Sleeping Giants ataca novamente

Alvo da vez é o colunista Rodrigo Constantino
-Publicidade-
Foto: REPRODUÇÃO/TWITTER
Foto: REPRODUÇÃO/TWITTER | censura - projeto de lei - fake news - twitter

Alvo da vez é o colunista Rodrigo Constantino

censura - projeto de lei - fake news - twitter
Foto: Reprodução/Twitter
-Publicidade-

“Sobre o crime de estupro, então, destaco que minha posição sempre foi bastante severa contra estupradores, e acho inclusive que suas penas são brandas demais em nosso país”. Esse é o posicionamento do economista Rodrigo Constantino, colunista da Revista Oeste, em relação ao crime que tem sido destaque na imprensa nos últimos dias. Apesar de tal afirmação publicada em 5 de novembro no portal da Gazeta do Povo, em que defende maior rigor na hora de punir um estuprador, ele se tornou o mais novo alvo do movimento Sleeping Giants Brasil.

Análise, por J. R. Guzzo: “O alinhamento ideológico do Twitter no Brasil”

Desde a última semana, o perfil do Sleeping Giants Brasil no Twitter tem pressionado anunciantes da Gazeta do Povo. Em total desconexão com o pensamento exposto pelo próprio colunista (conforme destacado acima), o projeto virtual o acusa de ser alguém que “não responsabiliza o agressor e culpa a vítima de estupro”. Por meio de postagens diárias, o movimento deixa claro o objetivo da vez: fazer com que o veículo de comunicação perca publicidade (uma de suas principais fontes de receita) enquanto mantiver Constantino como colaborador.

A fake news espalhada pela turma do Sleeping Giants Brasil — sim, fake news, pois Constantino já explicou que não culpa a vítima de estupro — tem alcançado seus objetivos. Pressionadas por acreditar que suas marcas estariam atreladas a ato tão repugnante, como a normalização do estupro, ao menos 19 empresas declararam que tiraram (ou estão pensando em tirar) seus anúncios da Gazeta do Povo. Na lista, estão companhias como O Boticário, Outback, Arezzo, Credicard, Petz, Oreo e Lojas Renner.

Até o momento, a lista de empresas que caíram na fake news espalhada pelo Sleeping Giants Brasil contra Rodrigo Constantino e a Gazeta do Povo conta com os seguintes nomes:

  1. SumUp
  2. O Boticário
  3. Heinz
  4. Outback
  5. Loft
  6. Arezzo
  7. Credicard
  8. Livelo
  9. AlegraFoods
  10. Méliuz
  11. MadeiraMadeira
  12. Quem disse, berenice
  13. Escola Conquer
  14. Printi
  15. Lojas Renner
  16. Petz
  17. Natural da Terra
  18. Feevale
  19. Oreo

Projeto contra notícias falsas?

No ar desde maio e inspirado na versão norte-americana que leva o mesmo nome, o Sleeping Giants surgiu no Brasil com a promessa de lutar contra a disseminação de fake news e o “financiamento do discurso de ódio”. Na prática, o projeto tem promovido levantes contra o pensamento conservador. Antes do colunista Rodrigo Constantino, os alvos foram o escritor e professor Olavo de Carvalho e o site Jornal da Cidade Online, conforme alertou a Revista Oeste em reportagem publicada na edição 27. Contra os anúncios que até hoje são exibidos no artigo em que Hélio Schwartsman registra a sua torcida pela morte do presidente Jair Bolsonaro, o movimento não deu nenhum pio. Parece que o “ódio do bem” é apoiado pela página.

Contra a Constituição

Outro ponto que chama a atenção em relação ao Sleeping Giants Brasil é que, tecnicamente, trata-se de projeto que vai contra a Constituição Federal. A Carta Magna garante em seu artigo 5º, parágrafo IV, que “é livre a manifestação do pensamento”, mas “sendo vedado [proibido] o anonimato”. Com meses no ar e histórico de ações que miram somente agentes contrários ao pensamento progressista, o nome (ou os nomes) dos administradores do perfil seguem sob sigilo. O público e as marcas que estão aderindo à pressão contra conservadores não sabem, em suma, com quem estão interagindo (e obedecendo sem contestações).

Alô, Twitter

O anonimato em relação ao Sleeping Giants Brasil segue graças à direção do Twitter, que até agora não cumpriu uma decisão judicial. Em agosto, a juíza Ana Paula Caimio, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS), determinou que a plataforma deveria divulgar os dados dos administradores do @slpng_giants_pt. Questionada por Oeste em setembro a respeito do não cumprimento da ordem, a equipe da rede social se limitou a dizer que não comenta “casos específicos”, mas garantiu cooperar “com as autoridades competentes em observância à legislação brasileira” — legislação essa que proíbe o anonimato, como o caso do perfil do Sleeping Giants Brasil.

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

34 comments

  1. Que tal um corrente de que se estas empresas fizerem isto, faremos uma divulgação em massa para deixarem de comprar nelas? Ou tomam juízo ou afundam de vez. A Globo que o diga.

      1. Tá difícil viver no Brasil, com tanta gente à toa. Ideologicamente à toa, vivendo de dinheiro fácil.

    1. As empresas q abaixam a cabeça p a ditadura do sleeping giants, em sua censura contra a direita, conservadores ou pessoas q discordam d sua opinião política, tbm são censores, elas quando aceitam a imposição d um grupo radical político nitididamente perseguidor eles sim são fascistas, ligam sua marca, muitas delas garimpadas a décadas com suor de familiares, envergonhando o passado d suas empresas. São empresários na melhor das hipóteses covardes, na pior cúmplice d uma ditadura. É uma vergonha p essas empresas. MAIS VERGONHA AINDA PARA ESSAS EMPRESAS, QUANDO SE FAZ UMA POSSÍVEL LIGAÇÃO ENTRE O SLEEPING GIANTS E A ONG NOSSAS.ORG. Q TEM ATIVISMO POLITICO. Empresários abram os olhos.

