-Publicidade-

Vacina da Johnson & Johnson anuncia eficácia geral de 66%

Imunizante desenvolvido pela empresa conta com dose única
Projeto de vacina tem dose única
Projeto de vacina tem dose única | Foto: Prefeitura de Porto Alegre/Flickr

A equipe da Janssen divulgou nesta sexta-feira, 29, informações a respeito do seu projeto de vacina contra a covid-19. De acordo com a empresa, que é a divisão farmacêutica da Johnson & Johnson, os resultados dos testes com a vacina foram satisfatórios: eficácia geral de 66%.

Leia mais: “Coronavírus: com lockdown, Portugal é o país que mais registrou mortes por milhão de habitantes em janeiro”

Além da eficácia geral, a partir de testes realizados de forma global pelo laboratório, a Janssen tornou pública outras informações sobre a vacina. O número 66% aparece como forma de se prevenir o estágio moderado do coronavírus. Para casos considerados graves, o grau de eficácia é de 85%.

Os dados sobre eficácia vão além das recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O órgão coloca 50% como índice mínimo para se aprovar alguma vacina. Atualmente, o programa de vacinação contra a covid-19 no Brasil conta com aplicações de doses da CoronaVac e do imunizante desenvolvido pela Universidade de Oxford. A primeira tem 50,38% de eficácia. A segunda, 70%.

“Entre todos os participantes de diferentes geografias e incluindo aqueles infectados com uma variante viral emergente, a vacina candidata contra Covid-19 da Janssen foi 66% eficaz em geral na prevenção dos desfechos combinados moderado e grave, 28 dias após a vacinação. O início da proteção foi observada já no 14º dia”, informa a empresa em comunicado, informa o site da CNN Brasil.

Dose única

Diferentemente das vacinas já em uso no Brasil, a da Johnson & Johnson não contará com aplicação de duas doses. O projeto foi desenvolvido para contar com dose única. Até o momento, o imunizante da companhia encontra-se na fase de ter boas práticas de fabricação analisadas pela Anvisa. Após essa etapa, aguarda-se o pedido de uso emergencial.

Leia também: “A vacina e o vexame”, matéria produzida pela editora Paula Leal e publicada na edição 44 da Revista Oeste.

Painel da covid: a evolução da doença no Brasil e no mundo.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês