milhões. O brasileiro está mostrando suas verdadeiras cores, e a covardia não é uma delas.

Em 1552, Étienne de La Boétie argumentou que a liberdade e o desejo por ela são os estados naturais da humanidade, e que, mesmo sob a tirania, a liberdade é facilmente recuperada:

“Resolva não servir mais, e aí está você, livre. Eu não quero que você o empurre ou o derrube, mas simplesmente não o segure mais, e você o verá, como um enorme colosso com a base retirada, desmoronar sob seu próprio peso e se desfazer”.

Pois é… Parece que um bando de “manés”, como diria uma figura tosca do quadro da tirania brasileira à la Étienne de La Boétie, vai continuar amolando, para o desespero dos malandros.

Leia também “Um novo Ronald para a América”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

39 comentários Ver comentários

  1. Prezada Ana

    Gosto muito de seus textos mas eles são longos demais e infelizmente a nossa vida atual é corrida. Falta-nos tempo. Espero ter sido compreendido. Meus respeitos.

  2. Ana Paula, joia rara em muitas atividades, MAS como comunicadora, é imprescindível. A triste realidade em que vivemos, ficará registrada em seus artigos e comentários na TV.
    Que Deus a proteja e ilumine, para que continuemos a nos informar e evoluir com sua sabedoria. Obrigada.

  3. Outro ótimo texto seu para o momento e para sempre. Muito bom, Ana. É para ler, reler e refletir. O “Professor” faz mesmo falta! Relembre-o sempre. 👏👏👏🇧🇷

  4. Extraordinário essa colocação. Confesso que a minha fixa caiu e me deu dor no estomago por uns 3 dias. Se Fernando Henrique Cardoso não estivesse do Lando de lá eu ainda estaria achando que em algum momento o Brasil tinha políticos de esquerda e direita. Mas agora sabemos que tudo não passou de uma fantasia um rodízio de partidos que controlam a política assim como as empreiteiras da lava-jato. Muito triste tudo o que está acontecendo.

  5. Obrigado por essa maravilhosa reflexão! Que sejamos fortes e persistentes para realmente podermos desfrutar de “nossa liberdade”. Acho só que temos uma esquerda muito pouco evoluída apenas um bando de ladrões e fanfarrões que se enlameiam no mau gosto de um poder podre! Nem são intelectuais na verdade não são nada!

  6. Obrigado por essa maravilhosa reflexão! Que sejamos fortes e persistentes para realmente podermos desfrutar de “nossa liberdade”. Acho só que temos uma esquerda muito pouco evoluída apenas um bando de ladrões e fanfarrões que se enlameiam no mau gosto de um poder podre! Nem são intelectuais na verdade não são nada! São apenas lascivos…

  7. Nunca foi tão acertada o versículo da Bíblia usado pelo pr Bolsonaro em sua campanha: E conhecereis a verdade é a verdade vos libertará. João 8,32.

  8. Brilhante Ana Paula. Poderia ser nossa senadora por Minas Gerais, para presidir o Congresso. Se Ana Paula nos lê, gostaria muito que avaliasse com os excelentes Augusto Nunes e Fiuza, o crescimento da população eleitoral dos estados que deram importante vantagem na eleição de Lula.
    Observei que a quantidade de eleitores dos estados do norte e nordeste cresceram muito mais que dos eleitores do sul e sudeste nesta eleição de 2022 em relação a 2018. Desprezando Amazonas (norte) e M. Gerais (sudeste), estados que os candidatos praticamente empataram, os estados Lula (Bahia, Ceará, Maranhão, Para, Paraíba, Pernambuco, Piauí, R. G. do Norte e Sergipe) somados possuíam 42.533.465 eleitores em 2018 e 46.147.632 em 2022 ou um crescimento de 8,5%, enquanto que os estados Bolsonaro (D. Federal, E. Santo, Goiás, Paraná, R. de Janeiro, R. G. do Sul, Sta. Catarina e São Paulo) somados possuíam 78.138.363 eleitores em 2018 e 80.048.753 em 2022 ou 5,1% maior. Vale dizer que o estado do Maranhão cresceu 11,2%, Para 10,6%, Bahia 8,6% e os estados de São Paulo 4,9%, R. de Janeiro 3,4% e R. G. do Sul 2,9%. É no mínimo estranho.
    Entendo que seria razoável consultar o TSE sobre quais cidades desses estados cresceram significativamente e suas justificativas.

  9. Ooo Ana! Vc continua jogando muuuito! Eu e minha esposa somos seus fãs e sua doçura nos encanta. Uma dama como é nossa Michele.
    Eu pedi a Deus uma Kolinda (Grécia) e Ele tem dado ao Brasil guerreiras como você.
    Não desista de nós, por favor.

  10. Ana Paula, quero te agradecer pelo brilhante e emocionante texto. Impossível não ir às lágrimas principalmente no tocante parágrafo que vc descreve o despertar do povo. Que Deus nos abençoe e que possamos nos manter na primavera dos 🌻 🌻
    Grande abraço daqui de Itabuna, sul da Bahia

  11. Hoje ao acessar o aplicativo Tik Tok do Bolsonaro para ver seus filmes da campanha da eleição, eis que já no mostruário dos vídeos, logo no mais recentes deles aparece em tarja preta a msg de alerta “Participar desta atividade poderia resultar em ferimentos a você ou a outras pessoas.” Eu não participo de comentários, e então pergunto vocês leram, ou só aparece para mim?

