Baixada Santista ignora ‘alerta vermelho’ de Doria e discute flexibilização

Resumindo: mais prefeitos se voltam contra o governador João Doria
-Publicidade-
Parte da orla de Santos, maior cidade do litoral de SP | Foto: DIVULGAÇÃO
Parte da orla de Santos, maior cidade do litoral de SP | Foto: DIVULGAÇÃO | orla de santos - divulgação - baixada santista - doria - psdb - covid-19

Resumindo: mais prefeitos se voltam contra o governador João Doria

orla de santos - divulgação - baixada santista - doria - psdb - covid-19
Parte da orla de Santos, maior cidade do litoral de SP | Foto: DIVULGAÇÃO
-Publicidade-

A cada dia que passa e conforme o confinamento imposto por João Doria vai seguindo em todo o Estado de São Paulo, mais prefeitos se unem para adotar medidas contrárias às definidas pelo governador. Na última semana, o tucano já havia sido alvo de críticas de políticos espalhados pelo interior e pela região do Grande ABC. Agora é a vez da Baixada Santista ir contra as ordens vindas do Palácio dos Bandeirantes.

Leia mais:Seis em cada 10 cidades de São Paulo seguem sem um único registro de morte pelo vírus chinês

Nesta quinta-feira, 4, o Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista (Condesb) se reuniu. O encontro, que contou com as presenças dos nove prefeitos das cidades que compõem o movimento, serviu para acertar algumas deliberações. Primeiramente, o grupo discorda da decisão de Doria de manter a Baixada Santista dentro do “alerta vermelho”. Dessa forma, para o governo estadual, os municípios do litoral não poderiam nem pensar em retomar as atividades econômicas agora. Conforme destacado por Oeste, o “alerta vermelho” significa que apenas os serviços considerados essenciais podem funcionar.

“Estamos demonstrando para o governo do Estado que a Baixada Santista se encontra na fase laranja”

Presidente do Condesb e prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa discorda da atual posição do governo estadual contra a flexibilização dos negócios na região. “Desde a semana passada nós estamos demonstrando para o governo do Estado que a Baixada Santista se encontra na fase laranja desse plano através de números, da ciência exata que é a matemática, não por meio de avaliações políticas ou ‘achismo’ dos prefeitos”, disse o santista, de acordo com a Agência Brasil.

Criticado no PSDB

Com esse posicionamento firmado logo após a reunião do Condesb, Barbosa entra para a lista de prefeitos filiados ao PSDB que criticam publicamente o governador João Doria. Ele, aliás, já não é tão alinhado assim aos pensamentos do ex-apresentador de TV já algum tempo. Antes do segundo turno das eleições de 2018, ele chegou a declarar voto em Márcio França (PSB).

Além de Barbosa, a Baixada Santista conta com outros cinco prefeitos filiados ao PSDB. Tucanos que, entretanto, demonstram voar em direção contrária ao mandatário do Palácio dos Bandeirantes.

Confira, abaixo, as cidades que fazem parte da região (além dos prefeitos e seus respectivos partidos):

  • Bertioga — Caio Matheus (PSDB);
  • Cubatão — Ademário Oliveira (PSDB);
  • Guarujá — Valter Suman (PSB);
  • Itanhaém — Marco Aurélio (PSDB);
  • Mongaguá — Márcio Melo Gomes (Republicanos);
  • Praia Grande — Adalberto Mourão (PSDB);
  • Peruíbe — Luiz Maurício (PSDB);
  • Santos — Paulo Alexandre Barbosa (PSDB);
  • São Vicente — Pedro Gouvêa (MDB).

 

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site