Metaverso registra primeiro caso de assédio: ‘Apalpada’

Empresa de Mark Zuckerberg investiga o caso
-Publicidade-
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O Metaverso de Mark Zuckerberg (ex-Facebook) teve o primeiro caso de “assédio” registrado. Um avatar (personagem que a pessoa no mundo real constrói na realidade paralela) teria sido “apalpada” por um estranho.

A denúncia foi feita por uma usuária do Horizon Worlds (HW), plataforma de realidade virtual da Meta. No HW, milhares de voluntários podem visitar praças públicas virtuais no universo digital para interagir.

Conforme a Meta, o incidente ocorreu no Plaza, o principal ambiente público do HW, em 26 de novembro. A vítima relatou que os demais usuários “nada fizeram” para ajudá-la, mas sim apoiaram o comportamento.

-Publicidade-

“Assédio sexual não é brincadeira na internet normal, mas estar em realidade virtual adiciona toda uma nova camada que faz o evento ficar ainda mais intenso”, denunciou a mulher, que não foi identificada.

Conforme a Meta, a realidade virtual do HW é para testes nos Estados Unidos e Canadá. O vice-presidente do projeto, Vivek Sharma, falou ao site The Verge que o caso foi “absolutamente infeliz”.

Sharma afirmou que a própria vítima poderia ter usado mecanismos de segurança presentes no metaverso, a chamada “Zona Segura”. A empresa estuda medidas para evitar futuros casos de assédio no Metaverso.

Leia também: “O império Facebook está derretendo”, reportagem de Dagomir Marquezi publicada na Edição 85 da Revista Oeste

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.