Jovem indonésio ganha US$ 1 mi vendendo selfies em NFTs

Sultan Gustaf Al Ghozali transformou quase 1.000 imagens em autorretratos diários
-Publicidade-
Al Ghozali, de 22 anos, é estudante de computação
Al Ghozali, de 22 anos, é estudante de computação | Foto: Reprodução/Redes sociais

Parece mentira, mas não é: um universitário da Indonésia, de 22 anos, ficou milionário ao vender uma coleção de selfies em NFTs. Sultan Gustaf Al Ghozali, estudante de Ciência da Computação, transformou quase 1.000 imagens em autorretratos diários, feitas durante cinco anos. A coleção do jovem indonésio é avaliada em US$ 1 milhão, o equivalente a R$ 5,5 milhões.

Foto: Reprodução/NFT Studio
Foto: Reprodução/NFT Studio

No início, Al Ghozali tirou as fotos para mapear suas atividades enquanto estudante universitário. A intenção era fazer um time-lapse (técnica que permite o registro de longos eventos em vídeos curtos) em sua formatura. As selfies do jovem indonésio eram tiradas sentado ou em pé, diante de um computador.

-Publicidade-

Posteriormente, o estudante de Ciência da Computação converteu as fotos em NFTs e as disponibilizou para venda no maior marketplace do setor, a plataforma OpenSea. Al Ghozali estabeleceu o preço de cada selfie em US$ 3, mas não esperava que houvesse interesse dos compradores. Ele estava errado: as fotos foram compradas por cerca de 400 pessoas.

Embora tenha se tornado milionário, Al Ghozali disse que ainda não conseguiu revelar aos pais que obteve uma fortuna na internet. O estudante de Ciência da Computação planeja investir o dinheiro em um estúdio de animação.

*NFT é uma espécie de certificado de autenticidade digital que confere à uma obra o valor de originalidade. Na prática, esse sistema de certificação garante que determinado objeto seja único no mundo digital, podendo ser multiplicado apenas com a autorização do autor. Seria como atestar que o quadro da Monalisa, no Museu do Louvre, é de fato a verdadeira Monalisa, não apenas uma réplica.

Leia mais: “O admirável mundo novo das artes”, reportagem de Bruno Meyer publicada na Edição 86 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

6 comentários Ver comentários

  1. NFT irá se tornar muito comum no Metaverso, há pessoas que estão ganhando uma grana com isso já. Quem for atento irá surfar a próxima onda da internet.

  2. Tem gosto para tudo… Do jeito que as coisas andam, se fizer um “time lapse”, não sei o que quer dizer isso, no meu entendimento a tradução literal seria lapso de tempo, se fizer várias selfies de bolos fecais em um vaso sanitário todas as vezes que for deposita-los, devo ficar então milionário com isso. É uma autêntica merda, com certificado de originalidade. Vai entender essa turma!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.