      1. Nenhuma dessas empresas fazem parte da minha vida. Algumas nem conheço. Considero Natura, Boticário, Quem disse, Berenice e Lojas Renner de baixa qualidade. Assim como eu, creio que existam muitas pessoas, então, acho melhor elas repensarem essa atitude idiota de dar ouvidos a alguém que está afastando seus consumidores. Logo surgirá um empresário visionário para ocupar o lugar delas.

  2. Essas empresas são tão covardes que são incapazes de lutar pela sua autonomia, se deixam levar por um grupo declaradamente perverso e contrário ao bem comum.

  3. A única coisa de interesse da esquerda é tomar e se manter no poder, o resto é secundário, é meio válido para atingir seu objetivo.
    Uma maneira prática de isso acontecer, tendo em vista a absoluta incapacidade de produzir algo de útil é, basicamente, tentando destruir tudo o que lhe seja contrário, como sabemos e já foi dito, independentemente dos meios utilizados.
    A Gazeta tal qual essa Revista e o Jornal da Cidade On Line, ainda são entidades com credibilidade perante um número cada vez maior de pessoas sérias se envolvendo na política.
    Guzzo, Constantino e tantos outros, merecem o respeito das leis e nosso apoio.
    Os covardes, inescrupulosos e dissimulados, não devem ser prestigiados por nós!

  4. Se a equipe da rede social Sleeping Giants garantiu cooperar com as “autoridades competentes”, então, as “autoridades competentes” é que estão coniventes com o anonimato dos responsáveis por essa Fake News que atribui ao excelente e responsável jornalista Rodrigo Constantino, conduta que não teve? Basta saber ler ou ouvir o que disse.
    As empresas que aceitam esse jogo sujo (Fake News) da Sleeping Giants, deveriam ser destacadas pela boa imprensa, como fez a revista oeste e julgadas pelo público consumidor.
    Isso sim, são atitudes antidemocráticas que nossas “autoridades competentes” deveriam estar penalizando.
    Penso que, ganha a Gazeta do Povo conquistando novos anunciantes que sabem interpretar um artigo ou opinião de bons jornalistas, e perdem essas empresas cujos departamentos de marketing não sabem interpretar as noticias verdadeiras das Fake News.

  5. Este sleeping giants, para a mim, é a síntese da covardia — age amparado nas bases do: anonimato, dissimulação e impiedade. Anonimato, pois não põe a cara pra bater. Dissimulado, por alegar combater atos odiosos mas nada se posiciona contra a Folha de S. Paulo (como bem relatou esta reportagem). Impiedoso, por que mesmo que o Rodrigo Constantino tenha se passado, ele se retratou publicamente (mas não parecer ser suficiente para esses progressistas: eles querem ver sangue!).

  6. Estamos em guerra, meus amigos! Acabei de elevar pra Premium minha assinatura da Gazeta mas me sinto um tanto quanto impotente…

  7. …assinei a Oeste a Gazeta por sua postura de não se curvar à chantagem ideológica digital. Além disso, estou adorando o conteúdo. Empresas que aceitam chantagem ideológica caem em nosso conceito, como essas listadas no artigo. Quem tem que julgar o conteúdo ofertado pelos jornais/revistas somos nós, consumidores.

    Parabéns à Oeste pela postura.

  8. As pessoas deveriam deixar de consumir produtos e serviços das empresas que se alinham a esse tipo de conduta. Vão mudar de ideia rapidinho quando atingidas “no bolso”.

  9. FUI cliente de algumas dessas empresas, assim como fui ouvinte da Jovem Pan… É o mínimo que posso fazer em relação à falta culhâo dessa turma!!! É vergonhoso se deixar levar por algo desse nipe.

  10. O sleeping é associado aos grandes provedores, todos com a mesma ideologia globalista; precisam ser identificados. Só assim serão desmascarados e punidos.

  11. O site ANÕES ACORDADOS está quase descobrindo quem são os tais Sleeping Giants. Parece que têm ligação com o Greg Duvivier notório esquerdista caviar e arquiinimigo do Rodrigo Constantino. Vide Kim Paim no Youtube.

  12. Obrigado Revista Oeste por divulgar a lista das empresas que cederam aos esquerdopatas. Boicotarei todas e vou fazer campanhas contra elas. Assim como já fiz com a Magalu.

    1. Isso aí, vamos espalhar a listas das empresas q apoiam o comunismo e a ditadura, travestida no Brasil d site d checagem. Essas empresas tem q ser expostas.

      1. Nossa única saída é boicotar as empresas que se curvaram ao sleeping giants. Obrigada por divulgar a lista

  13. Que pena em saber que a Boticário, a Rener e outras listadas, apoiam a ditadura; a política de um único pensamento. Foi a gota d’água. Não comprarei mais nelas.

  14. Alguma empresa boa de mídia precisa liderar uma campanha em várias frentes, uma com ações na justiça contra as plataformas que cederam a esse sleep merda , outra também na justiça direto contra eles, e uma grande dando nome e batendo pesado para que se boicotem essas empresas que estão se alinhando e comendo a pilha deles.

  15. Obrigado pela lista! Será devidamente guardada e divulgada para quem não concorda com o nazismo destes candidatos a tiranos. De todas na lista, a única que consumo produtos (não consumirei mais) é a Heinz. Me intriga também ver o nome da Meliuz, cujo dono é liberal, cair numa armadilha destas.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site