  12. Ahh se a gente tivesse tecnologia suficiente para votar pelo celular ! Quanto o país iria economizar e os mesários não poderiam votar pelos ausentes… tudo o mais e tornaria mais simples.

  13. SINTETISANDO!!
    O brasil é uma CLEPTOCRACIA!!
    Uma vez eleitos….CAGAM PARA O POVO.
    Isso não é democracia… isso é uma espécie de colonialismo do século 21.
    Tudo devidamente apoiado por Europeus e Norte Americanos que veem a América Latina como apenas uma colônia a ser exaurida para bancar suas guerras do outro lado do mundo.
    Passarem por TIME SQUARE e não notarem o CLAMOR Verde Amarelo de uma verdadeira multidão de um povo “simpático” acusando FRAUDE nas eleições…
    FAZ DOS NORTE AMERICANOS UM POVO IMBECIL E HEDIONDO.
    Mesma coisa/argumento para Londrinos, Berlinenses, Lisboetas, Madrinenses, Romanos, franceses, japoneses….SEUS DESCENDENTES ESTÃO PEDINDO SOCORRO Imbecis.

    1. Agora mesmo…as tais Forças Armadas querem ignorar TUDO o que aconteceu…como se fosse normalissimo executarem manobras e firulas juridicas para LIBERAR UM CONDENADO POR CORRUPÇÃO.
      VERDADEIRO TAPA NA CARA DOS HONESTOS.
      VIROU Normalíssimo barrar multas de sonegação de impostos????? (19 milhões),
      Uma mulher semi analfabeta, vendedora da avon, tem 10 milhões de reais de herança???
      e Gilmar Mendes suspender o confisco/bloqueio de 5 milhões desse dinheiro, obviamente, oriundo de corrupção (5 milhões de reais..os outros 5 os filhotes do corrupto já pegaram.

      NÃO TEMOS DE COMPÔR acordo em NADA COM A CONSIDERÁVEL parcela do PIB brasileiro que financiou e apoiou essa manobras.. NADA!
      Temos de exigir honestidade e o quê essa parcela do PIB/empresáriado brasileiro fez FOI GOLPE.
      Itau
      Gerdau
      Bradesco
      PETZ
      Empreiterias
      Natura
      Boticario
      AmBEV
      BTG Pactual
      Rede Globo
      Bandeirantes
      Estaão
      UOL
      Folha SP
      Veja
      Valor economico
      etc, etc etc
      Não temos de convence-los…TEMOS DE ENQUADRÁ-LOS.
      Usem o metodo da Russia e China….eles não gostam tanto do “L”

      NÃO PEÇAM PERMISSÃO PARA INTEVIR A ESSES EMPRESÁRIOS CANALHAS…
      PRENDAM-NOS TODOS
      inclusive “comandantes” que ainda não estão convencidos….pois BURROS NÃO SÃO
      são cumplices!!

      1. Meu Deus Marcelo, quantas verdades. ainda clamo pelas FFAA. Precisamos de mais 4 anos com o Presidente incorruptível JAIR MESSSIAS BOLSONARO.

  14. Que texto BRILHANTE! Esse texto merece uma medalha de Ouro, genial. Sinto imenso orgulho de você como Brasileira, que consegue ser duplamente campeã, no Volei e agora como comentarista.

  15. “O comunismo não é um grande ideal que se perverteu. É uma perversão que se vendeu como um grande ideal.”
    “Decidi-vos a não servir mais, e sereis livres.”

  16. Sensacional, Ana!!! Sensacional! Que narração brilhante, li sem parar como se estivesse vendo um filme! Somos todos MANÉS!! E com mt orgulho! Não tem mais volta! Perdeu, STF!!

  17. Não adianta chorar, somente em 2026 poderemos tentar trazer a direita de volta, nós os 58 milhões de voto iremos sofre junto com os 60 milhões que votaram no Lula na visão deles Bolsonaro era um jeca, falava palavrão, odiava mulheres e com inveja do Covid o exterminou e se tornou um genocida. Deus agora está de costa para o Brasil.

  18. Simplesmente perfeito Ana Paula, como sempre!

    Imenso orgulho de ver uma esportista campeã, transformar-se em grande defensora da liberdade de seu povo, por meio das ideias.

    Estamos juntos, sejam quais forem as batalhas a serem travadas! ❤️‍🔥

  19. Ana Paula, sou um dos manés que vai continuar amolando o STF e o TSE. Esses dois tribunais são um minúsculo subconjunto do Poder Judiciário. Eles praticam uma justiça encontrada na rua, na lata do lixo, a justiça da Xandolândia… Essa justiça do Xandão e sua gangue não existe nas leis e na Constituição brasileira.
    Os países do primeiro mundo se desenvolveram às custas de muitas guerras e milhões de mortos, quem sabe chegou a nossa vez de subir ao time de países desenvolvidos. Estou pronto!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.