Revista Oeste - Eleições 2022

Bolsonaro defende meio ambiente e liberdade religiosa

Na ONU, presidente abordou também as estratégias do Brasil para vencer a pandemia de coronavírus
-Publicidade-
Foto: ALAN SANTOS/AGÊNCIA BRASIL
Foto: ALAN SANTOS/AGÊNCIA BRASIL | Foto: ALAN SANTOS/AGÊNCIA BRASIL

Na ONU, presidente abordou também as estratégias do Brasil para vencer a pandemia de coronavírus

bolsonaro
Sessão de abertura da 74ª edição da Assembleia-Geral das Nações Unidas, em 2019
Foto: Alan Santos/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro discursou nesta terça-feira, 22, na abertura da 75ª edição da Assembleia- Geral das Nações Unidas. Desde 1949, um representante brasileiro é o primeiro a falar. Com duração de 15 minutos, o pronunciamento ocorreu por meio de vídeo em razão da pandemia de coronavírus. Bolsonaro iniciou a fala lamentando as mortes em razão da covid-19. E recordou que as estratégias de combate ao coronavírus ficaram sob responsabilidade de Estados e municípios, depois de decisão do Supremo Tribunal Federal.

-Publicidade-

“Em primeiro lugar, quero lamentar cada morte ocorrida. Desde o princípio, alertei em meu país que tínhamos dois problemas para resolver: o vírus e o desemprego. Por decisão judicial, todas as medidas de isolamento e restrição de liberdade foram delegadas aos governadores das unidades da Federação”, afirmou o presidente, ao mencionar as políticas do governo federal para salvar a economia, como o “coronavoucher” de R$ 600, o crédito a empresas (o Pronampe), insumos para a hidroxicloroquina e o socorro à população indígena.

“Implementamos medidas econômicas que evitaram um mal maior”, observou Bolsonaro. Conforme o presidente, o Brasil deixou para trás o legado protecionista e, no cenário pós-coronavírus, está aberto para firmar novas parcerias comerciais com outros países. Bolsonaro também relembrou a aprovação da reforma da Previdência, o envio das mudanças administrativas ao Congresso Nacional e o compromisso de nosso país com o acordo Brasil-Mercosul.

Meio ambiente

Bolsonaro aproveitou para rebater críticas de outros países acerca da política ambiental brasileira. E salientou que o país vive sob intensa campanha de desinformação acerca da Amazônia e do Pantanal, por parte da comunidade internacional e setores da imprensa. “Lembro que a região amazônica é maior que toda a Europa Ocidental. Dessa forma, é difícil combater os focos de incêndio e a biopirataria. O nosso Pantanal, área maior que a de muitos países europeus, assim como a Califórnia, sofre com os mesmos problemas”, lamentou. E recordou o derramamento de óleo venezuelano que atingiu a costa brasileira, em 2019. “Fomos vítimas de um crime”, garantiu Bolsonaro.

Ao encerrar a fala, o presidente fez um apelo pela “liberdade religiosa” e pediu combate à “cristofobia”. Ressaltou também que o país, segundo ele, está preocupado com o terrorismo em todo o mundo. O tema do encontro da Assembleia da ONU neste ano é “O futuro que queremos, as Nações Unidas de que precisamos: reafirmar nosso compromisso coletivo com o multilateralismo — enfrentando a covid-19 por meio de uma ação multilateral efetiva”. Depois do pronunciamento de Bolsonaro, serão transmitidos os discursos dos presidentes Donald Trump (Estados Unidos), Tayyip Erdogan (Turquia), Xi Jinping (China) e Sebastián Piñera (Chile).

Assista ao vídeo

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

11 comentários Ver comentários

  1. Parabéns Presidente, ótimo discurso. Continue nessa senda de verdade, honestidade e coragem , além da sua sempre firme determinação de colocar nosso Brasil no caminho correto e da sua merecida grandeza..

  2. Presidente Bolsonaro permaneça com o seu lema de falar sempre a verdade.
    Isso o levou a uma vitória esmagadora sobre um mecanismo poderoso e corrupto e, certamente o levará a reeleição.
    O que fez a esquerda perder meu voto e o de milhões de brasileiros , foram as promessas mentirosas, a corrupção e uma inversão de valores a favor da criminalidade.
    Isso tudo apoiada por uma mídia visivelmente parcial e corrompida.

  3. O Brasil deveria seguir os passos dos EUA e abandonar a OMS e em seguida cortar a ONU.
    Chega da ONU e suas manobras absurdas.
    O documento distribuído por essa organização contra os cristãos é absurdo, o maior país Cristão do mundo tem que dar o exemplo, #BrasilForaDaOnu já!

  4. Terrorismo: esse deve ser o próximo passo das organizações violentas que estão sendo estranhamente protegidas por uma parte da justiça (como por exemplo as organizações criminosas do RJ e BA, o Black Lives Matter, e afins), caso haja vitória de Trump nos EUA e o fortalecimento do liberalismo e conservadorismo no Brasil e outros países.

  5. Parabéns Capita, é só fazer o feijão com arroz: não mentir e respeitar todos os Brasileiros. Fazer propaganda daquilo que fizemos e estamos fazendo.
    O melhor estadista dos últimos tempos, competente na escolha do seu Ministério, com pessoas comprometidas e que não estão aí prá trair a Nação.

  6. Assisti ao discurso e foi muito bom… colocou o dedo nas feridas e deu várias bofetadas “com luva de pelica” como se dizia antigamente!
    Para desespero da bugrada da esquerdalha:
    Discurso de estadista!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.