Fintechs: Brasil é o maior ecossistema da América Latina

São Paulo é a quarta cidade no mundo, segundo ranking global
-Publicidade-
Brasil: 14º país em ranking mundial de <i>fintechs</i> e primeiro na América Latina
Brasil: 14º país em ranking mundial de fintechs e primeiro na América Latina | Foto: Divulgação/Rawpixel

Segundo o relatório 2021 Global Fintech Rankings, o Brasil é o maior ecossistema de fintechs da América Latina & Caribe e se consolida como um dos grandes em nível global. O ranking continua com o Uruguai, ocupando a segunda posição, e o México, na terceira. Colômbia e Chile são quarto e quinto da lista, respectivamente. O Brasil também escalou cinco posições no ranking global, alcançando a 14ª colocação. Estados Unidos, Reino Unidos, Israel, Singapura e Suíça lideram a classificação.

O relatório, produzido pela Findexable em parceria com a Mambu, uma fintech alemã de soluções bancárias na nuvem, afirma que, mesmo com a pandemia de covid-19, 2020 foi um ano de grande expansão para essas startups. Segundo o diretor-geral da Mambu no Brasil, Sergio Constantini, “as fintechs são empresas de tomada de decisão ágil, que atendem a necessidades muito variadas de clientes do setor financeiro e estão revolucionando esses serviços, que se tornam cada vez mais fáceis, rápidos e simples”.

As empresas também estão mais diversificadas geograficamente. Mais de 20% dos países dos 83 da lista são estreantes no relatório, como os africanos Seychelles, Ruanda, Tunísia, Zimbábue e Somália.

-Publicidade-

Cidades

A cidade de São Paulo, uma das responsáveis pelo resultado do Brasil, tornou-se o quarto maior ecossistema de fintechs do mundo, ao subir uma posição. Ela fica atrás apenas de São Francisco (1ª do ranking), Londres (2ª) e Nova York (3ª). Estão no top 20 regional outros seis municípios brasileiros: Belo Horizonte (7ª posição), Rio de Janeiro (10ª), Curitiba (11ª), Porto Alegre (12ª), Florianópolis (16ª) e Brasília (17ª).

Crescimento

O setor também recebeu investimentos significativos em 2020, segundo o relatório. O montante investido foi de US$ 199 bilhões para US$ 440 bilhões, entre abril de 2020 e abril de 2021. O número de “unicórnios” (startups privadas avaliadas em mais de US$ 1 bilhão) entre as fintechs cresceu de 61 para 108, no mesmo período.

Leia também: Fintech que promove energia solar recebe aporte de R$ 160 milhões”

Com informações do site Valor Investe

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site