Monitor de robôs espalha desinformação no Twitter

Plataforma coloca veículos tradicionais da imprensa como não dignos de confiança
-Publicidade-
Foto:
Foto: | Bot - Sentinel - Plataforma - Twitter

Bot Sentinel credita perfis de veículos conceituados da imprensa brasileira como “problemáticos”, sugerindo que as pessoas não interajam com eles

Bot - Sentinel - Plataforma - Twitter
Foto: Ilustração/ Divulgação
-Publicidade-

Criada em 2018, a ferramenta Bot Sentinel monitora o uso de robôs on-line e analisa perfis no Twitter “para ajudar a combater a desinformação e o assédio direcionado”, conforme descrição no site da plataforma.

O Bot Sentinel informa que usa um modelo matemático para analisar milhares de perfis, indicando aqueles que são “inadequados”, espalham fake news ou participam de linchamentos virtuais.

Veja também: “Relatório da CPMI classificou jornal centenário como plataforma de ‘fake news’”

Por meio de seu perfil no Twitter, a plataforma divulga as hashtags e termos utilizados pelos usuários que são publicados por perfis chamados de trolls.

Segundo o Bot Sentinel, os trolls são perfis que apresentam atividades problemáticas e, quando identificados, a plataforma recomenda ao usuário não interagir com eles e até mesmo denunciá-los ao Twitter.

A reportagem de Oeste verificou se o sistema do Bot Sentinel é eficiente em identificar perfis que são robôs e compartilham desinformação, ou fake news, na rede social.

Foram testados dez perfis de conceituados portais de notícias e dez perfis de sites de mídia alternativa.

Veículos tradicionais

Dentre os veículos mais conceituados, testamos os perfis de O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, G1, UOL, O Antagonista, Valor Econômico, Revista Oeste, Gazeta do Povo, revista Veja e Jovem Pan.

Em dois deles, Revista Oeste e Jovem Pan, a análise do Bot Sentinel não mostrou nenhum resultado.

Os perfis da Folha de S.Paulo, UOL, O Antagonista e Veja apresentaram resultados satisfatórios, com no máximo 33 pontos em uma escala que vai até 100.

Já os perfis do Estado de S. Paulo, G1, Gazeta do Povo e Valor Econômico foram considerados  “problemáticos”, com o Bot Sentinel sugerindo que as pessoas deixem de interagir com eles. Nas imagens abaixo, de acordo com os critérios da plataforma, os perfis de O Estado de S. Paulo e G1 acusam uma avaliação de 100% “problemático”, enquanto o do Valor Econômico aponta para 80%.

Imprensa alternativa

Na lista dos veículos de imprensa mais alternativa, foram analisados os perfis do Jornal da Cidade Online, Brasil sem Medo, Brasil 247, Tijolaço, Terça Livre, Diário do Centro do Mundo, Revista Fórum, Carta Maior, Conversa Afiada e Rede Brasil Atual.

Dos dez veículos avaliados pela plataforma, dois deles, Conversa Afiada e Rede Brasil Atual, não mostraram nenhum resultado no Bot Sentinel.

Mais: “Como a imprensa está se aproveitando da MP 936 para reduzir salários”

Entre os oito restantes, nenhum apresentou o perfil “problemático”. Quatro obtiveram a classificação de  perfil “normal” — Brasil sem Medo, Brasil 247, Terça Livre e Revista Fórum.

Dois deles, o Tijolaço e a Carta Maior, apresentaram perfil “satisfatório”.

O Diário do Centro do Mundo foi identificado como perfil “disruptivo” e, portanto, a plataforma recomendou “cautela ao interagir com ele”.

O outro lado

Até o fechamento desta matéria, o fundador do Bot Sentinel, o programador Christopher Bouzy, não respondeu aos questionamentos de Oeste.

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

10 comments

  1. Parei de ler diante da lista de veículos classificados como conceituandos: O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, G1, UOL, O Antagonista, Valor Econômico, Veja…

    1. Que patrulhamento infantil é esse? Só porque você já percebeu que essas mídias não são mais confiáveis, acha que o resto do país também percebeu? Caia na real, são mídias conceituadas ainda sim, infelizmente. O objetivo da reportagem é mostrar que a ferramenta não funciona

  2. O sistema se mostrou “meia boca”, mas pelo menos identificou o Estadão, G1 e Valor Econômico como “problemáticos”. É nestas horas que vejo que a maquina dificilmente vai ser melhor que o Homem. Nós humanos já sabemos que a Folha, UOL, o Antagonista, Veja, G1, Estadão e Valor, são todos “problemáticos”. A maquina ainda tem duvida.

    1. Claramente a maior parte da imprensa, na realidade, está se colocando como não confiável! Com manipulações da opinião pública sempre mais à esquerda. Muitas fake news! Mentiras deslavadas. Vale tudo para manipular. Esta simplesmente insuportável ler alguns veículos.

  3. Claramente a maior parte da imprensa, na realidade, está se colocando como não confiável! Com manipulações da opinião pública sempre mais à esquerda. Muitas fake news! Mentiras deslavadas. Vale tudo para manipular. Esta simplesmente insuportável ler alguns veículos.

  4. Caros …. confiamos na Oeste…e pronto!
    A árvore se julga pelos frutos…a revista se avalia pelo que publica…pelo caráter e retidão de quem escreve!
    Simples assim!

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site