PT tenta suspender “cartão-merenda” em cidade paulista

Partido dos Trabalhadores oferece representação contra programa lançado pela prefeitura de São Bernardo do Campo
-Publicidade-
Alunos da rede pública de São Bernardo do Campo: sem poder ir à escola, eles contam com "cartão merenda", mas esse benefício poderia ser extinto graças ao PT | Foto: DIVULGAÇÃO/PMSBDC
Alunos da rede pública de São Bernardo do Campo: sem poder ir à escola, eles contam com "cartão merenda", mas esse benefício poderia ser extinto graças ao PT | Foto: DIVULGAÇÃO/PMSBDC | cartão merenda - são bernardo do campo - pt - orlando morando - partido dos trabalhadores

Partido dos Trabalhadores oferece representação contra programa lançado pela prefeitura de São Bernardo do Campo que visa a atender crianças e adolescentes durante a pandemia

cartão merenda - são bernardo do campo - pt - orlando morando - partido dos trabalhadores
Alunos da rede pública de São Bernardo: sem poderem ir à escola, eles contam com “cartão-merenda”, mas esse benefício poderia ser extinto graças ao PT | Foto: OMAR MATSUMOTO/PMSBC

O Partido dos Trabalhadores enxergou irregularidade em projeto idealizado pela prefeitura de São Bernardo do Campo (SP) durante a pandemia da covid-19. Com escolas fechadas, o Executivo da cidade do ABC Paulista criou o “cartão-merenda” para permitir que famílias com crianças e adolescentes matriculados na rede pública de ensino comprem alimentos. A iniciativa, no entanto, não agradou ao PT. O partido entrou na Justiça a fim de suspender o programa.

-Publicidade-

Leia mais: “Senado deve chancelar Fundeb articulado na Câmara”

A representação do PT é endereçada ao prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando. Integrante do PSDB, ele foi eleito em 2016, depois de o município passar oito anos sob comando do petista Luiz Marinho. De acordo com o Partido dos Trabalhadores, o prefeito de São Bernardo estaria “realizando propaganda eleitoral antecipada visando a angariar votos a fim de viabilizar sua reeleição ao cargo”.

Parecer do MP

O posicionamento do PT, entretanto, foi rechaçado pelo Ministério Público do Estado de São Paulo. Diferentemente do partido político, o órgão não viu indícios de irregularidade com o propagado “cartão-merenda”. Dessa forma, o promotor Ulisses Cardoso de Oliveira Santos indeferiu o pedido formulado pelos petistas. Para ele, a divulgação do projeto se faz necessária, pois pode ser “extremamente útil a um número indeterminado de pessoas (eleitores ou não), sobretudo para viabilizar o acesso à informação”.

“É fundamental a fiscalização sobre a correta execução e alcance das políticas públicas”

O promotor entendeu, por fim, que não faz sentido impedir um prefeito de participar de eventos e projetos realizados pela prefeitura que conduz. “Importante ressaltar que não se pode pretender impedir o prefeito de estar presente em situações como as apontadas acima, até porque é fundamental a fiscalização sobre a correta execução e alcance das políticas públicas oferecidas pelo município”, escreveu Ulisses.

Deputado reclama do PT

Deputado federal pelo Cidadania de São Paulo, Alex Manente trouxe o caso à tona nesta semana. Ele criticou a postura do PT em relação ao “cartão-merenda”. Em vídeo divulgado em sua página no Facebook, o parlamentar classifica o caso como “absurdo”. “Prejudicando as pessoas e pensando na eleição”, diz o congressista, conforme mostra material divulgado na rede social.

https://www.facebook.com/alexmanente/videos/1148450285488741/

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.