-Publicidade-

Biden e a inclusão dos mortos

O 'lockdown' foi medida fundamental para que os mortos pudessem conquistar sua inclusão eleitoral e os carteiros do bem fossem capazes de operar seus milagres

Foi tudo normal na eleição norte-americana. Só porque os mortos resolveram votar (21 mil só na Pensilvânia) os aliados do Trump reclamaram. Esses fascistas detestam a inclusão. Por que os mortos não podem participar da festa democrática? A pessoa já teve o seu direito de viver cassado e ainda por cima tem que perder o direito de votar? É muita falta de empatia.

Essa democratização do voto para o Além aconteceu graças à covid-19 — que por sua vez foi um presente de Deus, como explicou a Jane Fonda. Ou melhor: a quebra do monopólio dos vivos sobre a democracia se deu graças ao truque de prender a população em casa fingindo que isso salva a vida de alguém. A eleição nos EUA esclareceu tudo: o lockdown salvou os mortos. Ou pelo menos o seu sagrado direito de votar no poste do Obama.

Foi lindo ver a galera do fique em casa se aglomerando nas ruas para comemorar a façanha de Joe Biden, o herói dos carteiros mágicos. Para você entender a paixão do povo norte-americano por Biden, passou o dia da eleição e os votos continuaram chegando de todas as partes — mostrando que quem tem convicção real sobre o seu candidato vota nele todo dia. O tsunâmi da paixão comoveu os mesários mais sensíveis, que acharam justo retocar as cédulas atrasadas com a data certa da eleição — porque uma exigência burocrática jamais poderia atrapalhar a vitória do Bem.

E aqueles softwares conscientes do Michigan? Cumprindo bravamente seu papel revolucionário, saíram tabulando para Biden milhares de votos dados a Trump. É assim mesmo que tem que ser: se o eleitor se enganou votando no candidato errado, a tecnologia democrata conserta.

Os norte-americanos tiveram quatro anos de ascensão socioeconômica, e isso revolta mesmo a pessoa

Mas nem tudo foi perfeito. A parte desagradável dessa beleza toda foi a tensão criada por observadores oficiais que cismaram de querer ver as contagens de votos. Essa gente fascista é muito abelhuda, quer se meter em tudo. Os democratas fizeram muito bem em tapar com papelão as salas de tabulação. Ninguém consegue ter paz para contar votos com um monte de bisbilhoteiro botando olho em cima. Aí ficou tudo bem. Inclusive muitas cédulas que não tinham nada escrito puderam ganhar uma marquinha no nome Joe Biden — e só, porque para marcar nome de deputado, senador e demais opções da cédula a eleição só acabaria no ano que vem, e o Obama já avisou que está com pressa.

E assim se deu a virada sobrenatural do companheiro Biden, transformando-o no maior fenômeno eleitoral da História dos Estados Unidos da América. Essa façanha foi conseguida por um poste sem luz, segundo especialistas, graças à revolta do povo norte-americano contra Donald Trump. De fato, os norte-americanos tiveram quatro anos de ascensão socioeconômica, e isso revolta mesmo a pessoa. Todo mundo sabe que o que faz um ser humano feliz e satisfeito é eleger o governo dos amigos da Jane Fonda.

Foram quatro anos de índices de aprovação governamental em alta — tudo truque para os republicanos acharem que a eleição estava no papo. Na hora certa Jane e seus amigos ganharam dos céus o lindo presente viral e mandaram todo mundo se trancar em casa. Mesmo com a constatação de que a população na quarentena se infectava mais do que fora dela, continuaram pregando o lockdown — medida fundamental para que os mortos pudessem conquistar sua inclusão eleitoral e os carteiros do bem fossem capazes de operar seus milagres.

Obama disse que Trump matou milhares de pessoas. É nisso que o povo norte-americano acredita — não em liberdade e dinheiro no bolso. O povo norte-americano acredita em Obama e em Papai Noel, por isso votou num poste que promete deixar todo mundo preso em casa. Obama disse que a eleição acabou. Danem-se o procurador-geral e as investigações em curso. Obama é a lei — e a imprensa amiga é o carimbo.

Vivam os mortos.

 

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

40 comentários

  1. Excelente Fiuza.
    As prévias de 22?
    Que os conservadores e cristãos façam antecipadamente a prestação de contas com o legislativo brasileiro, pela prisão em segunda instância e fim do foro privilegiado.
    É simples: VALE À PARTIR DE AGORA, tão somente. São apenas identificados e soltos, como o lulaladrão foi.
    Dará tempo para que os corruptos arrumem as malas e se mandem daquí. E o que nos interessa na verdade é nos vermos livres deles.
    FICA MARCADO DESDE JÁ COMO INÍCIO DE UMA NOVA ERA. Quem ficar e querer ver prá crer, que seja julgado, e não protegido pelo “mecanismo oficial”, se escondendo como Aécio atrás de foro privilegiado, e de seu partido o PSDB de Paulo Preto, bem enturmado.

  2. Bolsonaro que se cuide. O que está acontecendo nos EUA é só uma pequena amostra do que vai acontecer no Brasil em 2022. Aqui a luta será contra a esquerda corrupta, contra a imprensa vendida e contra um STF infame. A briga será dura.

      1. Varios jornalistas que moram nos estados unidos sabem que houve muitas cedulas em nome de eleitores ja’ falecidos. Tambem, milhares de cedulas(votos) enviadas por correio, apos a data-limite que era 03/11/20. Nao tem nada de “texto fake”. Se vc e’ esquerdista, deve ler textos do Noblat, Jose’ Neumanne Pinto ou Forum, Carta-Capital, etc. Voce caiu na revista errada!!!….rsrsrs

    1. Bolsonaro lutara’ ate’ onde der! Se ele perder a eleicao, quem sofrera’ mais serao os de classe baixa e media. Os ricos sempre terao onde se amparar…e os funcionarios publicos mais altos sempre terao os gordos salarios!

  3. Realmente, o presidente Bolsonaro deve ficar de olho vivo, porque o método de ação desses pseudo democratas é assim mesmo. E não se envergonham!!! Excelente artigo!!!

  4. As possíveis falcatruas eleitorais que estão sendo descobertas nos Estados Unidos serve de alerta para as eleições Brasileiras, aqui não há possibilidade de recontagem de votos, pois não há votos impressos, ademais as decisões judiciais brasileira às vezes não oferecem segurança jurídica.

  5. Este seu texto é um primor literário, Fiúza. Só espero que não precise repetir essa façanha daqui a dois anos, quando chegar a nossa vez. A julgar pelo perfil dos famosos daqui que têm mandado cartinhas encantadas para o ainda não presidente, todo cuidado é pouco.

  6. Sensacional, Fiuza !
    Acho que depois disso tudo, como você já disse nos Pingos nos Is, a Pensilvânia, em razão da ressurreição dos mortos para votar, passará a ser chamada de Transilvânia.
    Parabéns !

  7. Perfeita sua matéria !
    Por sinal aqui merece um adendo :Essa afirmação da Jane Fonda foi lamentável !
    Tivemos algo similar aqui dito por uma das integrantes da família Torres ,artistas Tbem!

    Parabéns Fiuza !

    1. Não quero ser fatalista mas o ciclo virtuoso da direita no mundo está fazendo água. O universo tende ao caos e a história humana também. O discurso limpinho progressista encontra cada vez um maior número de miolos moles com bom coração.

  8. Fiúza,
    E S P E T A C U L A R…. não tem outro adjetivo!
    Oeste: mais um artigo para a coleção das molduras…
    Todos os dias agradeço a Deus o privilégio de ler textos com esta lucidez, precisão cirúrgica e, claro, fina ironia…que é peculiar ao Guilherme!
    Oxalá muita gente consiga ler um texto destes…e aprendam um pouco sobre política, só um pouco! Não é pedir muito, é?

  9. Por aqui o deus do Olimpo, Roberto Barroso, já prepara o terreno para que em 2022 o pleito seja decidido pelos habitantes do Supremo panteão, seria muita pretensão dos mortais querer escolher quem vai lhes governar.

  10. Excelente, Fiuza, mais uma aula de realidade para cegos que insistem em não enxergar… Alguem comentou ,no passado, que democracia não funciona para povos incultos. Outros foram mais longe e afirmaram que “nunca ninguem deixou de faturar,subestimando o grau de conhecimento do povo americano” .Triste realidade…

  11. Texto de uma ironia fina e cortante. Agora, cá entre nós, mestre Fiuza: nunca se pôde esperar muito do eleitor norte-americano, cujo calibre e formaçao política é de um Colt 22.

    1. Não quero ser fatalista mas o ciclo virtuoso da direita no mundo está fazendo água. O universo tende ao caos e a história humana também. O discurso limpinho progressista encontra cada vez um maior número de miolos moles com bom coração.

  12. “Direitista de bolha”. Viva o jornalismo sério, que é definitivamente outra coisa. Até agora, praticamente todas as ações juidiciais deram zebra para a GOP. Ainda bem que os EUA são um Estado de Direito, apesar de muitas imperfeições.

  13. Verdade, mas não é só o Bolsonaro que tem que se cuidar, mas principalmente nós, povo Brasileiro, que vamos sofrer as consequências deste desastre, se acontecer, mas não vai acontecer.
    Depende de nós, da nossa tomada de consciência, organização e atitude.
    Contem comigo!

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.